Poder

Chefe da Codevasf no Maranhão promove padrinho de emendas em ano eleitoral

Chefes regionais da estatal federal Codevasf têm usado as redes sociais para promover políticos autores de emendas parlamentares escoadas à empresa pública para a realização de obras e doação de equipamentos em seus redutos eleitorais.

Entre os padrinhos de emendas favorecidos pela divulgação estão aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL), como o deputado maranhense Pastor Gil.

A propaganda feita pelos superintendentes regionais da Codevasf acontece por meio de posts nas redes sociais dos servidores públicos. Nas publicações também são divulgados os endereços dos perfis oficiais dos políticos na internet.

A Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) é uma estatal entregue por Bolsonaro ao controle do centrão em troca de apoio político. Os cargos de superintendentes regionais da estatal, em alguns casos, são ocupados por pessoas próximas dos próprios parlamentares.

No Maranhão, o superintendente regional Celso Dias usa as redes sociais desde março de 2021, logo após assumir o cargo. Ele transformou as instalações da Codevasf em um cenário para fotos e vídeos com diversos congressistas, inclusive de oposição.

As imagens mostram os parlamentares ao lado de carrinhos de mão, caixas térmicas, máquinas de fabricar gelo, freezers, barcos de alumínio, caixas d’água, tratores, caminhões e escavadeiras.

Em um post de 5 de maio com foto com  o deputado Pastor Gil, Dias afirma: “Hoje recebi a visita do dep. fed. Pastor Gil para discutirmos sobre a execução de demandas de emenda parlamentar por meio da Codevasf. Tratamos a respeito de obras de pavimentação e doação de equipamentos em benefício de municípios do Maranhão.”

Mesmo que não leve nomes de políticos, é proibida a divulgação de publicidade institucional no período de três meses que antecede as eleições, diz o ex-procurador regional eleitoral Pedro Barbosa Pereira Neto.

“A lei 9.504 de 1997, conhecida como lei das eleições, fala em agente público em amplo senso. Penso que se trata de conduta vedada, mas os dirigentes da Codevasf atuam de maneira disfarçada, mas nem por isso menos ilegal”, afirma o procurador.

A Codevasf afirma que “mantém comunicação com a sociedade em redes sociais exclusivamente por meio de perfis oficiais e de acordo com a legislação em vigor”. “Manifestações de profissionais da empresa em perfis pessoais em redes e plataformas digitais possuem caráter individual”, diz a estatal.

Com informações da Folha de São Paulo


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Moradores derrubam escola municipal em Bacuri

,

Moradores da cidade de Bacuri derrubaram uma escolas municipal, nessa quarta-feira (3), na zona rural do município, e demoliram parte de outra unidade escolar na região.

Populares relataram que a Unidade de Ensino Miguel Nery, que fica localizada no povoado São Paulo e é destinada aos anos iniciais do ensino fundamental e Educação de Jovens Adultos (EJA), foi totalmente derrubada pelos moradores, pois, estava sendo construída por cima de material inadequado, o que colocaria em risco a vida dos alunos e funcionários da escola.

“A população derrubou porque a obra está há mais de 50 anos que eras feita e eles só tiraram o reboco e estavam metendo outro reboco. Aí a população se revoltou contra isso e botou embaixo. Em vez de meterem uns pilares, umas vigas, mas não meteram, só estavam rebocando de volta e já iam botar em cima e as paredes estavam todas rachando. Aí a população se revoltou e botou tudo embaixo”, relatou Inácio Cheppp, que é morador da cidade.

Já a Unidade de Ensino Tancredo Neves, localizada no Povoado Madragoa que, também, oferece aulas para os anos iniciais do ensino fundamental e Educação de Jovens Adultos (EJA), teve um parede derrubada pela população. A outra parte da escola foi demolida pela prefeitura, que teria sido pressionada pelos moradores.

A Prefeitura de Bacuri declarou, por meio de nota, que na escola Tancredo Neves já existe um projeto de engenharia para a reconstrução da escola, o qual está sendo executado pela administração municipal, para que a mesma fosse viabilizada.

“Nossa equipe procedeu com a sua demolição, não havendo ação por parte da população para a derrubada da escola municipal no Povoado Madragoa, muito embora tenha sido erroneamente noticiado dessa forma por um grupo de pessoas interligadas por interesse político-partidário”, afirma a nota.

Em relação à escola Miguel Nery, a prefeitura admitiu que ela foi totalmente demolida por populares, afirmando haver interreses políticos por trás da ação popular.

“O mesmo pequeno grupo de pessoas interligadas por interesse político-partidário convocou a população do Povoado São Paulo, de forma ardilosa, para efetivamente demolir a escola Miguel Nery que estava sendo reconstruída, o que realmente fizeram neste dia 3 de agosto do corrente ano. Demoliram a escola de forma irresponsável, sem sequer procurar a Prefeitura Municipal para reivindicar o que quer que seja, tampouco não se basearam em nenhum laudo técnico pericial de profissional especializado para lastrear a vândala ação a que pretendem conferir legitimidade e legalidade”, declarou a prefeitura.

Já moradores do local afirmam que a demolição se deu por causa da obra inadequada que estava sendo realizada pela prefeitura.

“Acontece que aqui no município de Bacuri estão sendo construídas escolas por cima de materiais velhos, por cima de escolas antigas, que a gente chama de adubo, que é de feita de barro. Então estão colocando tijolos por cima disso. O que é um grande perigo. Aí a população se revoltou porque o município recebeu milhões para construir e reconstruir escolas e, pelo visto, não estão construindo, reconstruindo escolas de maneira digna, com segurança”, relata o morador da cidade, Erick Pimenta.

As aulas municipais do segundo semestre já tiveram início na cidade, sendo que os alunos das duas escolas, que estavam em reforma, foram colocados em outra unidade de ensino que, segundo Erick Pimenta, também está sendo ameaçada pela população de ser derrubada, caso a Prefeitura de Bacuri não se manifeste sobre a situação precária das escolas municipais.

“Está tendo um outro tumulto, porque já quero derrubar a terceira (escola). Tudo por conta disso, porque já houve uma tragédia em 2014, que matou oito estudantes aqui em Bacuri. Para ter mais outra, a população não aguenta. Então houve essa revolta, ainda está sendo revoltante para a população, porque o até o momento o secretário de Educação não tem se manifestado”, afirma o morador.

A Polícia Militar do Maranhão esteve no local para acompanhar o ato dos moradores, mas não houve nenhum tipo de ação para conter a população.

A Prefeitura de Bacuri afirmou, também, que todas as obras da Administração Municipal obedecem a projetos específicos de engenharia e são desenvolvidas rigorosamente de acordo com esses projetos, sendo feito o controle de qualidade em todas as etapas de construção, inclusive com o acompanhamento do engenheiro responsável por cada obra.

A prefeitura disse, ainda, que os atos de ‘vandalismo’ não serão tolerados e que já registrou um Boletim de Ocorrência contra os responsáveis.

“A prefeitura de Bacuri, não vai tolerar estes atos de vandalismo e destruição do patrimônio público, já registramos a Ocorrência Policial e todos os responsáveis serão identificados e responderão nas esferas administrativa, civil e penal”.

Do g1,MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Ônibus coletivo pega fogo em São Luís

Na manhã desta quinta-feira (4), um ônibus do transporte coletivo pegou fogo na Avenida dos Franceses, no bairro Anil, em São Luís.

Segundo testemunhas, o incêndio começou por volta das 5h40 e, no momento da combustão, estavam no coletivo o motorista, o cobrador e mais dez passageiros. O fogo começou na área do motor e destruiu completamente o veículo.

Apesar do susto, ninguém saiu ferido. Uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no local e conseguiu controlar as chamas. O coletivo pertencia a empresa Ratrans e fazia linha para os bairros Coroadinho e Bom Jesus. As causas do incêndio ainda serão averiguadas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Miltinho Aragão demonstra força e recebe novos apoios de lideranças políticas

Na noite de ontem (02), em São José de Ribamar, o candidato a deputado estadual Miltinho Aragão (PSB) se reuniu com familiares e amigos do Comandante Geral do Corpo de Bombeiros do Maranhão, Coronel Célio Roberto, para discutir pautas políticas para a região.

Nas redes sociais, o deputado comemorou o encontro e o classificou como importante.

Na ocasião, o postulante a deputado estadual recebeu novas adesões de lideranças políticas ribamarenses, demonstrando ainda mais força para o seu nome, que já possui no interior do Estado, dentro da Região Metropolitana de São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Áudio mostra servidora sendo ameaçada a perder emprego se não votar em Brandão

Áudios obtidos pelo Blog do Neto Ferreira revelam que uma servidora da Maternidade Humberto Coutinho foi ameaçada e coagida para votar a favor do governador do Maranhão e pré-candidato à reeleição, Carlos Brandão (PSB), nas eleições de 2022.

Quem aparece nos áudios é Áudrea, esposa de Marcus Brandão, irmão do governador.

A cunhada de Brandão se remete a uma funcionária da maternidade estadual, localizada em Colinas, e diz explicitamente que se ela não mudar o voto da mãe, ficará sem o emprego.

A servidora foi identificada como Yasmin e seria filha de Sebastiana, que foi candidata a vereadora na cidade colinense e atualmente apoia o senador Weverton Rocha (PDT) para o governo.

“Bom dia, Yasmin! É complicado né? Tu continuar na maternidade, porque já me mandaram aqui. Complicado, a tua mãe vai ser Weverton. Mas Yasmin, ninguém vai aceitar essa desculpa, [eleição] de prefeito já foi, tô (sic) logo te avisando! Ninguém vai aceitar essa história da tua mãe ser contra e tu ser a favor, não existe isso”, ameaçou Audrea Brandão.

Em outro áudio, a cunhada do governador volta a pressionar e relembra que foi ela quem deu a Yasmin a pedido de Sebastiana. Dá um prazo para que as duas decidam de que lado estão.

“Yasmin você mesma várias vezes pediu: ‘ah, Audreia, tem minha mãe que to (sic) ajudando, to (sic) resolvendo as coisas dela’. Seu primeiro emprego foi ela quem pediu. Não existe isso, converse com ela, se resolvam, estou só lhe avisando. Você só tem mais ou menos no final desse mês para se decidir.”

Audrea frisa que a ex-candidata não poderia ficar contra o governador por dever, uma espécie, de favor a ela.

“Agora ela ficar contra o governador, meu amigo, ela poderia ter ficado contra estadual, federal, mas o governador que é quem vai mandar na maternidade, no município. Sinto muito. Não tem justificativa, tua mãe contra! Tu não conseguiu vencer a tua mãe, então amiga infelizmente converse com a sua mãe, não dá para você continuar na maternidade, to (sic) só te avisando. Não é coisa minha não. Não existe isso, da família, a mãe contra, só tu, só teu voto.”

E completa: “Yasmin, nem vou discutir contigo, tu sabe que não humilhei tua mãe. Eu tbm falei com ela que não acreditava nela, mas não humilhei ela, não sou dessas pessoas. Agora o que ela fez comigo não se faz com ninguém, ficou me enganando até a última hora, e eu tenho a consciência tranquila, que você hoje está empregada, ganhou um monte de tempo, foi eu que ajeitei, agora foi ela que não foi correta com a gente, ela deveria ter dito desde o início.”

A esposa de Marcos Brandão finaliza dizendo que será dada a oportunidade de todos os funcionários da maternidade em votar em Carlos Brandão e quem não o fizer irá perder o emprego.

“Problema que ninguém tirou foto, nenhuma mãe de ninguém que trabalha tirou foto dizendo que é Weverton [Rocha], enquanto ninguém souber, ninguém vai acusar. A todo mundo vai ser dada a oportunidade de votar no [Carlos Brandão, agora quem não botar vai sair”.

Após essa conversa, Yasmin foi demitida da maternidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Câmara aprova medida provisória que regulamenta o teletrabalho

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (2) a medida provisória que altera as regras para a concessão do auxílio-alimentação pago aos trabalhadores e regulamenta adoção do teletrabalho pelas empresas.

O texto agora vai para o Senado. A MP precisa ser aprovada até o dia 7, para não perder a validade. A expectativa é que o Senado analise o texto ainda nesta semana.

Teletrabalho

A medida provisória regulamenta a adoção do modelo híbrido de trabalho. Os trabalhadores poderão atuar a maior parte dos dias presencialmente, e a outra parte da semana remotamente, ou vice-versa.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em 2020, primeiro ano de pandemia, 1 em cada 10 trabalhadores brasileiros ficou de “home office”.

A medida provisória estabelece ainda que a presença do trabalhador no ambiente de trabalho para tarefas específicas, ainda que de forma habitual, não descaracteriza o trabalho remoto.

De acordo com o texto, trabalhadores com deficiência ou com filhos de até quatro anos completos devem ter prioridade para as vagas em teletrabalho.

O texto também prevê:

teletrabalho poderá ser contratado por jornada, por produção ou tarefa
no contrato por produção não será aplicado o capítulo da CLT que trata da duração do trabalho e que prevê o controle de jornada
para atividades em que o controle de jornada não é essencial, o trabalhador terá liberdade para exercer suas tarefas na hora que desejar
caso a contratação seja por jornada, a MP permite o controle remoto da jornada pelo empregador, viabilizando o pagamento de horas extras caso ultrapassada a jornada regular
teletrabalho também poderá ser aplicado a aprendizes e estagiários
Como ficam os salários
De acordo com o secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Bruno Dalcomo, a MP assegura que não há possibilidade de redução salarial por acordo individual ou com o sindicato. “Não existe nenhuma diferença em termos de pagamento de salário para quem trabalha de forma presencial ou remota”, disse o secretário.

No caso do teletrabalho controlado por jornada ou por produtividade, prevalece o que for acordado em negociação individual com a empresa, mas sem mudanças na remuneração em nenhum dos casos.

Quando o trabalho remoto for controlado por jornada, valerão as mesmas regras estipuladas na intra e interjornada dos trabalhadores.

Quando o trabalho remoto for por produtividade, o trabalhador pode exercer as atividades no período em que for mais conveniente, mas também não haverá redução de salário.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Fã devolve colar de Gusttavo Lima furtado em São Luís e diz que não teve intenção

Mistério resolvido! A radialista e apresentadora maranhense Karol Sampaio contou em seus Stories que a pessoa que teria pegado o colar de Gusttavo Lima durante um show entrou em contato para devolver o item.

Em alguns áudios enviados via inbox no Instagram, a fã disse que ficou constrangida com a situação e a peça, que teria um valor de mercado avaliado em R$ 100 mil, já está nas mãos de um funcionário da equipe do cantor. Segundo ela, o ato não teria sido proposital, mas um acidente após a tentativa de puxá-lo para um abraço.

“Está aqui o colar do Gusttavo Lima. Encontrei a menina durante a tarde e estou indo encontrar com a equipe dele. A menina queria muito devolver”, disse Karol que faz parte da equipe que organizou o show do cantor no Maranhão.

“Se esse valor tem algum valor, afetivo, a gente não sabe. Mas o importante é que conseguimos entregar. Deu tudo certo”, completou.

O marido de Andressa Suita esteve em São Luís para o show da turnê “Buteco”, realizado em parceria com os artistas Léo Santana e Jonas Esticado.

O cantor passou por uma situação inusitada quando teve seu colar quebrado após descer do palco para interagir com o público. Ao ser agarrado por alguns fãs, a peça que ele estava usando se soltou. O vídeo do momento foi compartilhado no Tiktok e viralizou nas redes sociais.

“O colar veio na minha mão e fiquei nervosa. Soltei e pedi desculpas, ele estava olhando para mim”, contou a fã em áudio.

Da revista Vougue


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Preso suspeito de participar da morte de três jovens em Davinópolis

Na tarde dessa terça (2), um homem, identificado como Gabriel Leite, de 18 anos, foi preso suspeito de participar do assassinato de três jovens na cidade de Davinópolis. Amanda Sousa Cruz, Débora Vieira da Silva e Jennifer Almeida da Silva foram encontradas mortas com os mesmos sinais de violência em menos de três dias.

Segundo a Polícia Militar (PM), Gabriel foi preso em um ponto de venda de drogas localizado no Centro de Davinópolis e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil da cidade. De acordo com o depoimento prestado pelo suspeito, as três jovens faziam parte de uma facção criminosa rival e teriam tramado o assassinato dele alguns dias atrás.

Para se vingar, Gabriel convenceu Jennifer, que era sua namorada, a assassinar Débora e Amanda como uma “prova de amor”. Ainda segundo o suspeito, no dia seguinte, ele se encontrou novamente com Jennifer e a assassinou.

Na residência de Gabriel Leite, os policiais encontraram algumas bolsas femininas e um celular que pertencia a uma das jovens assassinadas. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

O crime

Nesta terça-feira (2), uma adolescente, de 17 anos, identificada como Jennifer Almeida da Silva, foi encontrada morta na cidade de Davinópolis. A adolescente foi encontrada por populares, com sinais de violência pelo corpo.

Segundo a Polícia Civil, Jennifer era amiga de outras duas adolescentes, Amanda e Débora, que também foram encontradas mortas, na noite dessa segunda (1º), na beira do Riacho Cacau, no bairro São Domingos, na região de Davinópolis. As vítimas foram encontradas, aparentemente, abraçadas dentro do riacho. Elas tinham perfurações causadas por arma branca nas regiões do abdômen, pescoço e braços.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Jair Paiva, primeiramente, as jovens Amanda e Débora sumiram, na última quinta-feira (28), e foram encontradas mortas quatro dias depois do desaparecimento.

Já a terceira vítima foi encontrada morta nesta terça, na mesma região em que os corpos das amigas dela estavam, Jennifer Almeida foi encontrada a cerca de 800 metros do local onde estavam os corpos de Amanda e Débora. As três vítimas eram moradoras da cidade de Imperatriz, na região Tocantina.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

PP veta coligações com o PT nos estados

O partido de Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro, buscava acordos com os petistas em estados como Piauí, Bahia e Ceará

O PP, partido presidido pelo minstro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, proibiu hoje as executivas locais de firmarem acordos com o PT nos estados. A manifestação é uma resposta a algumas alianças locais que estavam incomodando o presidente Jair Bolsonaro e a cúpula partidária.

“O Diretório Nacional do Progressistas informa que a sigla não irá fazer coligação com o Partido dos Trabalhadores em nenhum Estado brasileiro. O PP oficializou, por meio de convenção nacional, coligação com o PL e apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro”, afirmou a sigla por meio de nota oficial.

O partido buscava acordos com os petistas em estados como Piauí, Bahia e no Ceará. No Piauí, a sigla ingressou com uma ação no Tribunal Regional Eleitoral para desvincular a sua imagem à do presidente da República.

Como registramos há pouco, Jair Bolsonaro não gostou de Blairo Maggi ter assinado a ‘carta pela democracia’ e fechou palanque com o governador Mauro Mendes (União) no Mato Grosso.

Do Antagonista


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Homem é preso por divulgar conteúdo de exploração sexual infantil em São Luís

A Polícia Federal cumpriu um mandado de busca e apreensão e outro mandado de prisão preventiva na manhã desta quarta-feira (3), em São Luís.

A operação “CASA DE PALHA” visa reprimir crimes como estupro de vulnerável, produção, armazenamento e posterior compartilhamento de material contendo cenas de abuso sexual infantil.

O suspeito foi identificado a partir de informações compartilhadas pela ONG NCMEC (Nacional Center for Missing and Exploited Children), responsável por analisar casos suspeitos de armazenamento/disseminação/divulgação de conteúdo de exploração sexual infantil, por meio de provedores como Facebook, Whatsapp, Google, etc.

A investigação apura não apenas a produção, posse e compartilhamento de fotos e vídeos pelo suspeito, como também eventuais estupros de vulnerável por ele praticados. Ademais, fora possível individualizar até o momento ao menos três vítimas.

Diante da gravidade dos fatos, após representação da Polícia Federal, foram expedidos mandados de busca e apreensão e prisão preventiva em desfavor do investigado, com a finalidade de apreender computadores, mídias e quaisquer outros materiais relacionados a abuso sexual infantil.

O investigado poderá responder por crimes como estupro de vulnerável (art.217-A do Código Penal), assim como produção, armazenamento e compartilhamento de material contendo cenas de abuso sexual infantil (arts.240, 241-A e 241-B, todos do Estatuto da Criança e do Adolescente).

Considerando que foram identificadas ao menos três vítimas de estupro de vulnerável, além dos crimes previstos no ECA, a pena poderá ultrapassar 50 anos.

O nome da Operação “Casa de Palha” simboliza a falsa sensação de segurança sentida por indivíduos que praticam esse tipo de crime.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.