Brasil

Boate recebeu mais clientes que o permitido no dia do incêndio

Da Folha de S. Paulo

A tragédia no Sul A casa noturna Kiss, em Santa Maria (RS), onde 231 pessoas morreram em um incêndio no domingo, estava autorizada a receber até 691 pessoas, informou o comando do Corpo de Bombeiros gaúcho. Naquele dia, abrigava entre 900 e 1.000, segundo a polícia.

O plano de segurança da casa, que estava vencido, também não previa o uso de fogos em seu interior.
Um dos pontos de investigação é que a superlotação tenha impedido uma saída rápida do prédio, expondo por muito tempo as vítimas à fumaça. Elas morreram por asfixia ou intoxicação.

A casa não possuía portas de emergência, o que não é uma obrigação, desde que respeite o limite estabelecido em seu plano de segurança.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Santa Maria: o terror, a tragédia e a lição

Por Milton Corrêa da Costa

Mais de 230 pessoas -há vítimas ainda em estado grave- a grande maioria jovens estudantes, morreram no incêndio de uma boate, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na madrugada deste domingo. A maior tragédia da história do Rio Grande do Sul e a segunda maior do gênero em território nacional onde, em 17 de dezembro de 1961, um incêndio criminoso, num circo em Niterói (RJ), matou cerca de 500 pessoas, sendo 70% delas crianças.

A tragédia de Santa Maria é típica de uma cena (real) de filme de terror e de cinema catástrofe.Pânico e horror. Vítimas asfixiadas pela inalação da fumaça e queimaduras das vias aéreas, corpos incinerados, pessoas pisoteadas, imprensadas  e ensanguentadas, intenso calor, escuridão, visão limitada pela densa fumaça, gritos, terror, superlotação do ambiente,espetáculo pirotécnico inadequado com uso de fogos de artifícios, seguranças impedindo a saída do recinto, plano de emergência ineficaz. Um cenário trágico e pavoroso.

Resultado: preciosas vidas perdidas e todo um país de luto. Tudo em poucos minutos, numa tragédia previsível e evitável; há informações de que a lotação da boate excedia o limite permitido onde pessoas sequer podiam de locomover e se espremiam durante o show.  Note-se que quem morreu ou se feriu gravemente foram jovens na flor da idade, que ali estavam na busca da diversão e do lazer. Os que lá estavam e lograram sobreviver, terão agora as lembranças e as sequelas- algumas para o resto de suas existências- do choque emocional, do medo, das cenas de terror, do abalo emocional, da angústia, além da ausência de parentes e amigos que resultaram mortos.

A questão é que tragédias como estas não são fatalidades. São tragédias evitáveis. Quem cumpre e quem fiscaliza, permanentemente, com todo rigor, as normas técnicas de prevenção e combate a pânico e incêndio? Haviam  profissional, bombeiro civis, contratados especificamente para um local de eventos fechado e de grande capacidade de público? Qual é a responsabilidade do proprietário da boate? E dos promotores do evento? Autoridades tinham ciência do número de pessoas que compareceriam ao evento? Concederam autorização? Fiscalizaram preventivamente in loco? Os alvarás e licenças para funcionamento do local estavam em dia? Os extintores de incêndio funcionavam perfeitamente?

Parece que todo esse cuidado e prevenção é querer demais para uma cultura de ilusão de invulnerabilidade como a nossa. Pois bem, choremos agora, todos nós brasileiros, pela morte dos jovens e invoquemos o pesar às famílias tristemente enlutadas. Que o inquérito técnico e o inquérito policial determinem causas e as responsabilidades de cada um e que tal tragédia sirva de lição e de divisor de águas para que episódios semelhantes não voltem a ocorrer. A boa prevenção evita as ditas “fatalidades”. O Brasil está de luto. Profundamente lamentável.

Milton Corrêa da Costa é tenente coronel da reserva da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Fogo mata 250 em boate no RS

Do G1 RS

Momentos em que bombeiros trabalhavam para acabar com o fogo.

Momentos em que bombeiros trabalhavam para acabar com o fogo.

O número de mortos no incêndio que atingiu a boate Kiss em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, já chega a 200, segundo o major Cleberson Bastianello, comandante do BOE da Brigada Militar. O número total de vítimas ainda é desconhecido e há centenas de feridos sendo atendidos nos hospitais da cidade. A polícia e o Corpo de Bombeiros ainda trabalham no local, checando as circunstâncias do fogo e retirando corpos da área.

“Nós temos 180 corpos aqui. Pessoas foram levadas em óbito ou feridas para os hospitais da região. Mas repito: esse é o número de mortes que temos aqui. Infelizmente poderá aumentar”, disse em entrevista coletiva o major Bastianello.

O número de pessoas que estavam na boate ainda não foi confirmado pelos autoridades. A festa reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de pedagogia, agronomia, medicina veterinária, zootecnia e dois cursos técnicos.

Todos os hospitais da região estão recebendo as vítimas. São ao menos seis casas de saúde. Voluntários estão auxiliando os trabalhos na cidade. “Estamos mobilizando todo o estado, temos hospitais de diversas regiões se disponibilizando para ajudar. De Canoas, Santo Ângelo, Santa Cruz, enfim. Todos estão colaborando para oferecer o melhor atendimento possível. Os trabalhos são intensos e é preciso uma mobilização muito grande”, ressaltou o Secretário Estadual da Saúde, Ciro Simoni, em entrevista à Rádio Gaúcha.

O Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, que tem uma unidade especializada em queimaduras, também receberá feridos.

Segundo informações preliminares, o fogo teria começado por volta das 2h30 quando o vocalista da banda que se apresentava fez uma espécie de show pirotécnico, usando um sinalizador. As faíscas atingiram a espuma do isolamento acústico no teto do estabelecimento e as chamas se espalharam.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

BNDES libera R$ 156 bi em 2012

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) alcançaram a marca de R$ 156 bilhões em 2012, com crescimento de 12% na comparação com o ano anterior. As consultas, com alta de 60%, e as aprovações de novos projetos, que cresceram 58% em relação a 2011, atingiram níveis sem precedentes na história do Banco. Os indicadores refletem a forte disposição de realização de investimentos por parte do empresariado brasileiro.

Os setores de Indústria e de Infraestrutura absorveram, juntos, 65% (R$ 100 bilhões em termos absolutos) do total desembolsado pelo Banco em 2012. Na Infraestrutura, os líderes foram os segmentos de energia elétrica (com R$ 18,9 bilhões desembolsados) e transporte rodoviário (R$ 15,5 bilhões). Química e petroquímica (R$ 8,5 bilhões) e material de transporte (R$ 7 bilhões) foram destaques nas liberações da Indústria no ano passado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Ameaça de Alessandro Martins é destaque no “A Tarde é Sua”

O programa “A Tarde É Sua” apresentado por Sônia Abrão, na RedeTV, de segunda a sexta, ás 15h, levou ao ar denúncia feita em que o empresário Alessandro Martins teria ameaçado de morte a ex-BBB Roberta Brasil.

O dono da extinta concessionária de automóveis Euromar, foi bastante criticado pela apresentadora que classificou como absurdo o relato feito por Robert Brasil da qual diz ter vivido em espécie de cárcere privado dentro de uma apartamento luxuoso no edifício Two Towers, que fica localizado na Ponta D’areia, em São Luís.

Revoltada, Sônia chegou a comentar sobre a prisão de Alessandro Martins, em flat no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro, após cometer crimes contra o fisco estadual, estelionato, formação de quadrilha e outros.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Lipoaspiração volta a ser cirurgia plástica mais realizada no Brasil

A lipoaspiração desbancou a prótese de silicone e voltou a ser a cirurgia plástica mais popular no Brasil. Ela já tinha ocupado o posto de campeã em 2004, caiu em 2007 e voltou a liderar em 2011, segundo informou a Folha de S. Paulo.

Em quatro anos, o número de cirurgias plásticas no país quase dobrou: passou de 629.287, em 2008, para 905.124, em 2011.

Em 2011, foram feitas 211.108 lipos contra 91.800 em 2007–um aumento de 130%. No mesmo período, foram 148.962 cirurgias de aumento de mama (um crescimento de 54,5%).

Mortes

Ao mesmo tempo em que se populariza, a lipo também acumula mortes, muitas vezes atribuídas à imperícia profissional ou à falta de condições do local onde é feita.

Por ano, oito pessoas morrem no país durante o procedimento, segundo a Isaps. A SBCP ainda prepara um levantamento do número de mortes e das possíveis causas associadas a elas.

Para José Horácio Aboudib, presidente da SBCP, a banalização do procedimento é a principal responsável por mortes e outros problemas.

“A lipo é feita por muitos médicos que não são cirurgiões plásticos e que não receberam treinamento adequado. O local também é negligenciado. Você não vê paciente morrendo no Einstein, no Sírio ou em outros hospitais de ponta.”

Para Carlos Uebel, as mortes preocupam mas são poucas em relação ao número de procedimentos realizados.
“Temos um dos menores índices do mundo, mas é um problema sério: 85% das denúncias [de mortes ou intercorrências] que chegam ao Cremesp [Conselho Regional de Medicina] são de médicos que não têm especialidade em cirurgia plástica.”

Ele explica que a lipo tem limitações nem sempre respeitadas. “Eles podem ultrapassar os 5% [de retirada de gordura] do peso corporal, operam fora do ambiente hospitalar e sem a presença do anestesista. É uma técnica muito segura, desde que feita adequadamente.”


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Santa Inês, Pinheiro, Lago do Junco, Poção de Pedras, Arari e Itapecuru recebem FPM zerado no 1º repasse

Tabela do não pagamento das prefeituras.

Tabela do não pagamento das prefeituras.

Ta explicado um dos motivos que levou prefeitos ao desespero por constatar que o repasse do FPM ao município não havia sido creditado na data religiosa. Prova disto, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) que luta ha tempos pelo não atraso dos repasses do governo federal aos Municípios, se deparou com mais uma situação de desespero ao constatar que seis municípios do Maranhão tiveram o primeiro repasse de janeiro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) zerado.

Dos 217 municípios do Maranhão que receberam em janeiro do dia 10 o FPM, Santa Inês, Pinheiro, Lago do Junco, Poção de Pedras, Arari e Itapecuru não receberam sequer R$ 1 real em virtude da retenção do parcelamento com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Para o presidente da Confederação, Paulo Ziulkoski, “grande parte destes Municípios tem no FPM a principal fonte de receita e este bloqueio acaba causando um enorme problema financeiro”, explica o presidente da entidade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Falta uma cultura de educação, fiscalização e engenharia de trânsito no Brasil

Por Milton Corrêa da Costa

Conforme matéria de destaque de O Globo, no domingo 13/01/13, apenas 0,3% do arrecadado pela prefeitura do Rio, com multas, no ano de 2012 (R$ 174.4 milhões), foram destinados à ações educativas de trânsito. O problema é evidentemente cultural. O motorista brasileiro, por deficiência de formação, tem um perfil voltado para a conduta imprudente e deseducada no trânsito. Falta preparação pedagógica de crianças e adolescentes para o comportamento seguro como pedestres e ciclistas e como futuros motoristas.

Os governos, dos três níveis, além de pouco investirem, não têm estrutura adequada para desenvolver tal importante atribuição, havendo carência de profissionais especializados para ministrar, de forma pedagógica, educação, legislação e segurança de trânsito que são temas obrigatórios em currículos interdisciplinares e que devem fazer parte do conteúdo programático em escolas de primeiro grau, no ensino médio e nas universidades. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê isto em seu Artigo 76, quando trata da educação de trânsito. Poucos cumprem.

É preciso levar mais a sério tal dispositivo do Código e chamar a atenção da população brasileira para a brutalidade dos acidentes de trânsito. Depois de adultos, já deformados pela imprudência, agressividade e deseducação, burlando leis de trânsito, dirigindo em excesso de velocidade, pelo acostamento de rodovias e ultrapassando em locais proibidos, só fiscalização permanente e multas pesadas, que reflitam no bolso, talvez os levem à mudança comportamental. A Lei Seca só é respeitada em alguns estados da federação por sua maior ação de fiscalização e pelo alto valor da multa e pela possibilidade da suspensão do direito de dirigir. Isso é fato real. Apesar de todo rigor muitos motoristas continuam bebendo e dirigindo e causando tragédias, pela deformidade compulsiva de burlar a lei.

É urgente, portanto, desenvolver também campanhas educativas de trânsito, de caráter permanente, em horários nobres de televisão, tipo das existentes na República Tcheca e na Espanha com imagens fortes, tristes e chocantes de acidentes de trânsito. Na Austrália há um vídeo mostrando, por exemplo, os cuidados necessários com o transporte de crianças no carro. Algumas celebridades, que se envolveram em graves acidentes de trânsito, também poderiam se dispor a relatar, durante as campanhas, suas amargas experiências numa mea culpa dos atos imprudentes cometidos ao volante.

Por outro lado, o país possui rodovias e vias urbanas inseguras, muito mal pavimentadas e sinalizadas. No acidente da sexta-feira (11/01/13) que matou seis pessoas de uma mesma família, entre elas duas crianças, numa colisão de veículos em sentidos opostos, na Via Lagos, em Araruama, município do Estado do Rio de Janeiro,a rodovia não possui mureta divisória de pista, o que é um erro de prevenção e engenharia injustificável.

No âmbito do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, os órgãos municipais, responsáveis pela engenharia de trânsito, como é o caso na prefeitura do Rio, ainda não cumpriram totalmente, embora o prazo tenha se expirado, a Lei do Temporizador, (5818/10), de autoria do Deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha. Tal lei, de caráter educativo-preventivo, prevê que os pardais eletrônicos,, que registram o avanço do sinal, só podem ser instalados onde os semáforos possuam temporizador digital de contagem regressiva. Os pardais existentes, anteriores à lei, já deveriam também estar de acordo a nova regra.

Falta, portanto, uma cultura de educação, de fiscalização e de engenharia de trânsito no país, onde a barbárie dos acidentes, com média de 40 mil mortos.ano, resulta numa grave e permanente epidemia de perdas de preciosas vidas, pela imprudência e pela insensatez.

Como notícia promissora, após a denuncia de O Globo (14/01), revelando que a prefeitura do Rio investiu apenas 0,3% do arrecadado com multas em 2012 em ações educativas, a Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, vai discutir em Brasília

a possibilidade de promover uma alteração no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), fixando um percentual mínimo para ser aplicado em ações educativas a partir das receitas obtidas com a cobrança de multas. A questão será levada ao Congresso Nacional pelo deputado Hugo Leal (PSC/RJ). Que tal proposta vire de fato realidade.

Finalmente, aqui vale ressaltar as declarações do médico Carlos Alberto Lobo Jardim, ex-presidente da Associação Brasileira de Ortopedia, quando disse: “A arredação de multas é alta, mas nem de longe supera as despesas para tratar vítimas de graves acidentes. E a experiência nos hospitais mostra que aqueles pacientes que se envolvem em acidentes graves dificilmente são reincidentes. Ou seja, são educados pela pior experiência possível, disse Jardim ao jornal O Globo.

Milton Corrêa da Costa é tenente coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro e estudioso em segurança de trânsito.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Carlinhos Brown elimina Mayara Prado do The Voice Brasil

Foi eliminada ontem (25), do The Voice Brasil, da Rede Globo, a cantora do gênero sertanejo universitário, Mayara Prado.

A decisão em tirar Mayara da final, foi dada por Carlinhos Brown.

Para milhares de maranhenses que acompanham a brilhante trajetória da cantora, foi classificada como deplorável decisão na escolha de Dani Moraes, que cantou tirando proveito da musica de Ivete Sangalo, que é baiana.

Carlinhos Brown que é tido como excelente compositor, desta vez errou ao despachar alguém que mostrou desde o inicio do programa está preparada para fazer carreira artísticas em projeção nacional. Que pena.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.