Notícias

Prefeitura do marido de Iracema recebeu R$ 1,1 milhão ilegalmente do pós-Covid, diz PF

Esquema orquestrado na Prefeitura de Belágua, administrada por Hérlon Costa Lima (PSC), pode ter deixado um rombo milionário nos cofres da Saúde.

Investigação da Polícia Federal aponta que um grupo criminoso inseria dados falsos nos sistemas do Sistema Único de Saúde (SUS), visando ao recebimento a maior de recursos do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação – FAEC, relativos aos procedimentos de reabilitação do “pós-covid”, em Belágua.

Segundo a autoridade policial, foi constatado que o município, que conta com menos de oito mil habitantes, teria registrado, de janeiro a maio de 2022, mais 50.948 procedimentos de reabilitação pós-covid e processou mais de R$ 1 milhão para o recebimento de recursos do FAEC. No entanto, a cidade só possui um fisioterapeuta.

O valor é superior à verba repassada para vários estados do país, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

Para a PF e da CGU, Belágua recebeu indevidamente R$ 1.105.062,12 milhão nesses cinco meses e o valor pode ter sido desviado.

Com base nesses dados, a Polícia Federal juntamente com a Controladoria Geral da União deflagraram a operação Fator Comum nesta quarta-feira (5) nas cidades de Belágua, São Luís e Vargem Grande.

Na ação, uma pessoa foi presa, servidores públicos foram afastados de suas funções e mandados de buscas e apreensão foram cumpridos por determinação da Justiça Federal.

One thought on “Prefeitura do marido de Iracema recebeu R$ 1,1 milhão ilegalmente do pós-Covid, diz PF

  1. O “erro” do digitador garantiu um mandato de deputado, um presidência …. se digitador continuar errando o Maranhão terá que aumentar a quantidade de vagas na assembléia legislativa !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *