Notícias

PGJ abre investigação contra prefeito de Porto Franco por suspeita de estelionato e falsidade ideológica

A Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) instaurou uma investigação contra o prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo por suposta prática de falsidade ideológica, assédio moral, e estelionato.

O procedimento investigatório criminal (PIC) está sob o comando do titular da Assessoria de Investigação dos Ilícitos praticados por agentes políticos detentores de foro privilegiados da PGJ, promotor Fábio Henrique Meirelles Mendes.

Segundo o documento, o prefeito está sendo investigado por suposta afronta ao art. 1º, inciso XIV, do Decreto-Lei nº 201/67, que dispõe sobre descumprimento de ordem judicial. “Negar execução a lei federal, estadual ou municipal, ou deixar de cumprir ordem judicial, sem dar o motivo da recusa ou da impossibilidade, por escrito, à autoridade competente”, versa.

O gestor de Porto Franco também é suspeito de cometer o crime de estelionato que, segundo o art 171 do Código Penal, é “obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento: Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa”.

A PGJ também apura se Deoclides praticou falsidades ideológica e assédio moral durante o seu mandato.

As investigações podem durar até 90 dias para serem concluídas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *