Educação

Censo Escolar: 3 milhões de alunos estão fora da escola

O censo foi divulgado nessa semana pelo Ministério da Educação (MEC).

Agência Brasil

28082015-dsc_6450_0

Os dados do Censo Escolar de 2015 mostram que as matrículas diminuiram em todas as etapas de ensino, menos na creche, que atende as crianças até os 3 anos de idade. Os números refletem a queda da população, em geral, que tem reduzido entre criança e jovens, mas, de acordo com especialistas refletem também desafios para o sistema educacional. São 3 milhões de crianças e jovens de 4 a 17 anos fora das salas de aula, e que, por lei, deverão ser incluídos até este ano. O censo foi divulgado nessa semana pelo Ministério da Educação (MEC).

As idade mais críticas são 4 anos, 690 mil de crianças não são atendidas, e 17 anos, em que 932 mil adolescentes deixaram os estudos. O censo mostrou que a pré-escola, voltada para crianças de 4 e 5 anos, teve uma redução de 1% de matrículas em relação a 2014, passando de 4,96 milhões para 4,92 milhões, aproximadamente. Foi a primeira queda desde 2011. O ensino médio, que já reduzia as matrículas pelo menos desde 2010, teve, desde então, a maior queda, entre 2014 e 2015, de 2,7%. O número de estudantes passou de 8,3 milhões para 8,1 milhões.

“Nos dois casos, ainda tem um percentual alto de crianças fora da escola e a gente não pode desperdiçar essa janela de oportunidade, de conseguir inserir mais crianças na rede escolar”, diz a superintendente do Todos Pela Educação, Alejandra, Meraz Velasco. A educação até os 17 anos é obrigatória no Brasil de acordo com a Emenda Constitucional 59 e com o Plano Nacional de Educação (PNE). Termina neste ano o prazo previsto no PNE para que todas as crianças e jovens de 4 a 17 anos estejam matriculados.

Crise
Para o coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, a crise orçamentária pela qual passam tanto União, quanto estados e municípios, impacta a educação. “Não só na redução das matrículas, mas na dificuldade de expansão. Ao invés de estarmos diminuindo ou patinando, precisaríamos aumentar o número de matrículas”, diz.

Cara ressalta que isso é necessário até mesmo no ensino fundamental, tido como universalizado. “Temos 1% das crianças fora da escola, não pode sobrar ninguém. Para aquele 1%, a educação é definitiva para várias possibilidades na vida. Educação não pode ser secundarizada, tem que ver as opções orçamentárias que o Brasil faz”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Escola infantil de Capinzal do Norte está em estado precário

A escola está completamente abandonada.

IMG-20160328-WA0010

Caos. Essa é a palavra que define a atual rede de ensino municipal de Capinzal do Norte.

A Unidade Escolar Domingos Soares, localizada no Povoado Santa Cruz, naquela cidade, é única unidade de ensino infantil da região e está em situação de calamidade pública.

Os banheiros são improvisados com lonas pretas, pois o único que existe não funciona; não há salas de aula e nem bebedouros. A água é armazenada em galões sem qualquer higiene. Além disso, segundo informações, os alunos não tem merenda escolar.

A escola está completamente abandonada.

IMG-20160328-WA0006

IMG-20160328-WA0007

IMG-20160328-WA0003


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação / Poder / Política

Alunos e professores denunciam a precariedade da Educação em Pedro do Rosário

Só no ano passado, o Município recebeu quase R$ 30 milhões do Governo Federal para a Educação

10403587_843714172349567_7258843234735116814_n

Prefeito Irlan

As escolas municipais de Pedro do Rosário estão numa situação caótica. Além das péssimas condições estruturais, faltam merenda de qualidade, água e até banheiros. A situação está insustentável e compromete o aprendizado das crianças e adolescentes que dependem das unidades de educação do Município. Alunos e professores sofrem com o descaso e falta de compromisso da gestão municipal, que é comandada pelo prefeito Irlan Serra.

Uma aluna indignada denunciou que as escolas não tem nada. “É uma vergonha. Não tem água, o banheiro não presta, não tem ventilador e nem merenda. Não tem nada na escola”. Ela ainda relatou que há poucos dias uma aluna chegou a passar mal na unidade por causa do calor. “Mesmo no inverno faz calor. Imagina como vai ser no verão”, disparou.

O discurso se repete com os funcionários. “Se quer ver a atual administração é só dar uma olhada nas escolas. Já está com mais de 20 dias que as aulas começaram e não tem merenda, água e nem banheiro. A escola Pedro Cunha, que é a maior do Município, está parecendo com o presídio de Pedrinhas. A unidade está sucateada, e não só ela, mas todas as escolas da sede” desabafou uma servidora do Município.

O prefeito Irlan deve explicar o que fez com os recursos federais destinados ao Município no ano de 2015, que totalizaram R$ 56.560.892,25. Só para a Educação, o Governo Federal destinou a quantia de R$ 29.546.946,68. A maior parte, R$ 24.931.447,52, proveniente do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB). Os alunos e servidores se queixam da falta de merenda, mas o intrigante é que o Governo Federal destinou R$ 1.190.192,00 do Programa Nacional de Alimentação Escolar. Afinal, onde foram parar esses recursos?

pedro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Flávio Dino nomeia 1.500 professores aprovados no concurso

Os profissionais foram aprovados no último concurso promovido pela Secretaria de Estado de Educação e terão uma remuneração de R$ 5.000 mil.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, acabou de nomear 1.500 professores da rede estadual de ensino. O anúncio foi feito por meio das rede sociais do gestor.

Os profissionais foram aprovados no último concurso promovido pela Secretaria de Estado de Educação e terão uma remuneração de R$ 5.000 mil.

“Nomear nos termos do inciso I do art. 12 da Lei nº 6.107, de 27 de julho de 1994, para a Secretaria de Estado de Educação, a fim de exercerem o cargo de Professor, do Quadro de Cargos Estatuários do Poder Executivo, os candidatos aprovados e classificados no concurso público regido pelo Edital nº 01, de 6 de novembro de 2015, publicado na Edição nº 205 do Diário Oficial do Estado, conforme Anexo Único deste Ato.”, afirmou o governador Flávio Dino no ofício publicado.

DINO


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Escola é abandonada pela Prefeitura de Capinzal do Norte

Mais uma vez a situação de uma escola do Maranhão é alvo de denúncia. O caso agora é no Povoado Ipiranga, no município de Capinzal do Norte.

O abandono toma conta da Unidade Escolar Tomás Moreira, que está velha, suja e precária. Os banheiros estão completamente impróprios para uso. A merendar é armazenada de forma irregular. Não há bebedouros no local. A água dada às crianças é colocada dentro de galões, permitindo assim proliferação de bactérias.

Esse é o retrato do descaso da Prefeitura de Capinzal do Norte para com a educação municipal. Agora cabe ao Ministério Público ir em loco verificar as condições da escola, para que assim o gestor público cumpra com o seu dever que é de dar uma educação de qualidade para a população da cidade.

Veja as fotos e o vídeo que retratam as condições da escola:

IMG-20160318-WA0010

IMG-20160318-WA0012

IMG-20160318-WA0016

IMG-20160318-WA0017


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Professores do Programa Segundo Tempo cobram salários atrasados à Seduc

Além das pendências salarias, os professores que atuam como monitores no PST queixam-se também dos baixos valores pagos pelo Governo do Estado aos profissionais.

segundo tempo

Professores de Educação Física que atuam no Programa Segundo Tempo (PST) reclamam dos salários atrasados. A pendência financeira ocorre desde novembro de 2015, conforme denúncias recebidas pelo Blog.

Além das pendências salarias, os professores que atuam como monitores no PST queixam-se também dos baixos valores pagos pelo Governo do Estado aos profissionais. Eles recebem uma média de R$ 450 mais um vale de R$ 70.

A situação demonstra uma falta de respeito do Governo com a categoria, que além de ganhar uma mixaria ainda recebe com muito atrasado. Os professores de Educação Física do Programa Segundo Tempo estão indignados. Eles relatam que procuraram o adjunto da pasta de Educação, diversas vezes,mas não obtiveram nenhuma resposta satisfatória, apenas embromações.

O Programa Segundo Tempo é uma ação do Governo Federal que tem por objetivo democratizar o acesso à prática e à cultura do Esporte de forma a promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens, como fator de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida, prioritariamente em áreas de vulnerabilidade social.

No Maranhão, o Programa é realizado em 150 núcleos, distribuídos nos quatro municípios da Região Metropolitana: São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar. Cerca de 15 mil crianças e adolescentes da rede pública de ensino, com idade entre 6 e 17 anos são beneficiados no Estado.

Mas, com tamanho desrespeito aos profissionais que atuam no Projeto no Maranhão, as ações podem ser interrompidas.

73166d96f5ec66f3527b56a9fe8400af


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Alunos reclamam do abandono de escola em Peritoró

Indignados com a atual situação em que se encontra a escola, os estudantes fizeram um manifesto clamando por socorro.

convenção peritoró (199)

Prefeito de Peritoró, Jozias Oliveira.

A educação brasileira está sucumbindo diante do descaso do Poder Público. Crianças e adolescentes estão sendo submetidos a um ensino de péssima qualidade, a escolas precárias, degradantes, sem qualquer estrutura física digna.

A escola municipal Mendonça, localizada na zona rural da cidade Peritoró, é um exemplo concreto do abandono e da falta de sensibilidade por parte da Prefeitura. O local, feito de taipa, é totalmente impróprio para ministrar uma aula e para os alunos estudarem. Não há banheiro, cozinha, quadro, salas que diferenciam as séries, e carteiras.

Indignados com a atual situação em que se encontra a escola, os estudantes resolveram fazer um manifesto clamando por socorro. “Estamos precisando de carteira, de um banheiro, de uma escola. A gente está estudando em um casebre” afirma um aluno revoltado no vídeo gravado dentro da escola.

Outra aluna fala das péssimas condições físicas do local e diz que outro estudante machucou a boca em uma das carteiras quebradas.

O depoimento dessas crianças é revoltante. É necessário uma ação de urgência por parte do Ministério Público no município de Peritoró, uma vez que o prefeito Jozias Lima Oliveira não tem arcado com o seu compromisso, enquanto gestor público, de garantir uma educação de qualidade para crianças e adolescentes, assim ferindo o Art. 53 da Lei 8.069/90, onde afirma que a criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho.

Diante de tais informações, fica um questionamento: se os Governos Federal e Estadual repassam verbas para os municípios com o objetivo de custear demandas da educação, então porquê a gestão municipal não aplica, proporcionando, assim, um ensino digno aos cidadãos de Peritoró?

Confira o vídeo abaixo:

IMG-20160308-WA0012

IMG-20160308-WA0013

IMG-20160308-WA0015

IMG-20160308-WA0016


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Escolas de Cajari estão abandonadas

Os locais estão sujos, velhos, deteriorados. Não tem cozinha e muito menos banheiro.

12784415_10208756282012251_1352014095_n

As escolas de taipas, denunciadas pela TV Globo durante o programa Fantástico, em 2014, continuam sendo uma triste realidade para os maranhenses.

Na zona rural do município de Cajari, em especial nos Povoados Regalo, Canarana e São João dos Costas, os alunos estudam em locais completamente sujos, deteriorados, sem estruturas físicas adequadas. Não tem cozinha e muito menos banheiro.

Segundo denúncias, uma escola é abrigada em uma igreja, que está sem receber o aluguel há dez meses, pois a gestão municipal não conseguiu construir um local digno para que os estudantes pudessem assistir às aulas.

Os professores, que também estão sujeitos a passar por essa situação humilhante, estão há seis meses sem receber o salário.

Um absurdo! É necessário que o Ministério Público tome alguma atitude em relação ao caso, pois a Prefeitura de Cajari abandonou a educação do município.

12736169_10208756282052252_652621013_n

12767287_10208756282212256_405957162_n

12767595_10208756282172255_2089053211_n

12784271_10208756282132254_276551831_n

12784580_10208756282332259_439367547_n


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Prefeitura realiza VIII Congresso Municipal de Educação em Trizidela do Vale

Entre os dias 1 a 4 de março, a Prefeitura de Trizidela do Vale, por meio da Secretaria Municipal de Educação, irá promover o VIII Congresso Municipal de Educação.

O evento acontecerá no Auditório da cidade e contará com diversos palestrantes, como a professora Silvânia Campelo, o Dr. Emmanuel Sabino, do país Mocambique.

Além destes nomes, o Congresso receberá ainda os professores Alainy e Joiza Leitão, Hamilton Werneck, Alex Corrêa e Paulo Bazar.

O evento visa discutir novas formas de inovar e melhorar a Educação no município, proporcionando, assim, um ensino de qualidade para os alunos.

Portanto, não perca esta oportunidade de colaborar com o ensino de Trizidela do Vale.

IMG-20160228-WA0001


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Educação

Prefeitura de Trizidela do Vale leva os ônibus escolares para vistoria do Detran

A gestão pública do município foi a primeira, entre as cidades do Maranhão, a encaminhar os veículos ao Detran.

695a7e75afb1a92f40800b6d2e31a4af

A Prefeitura de Trizidela do Vale é a primeira Administração Pública, entre as cidades do Maranhão, a encaminhar os ônibus escolares para que os veículos passem por vistorias no Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

A medida visa promover mais segurança ao alunos, que dependem dos ônibus para ir e vir das escolas. “Nós presamos pela segurança e bem-estar das crianças e adolescentes de Trizidela do Vale. Por isso, os veículos foram encaminhados o mais rápido possível ao órgão competente” afirmou o prefeito da cidade, Fred Maia.

Após as vistorias, os ônibus já estão aptos a transportar os estudantes.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.