Brasil

Para Aécio, Dilma fez campanha eleitoral ao falar de pré-sal na TV

Aécio Neves.

Aécio Neves.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que ensaia concorrer à presidência em 2014, criticou nesta terça-feira (22) o pronunciamento de Dilma Rousseff em cadeia nacional para comentar o leilão de Libra que ocorreu ontem.Segundo o senador, a “presidente Dilma Rousseff contraria a legislação em vigor e apropria-se, indevidamente” da rede, para fins eleitorais. Ontem, a presidente afirmou em pronunciamento que o leilão não era uma privatização do petróleo brasileiro, mas uma grande conquista para o país.

Segundo Aécio, a presidente deveria ter falado da “imensa desvalorização” da empresa sob a administração petista –segundo dados da Economatica, o valor de mercado da empresa cresceu 336% desde 2003.

Ontem, ele já havia feito críticas ao governo, quando declarou que o leilão trouxe o reconhecimento do governo, “ainda que tardio e envergonhado, da importância do investimento privado para o desenvolvimento do país”.

“O atraso na realização do leilão e as contradições do governo vêm minando a confiança de muitos investidores e, no caso da Petrobras, geraram uma perda imperdoável e irrecuperável para um patrimônio construído por gerações de brasileiros”, disse.

Já o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) afirmou que o interesse do governo é somente a produção superavit primário. Já o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), afirmou que “o governo está de olho no bônus que aferirá com a privatização desse patrimônio denominado Libra.”

Crítico do governo, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse que a gestão Dilma é “neoliberal”, e não progressista, como alardeado na campanha da presidente.

Em contrapartida, o ministro Aloizio Mercadante (Educação) disse hoje que o “êxito” do leilão de Libra permitirá que o país “dê um salto extraordinário nos investimentos feitos em educação”.

EDUARDO CAMPOS

Já o também presidenciável Eduardo Campos, governador de Pernambuco, disse em nota e em uma publicação em seu perfil no Facebook que o modelo “precisa ser aperfeiçoado” para que haja participação de mais grupos.

“Acho que todos brasileiros e brasileiras viram com muita decepção, ontem, uma área gigante do pré-sal, o campo de Libra, ser leiloada pelo preço mínimo e sob um processo pouco debatido com a sociedade”, afirmou o presidenciável na rede social.

O governador pernambucano colocou em dúvida a destinação dos recursos do pré-sal, que deveriam ir para saúde e educação: “A gente percebe que o dinheiro vai terminar compondo a questão fiscal dura que o país atravessa, apenas amenizando a falta de caixa do governo. E isso nos preocupa”.

Folha.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Lobão pode se equivocar com leilão do pré-sal

Edison Lobão.

Edison Lobão.

Pode ser um equivoco as palavras do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ao dizer que o governo acredita no sucesso do leilão do pré-sal

Prova do equivoco do ministro é a ausência de grandes empresas no leilão, a exemplo das britânicas BP, BG, Exxon Mobil e Chevron. O campo de Libra, um dos pré-sal que as gigantes sequer tem interesse, é destacada por Lobão como uma das principais.

“O governo está plenamente convencido do sucesso que ocorrerá no leilão de Libra, estimulado pelo interesse demonstrado pelas empresas inscritas”, disse Lobão.

Para analistas, o leilão fica sem concorrentes de peso após o anuncio de grandes petroleiras deixaram de participar da inscrição do leilão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.