Maranhão

Estudante frauda matrícula na UFMA e Ministério Público Federal pede cancelamento

Foto ilustrativa_ sala de universidade

Foto ilustrativa_ sala de universidade

A aluna Ivana Santos Vale do curso de Medicina da Ufma, Campus Pinheiro, estava matriculada na instituição de ensino após ingressar pelo sistema de cotas da rede pública de ensino, quando na verdade cursou o ensino médio em instituição privada.

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), pediu à universidade o cancelamento da matrícula da estudante. A investigação do MPF/MA constatou que Ivana Santos Vale apresentou, no momento da matrícula, um certificado de conclusão de curso falso, em nome do Centro de Ensino Rio Amazonas, escola da rede pública estadual de ensino no município João Lisboa (MA). Entretanto, a Secretaria de Estado da Educação – Unidade Regional de Imperatriz, informou que não consta nos registros dos certificados da escola pública o nome da estudante.

Na verdade, Ivana estudou no Centro de Ensino Upaon-Açu, em São Luís, em três séries do ensino médio entre 2009 e 2011. A informação foi confirmada pela direção da escola.

Além do cancelamento de matrícula, também foi determinada a instauração de procedimento de investigação criminal para apurar eventual prática de ilícito penal.

Para o procurador da República Juraci Guimarães as ações afirmativas por meio do sistema de cotas para pessoas negras ou pardas que cursaram o ensino médio em escola pública visam reparar histórica injustiça nacional e devem ser severamente reprimidas quando utilizadas como subterfúgio para favorecimento de pessoas que não se enquadram em seus requisitos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Presa quadrilha que fraudava sinais da TVN e NET

Equipamentos encontrados na casa de Cícero Moraes Lima Júnior

Equipamentos encontrados na casa de Cícero Moraes Lima Júnior

Foi preso em flagrante na manhã desta quarta-feira (15), o membro de uma quadrilha que furtava equipamentos de TV a cabo, telefonia e internet e fraudava empresas do segmento na cidade.

Cícero Moraes Lima Júnior (30 anos), é o principal acusado. Com ele foram apreendidos mais de 100 itens entre controles remotos, equipamentos de TV e outros componentes furtados das empresas TVN e NET, e que se encontravam na residência do acusado no momento da diligência da polícia, no bairro da Ilhinha – São Francisco.

Funcionário de uma das empresas citadas, Jacir da Costa Magalhães é acusado de ajudar a quadrilha na codificação dos sinais vendidos sob fraude.

Segundo o delegado, “a quadrilha emitia Ordens de Serviço falsas dentro das empresas para clientes verdadeiros e com este documento, iam até o cliente e informavam que o aparelho de internet / telefonia / TVa cabo precisava ser trocado. O cliente sem saber de nada permitia a troca, e os fraudadores assim retiravam um aparelho com sinal codificado e que ia ser repassado de forma pirata a outro comprador do golpe. Em lugar daquele aparelho retirado, os fraudadores deixavam outro semelhante mas desligado. O golpe só era descoberto quando o cliente reclamava que estava desconectado”, resumiu o delegado Paulo Roberto Carvalho, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Veja os nomes dos envolvidos na fraude de nomeações do estado

O Ministério Público do Maranhão ofereceu Denúncia contra a ex-funcionária pública Carlinda Tavares França Freitas, que exerceu o cargo de supervisora de Recrutamento e Redistribuição de Pessoal da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (Segep), e mais 23 professores e supervisores escolares, que teriam sido beneficiados por fraude praticada pela servidora em suas nomeações.

Após a instauração de Procedimento Investigatório Preparatório, em agosto de 2013, convertido em Inquérito Civil, o Ministério Público constatou que Carlinda Freitas, valendo-se de sua função, fraudou atos de nomeações e, com estes, preparou termos de posse a pessoas não aprovadas em concurso público. Um processo administrativo-disciplinar aberto na Segep em 2013, para verificar a conduta da servidora opinou pela sua exoneração, o que se concretizou por meio de portaria do órgão datada de 16 abril de 2014.

Os outros denunciados são os professores que pagaram a primeira denunciada para serem empossados. Veja abaixo o nome dos envolvidos no esquema:

Carlinda Tavares França Freitas, estão sendo denunciados pelo Ministério Público na Ação Penal os seguintes profissionais da educação: Karini da Silva Pinto; Suian Maria Tavares da Silva Sousa; Leila Rodrigues Martins; Francisco Aurisvaldo Aquino Gonçalves; Manoel António Teixeira Júnior; Raimundo Nonato Laune Macedo; Adelson Rubens de Sousa Ferreira; Flor de Maria Silva Correia; lone Kerlen Santos Miranda; Rogério do Nascimento Alves; Fernando Souza dos Santos; Waleria Cristina Soares Pereira; Ismael Costa Ferreira; Vera Sônia de Souza dos Santos; Ancelmo Ribeiro Silva; Talita Fernanda Irineu Frazão; Sara Freitas de Moraes; Lidiana Galvão Medeiros; Clênia Rodrigues Maia Aquino; Elen Karla Sousa da Silva; John Jefferson do Nascimento Alves; Josias Sousa Lima e Samuel Silva Ferreira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Equipe do Fantástico investiga ‘fraude’ no Censo de Anajatuba

Prefeito de Anajatuba.

Prefeito de Anajatuba.

Uma bomba de efeito retardado deve estourar no Maranhão com a reportagem investigativa de Eduardo Faustini, que faz parte da equipe do programa Fantástico, da rede Globo.

O jornalista está fazendo gravações para matéria que será exibida no domingo dia (14) no dominical, e deve ser revelado uma serie de fraudes cometidas, principalmente na Prefeitura de Anajatuba, que declarou números elevados de matrículas das quais são fantasmas no intuito do aumento do repasse da verba para Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério (Fundef).

Segundo apurou o blog, o problema vem acontecendo desde 2013 na gestão do prefeito Hélder Lopes Aragão (PMDB), que maquiava os números informados no censo escolar para modificar a destinação de verbas para os gestores dos vários níveis do sistema educacional do município.

É nitroglicerina pura.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.