Poder

Construservice de Eduardo DP é investigada em Goiânia por superfaturamento em obras

Eduardo DP, sócio oculto da Construservice.

Localizada no interior do Maranhão, a Construservice Empreendimentos e Construções Ltda se tornou alvo de uma investigação instaurada pela Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal de Goiânia, capital do Goiás, que visa apurar supostas irregularidades em contratos milionários firmados entre a construtora e a Prefeitura da cidade.

Segundo informações do Jornal Opção, a empreiteira, que tem como sócio oculto Eduardo DP, foi contratada pela gestão do ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) para a execução dos serviços de reconstrução e restauração da pavimentação asfáltica das regiões norte, leste, oeste, noroeste, sudoeste e centro do município. O valor total do serviço é de R$ 173.835.290,16 milhões.

A CEI do Asfalto, como foi denominada, é comandada pelo vereador Santana Gomes e tem como principal motivação as denúncias sobre a qualidade do serviço prestado pela empresa responsável pela pavimentação na capital.

De acordo com o parlamentar goiano, há suspeita de superfaturamento e desvio de recursos nas obras envolvendo a empresa maranhense, que teria relação com o crime organizado, conforme apontou investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Civil do Maranhão.

Diante das suspeitas, a presidência da Câmara de Goiânia autorizou a contratação de uma equipe técnica para aprofundar as denúncias sobre uma eventual ilegalidade por parte da empresa.

Em 2015, a Construservice foi alvo da operação Imperador I deflagrada contra a Máfia da Agiotagem no Maranhão.

De acordo com investigadores da Polícia Civil e do Gaeco, a empreiteira pertence no papel os empresários Rodrigo Gomes Casanova Júnior e Adilton da Silva Costa, mas é operada no submundo do crime pelo empresário-agiota Eduardo José Bastos Costa, o Eduardo DP ou Imperador.

Na Operação Imperador I, a construtora foi alvo de mandados de busca e apreensão e Eduardo DP, de prisão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Edeconsil e Construservice ganham contratos de R$ 72,2 milhões no governo Flávio Dino

Fernandão

Um dos sócios da Edeconsil, Fernando Antônio Leitão Cavalcante

R$ 72.201.001,62 milhões. Esse é o montante que as empresas Construservice Empreendimentos e Construções e Edeconsil Construções e Locações vão faturar no governo Flávio Dino somente com duas obras.

Foi publicado no Diário Oficial dois contratos firmados entre as Secretarias Estadual de Infraestrutura (Sinfra) e Desenvolvimento Social (Sedes) e a Edeconsil e a Construservice que preveem a execução de serviços e manutenção de vias urbanas nos municípios das regionais de Santa Inês e de São Luís, com extensão de 80 KM.

Pelo serviço feito em São Luís, a Edeconsil, que tem como proprietários Fernando Antônio Leitão Cavalcante e José Thomaz Cavalcante Filho, vai receber R$ 35.886.207,50 (Trinta e cinco milhões, oitocentos e oitenta e seis mil, duzentos e sete reais e cinquenta centavos), sendo o valor de 01 KM é Km R$ 579.685,50 mil.

E a Construservice, que pertence à Rodrigo Gomes Casanova Júnior e Adilton da Silva Costa, vai lucrar R$ 36.314.794,12 (Trinta e seis milhões, trezentos e quatorze mil, setecentos e noventa e quatro reais e doze centavos), sendo o valor de 01 km R$ 452.347,83 mil.

Os dois contratos tem vigência de 12 meses.

Esse não é o primeiro acordo contratual milionário ganho pela Edeconsil no governo estadual. Nas gestões de Roseana e Flávio Dino, a construtora já faturou mais de R$ 200 milhões para executar obras na capital maranhense e no interior do estado.

Construservice

edencosil

construservice1

construservice2

edeconsil1

edeconsil2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.