Poder / Saúde

Instituto manda investigar filha de vereador suspeita de ser funcionária fantasma

A direção do Instituto Corpore, empresa responsável pelo gerenciamento do Hospital Macrorregional de Coroatá, solicitou, no dia 30 de novembro, uma investigação para apurar a conduta de alguns funcionários que não estão cumprindo com a jornada de trabalho na unidade de saúde.

“Atendendo a uma solicitação do nosso Diretor Administrativo, Sr. Francisco Carvalho Brandão e do nosso Administrador Hospitalar da Corpore, Sr. Alberto Américo, solicitar junto ao RH da referida empresa, para ser averiguada a entrada, saída e a ausência, dentro da unidade, de nossos colaboradores, pois identificamos a falta de compromisso por parte de alguns profissionais. Peço, diante do exposto, que isso seja verificado, e que sejam adotadas as medidas cabíveis” diz o ofício encaminhado pela direção da empresa.

O documento supostamente trata-se de Tassia Vasconcelos, que é filha do vereador Cássio Conceição (PSDB) e enfermeira, e seria funcionária fantasma da unidade hospitalar.

Segundo relatórios enviados ao Blog do Neto Ferreira, Tassia recebe o salário de R$ 1.855,55 mensais, mas apareceu no seu local de trabalho nenhuma vez. Ainda de acordo com as informações, a chefe da enfermeira é a própria mãe, Tatiana Vasconcelos que é a coordenadora de enfermagem do hospital.

Outro ponto bastante duvidoso é que na relação de crédito bancário, sob o código de funcionário de nº 12135, em agosto de 2015, apareceu um vencimento de R$ 999,77. Porém, no contra-cheque, Tassia recebe R$ 1.855,55 mensais sob o código de funcionário de nº 12135.

Já entre os meses de setembro e novembro de 2015, o mesmo crédito bancário veio com o último valor referido acima.

Vale ressaltar que, após oficio encaminhado pela direção do Instituto Corpore em novembro, em dezembro foi registrado um Boletim de Ocorrência na delegacia de Coroatá pela Coordenadora Administrativa do Hospital, Karla Maria Carneiro, denunciando o furto de um pen-drive que continha informações sigilosas.

A coordenadora afirma que o equipamento foi levado da sua sala. “Eu me preparava para sair, quando notei que foi furtado de dentro de minha sala, mais precisamente de cima da mesa, um pen drive, contendo várias informações profissionais e documentos (espelhos) de folhas de pagamento, depósitos do Banco do Brasil e escala de plantão de profissionais da Casa de Saúde, sendo alguns documentos de informações sigilosas” denunciou.

coroata

Contra-cheque de Tassia Vasconcelos de agosto de 2015.

coroata1

coroata2

coroata3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.