Poder / Política

Inquérito investiga cheques milionários de deputado

Toca Serra, deputado estadual.

Toca Serra, deputado estadual.

Atuando contra crimes de agiotagem envolvendo gestores públicos e empresários maranhenses, a comissão de delegados da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) investiga o elo de um deputado estadual e Josival Cavalcanti da Silva, o agiota Pacovan, que teve cartões, pastas contendo documentos e cheques apreendidos em seu cofre. A relação dos documentos foi obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

De acordo com o delegado da Seic Leonardo Bastian Fagundes, todos os responsáveis pelos documentos apreendidos durante as operações “Maharaja” e “Morta-Viva”, estão sendo investigados pela Comissão Estadual de Agiotagem em um inquérito classificado de ‘mãe’.

Apesar de ter assumido o cargo de deputado estadual no lugar de Edivaldo Holanda (PTC), Domingos Erinaldo Sousa Serra, conhecido como Toca Serra (PTC), é alvo do grupo de combate agiotagem por emitir dois cheques com valores de R$ 1.060.000,00 (um milhão e sessenta mil reais) e outro de R$ 1.500,000,00 (um milhão e quinhentos mil), chegando no total de R$ 2.560. 000,00 (dois milhões e quinhentos e sessenta mil reais).

Tendo a autorização do respectivo argão, pode ser investigado. Todo mundo vai ser investigado com relação a todas as apreensões que foram feitas. Agora o fluxo é muito grande de provas“, confirmou o delegado sobre o membro da Assembleia Legislativa aparecer a lista.

A Seic também investiga o ex-secretário de Saúde de Santa Rita, Uthan Avelino de Jesus Carvalho. No escritório de Pacovan, foram encontrados dois cheques da Caixa Econômica Federal com os respectivos valores R$1.600.000,00 e R$ 171.000,00.

Confira na integra documento confirmando que houve apreensões de dois cheques do parlamentar.

Documento que comprova a participação do parlamentar com esquema de agiotagem.

Documento que comprova a participação do parlamentar com esquema de agiotagem.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Credor de Pacovan toma posse como deputado na Assembleia Legislativa

Toca Serra toma posse na Assembleia Legislativa

Toca Serra toma posse na Assembleia Legislativa

O Brasil é um país corrupto. Isso é fato! São pequenas atitudes na política, que fazem com que a nação se atole cada vez mais na lama da vergonha. E quanto mais práticas impertinentes forem postas à prova, mais desmoralizado o congresso. A exemplo do que aconteceu hoje na Assembleia Legislativa do Maranhão, em que um político envolvido com agiotagem tomou posse.

Domingos Erinaldo Sousa, mais conhecido como Toca Serra (PTC), é 1º suplente do deputado estadual Edivaldo Holanda (PTC), e assumiu o posto no lugar do parlamentar, que estará de licença médica durante quatro meses.

Acontece que o rapaz já esteve envolvido em escândalos, juntamente com o seu irmão, o prefeito de Rosário, Irlan Serra (PTC). Candidato a deputado estadual, Toca Serra figurou por algum tempo operações de combate a agiotagem, como credor do empresário Josival Cavalcanti, o Pacovan, que foi preso.

A polícia encontrou no cofre do empresário dois cheques do Banco do Brasil assinados por Toca Serra. Um no valor de R$ 1.060,000,00 e outro de R$ 1.500,000,00.Juntos, os valores ultrapassam dois milhões de reais. Acredita-se que o valor teria sido para financiar sua campanha durante as eleições passadas.

Infelizmente os fortes indícios que o levariam para trás das grades o colocaram em um lugar bem mais seguro e confortável, mesmo que por pouco tempo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Envolvido com agiotagem, Toca Serra assume vaga de Edivaldo Holanda na Assembleia

Toca Serra, primeiro suplente da coligação PTC

Toca Serra, primeiro suplente da coligação PTC

Domingos Erinaldo Sousa Serra, mais conhecido Toca Serra (PTC), foi o escolhido para substituir o deputado estadual Edivaldo Holanda no plenário, durante sua licença de 120 dias, por problemas de saúde.

Toca serra já esteve envolvido com crimes de agiotagem, quando foram encontrados dois cheques do Banco do Brasil, assinados por ele, nos valores de R$ 1.060,000,00 e outro de R$ 1.500,000,00, durante as operações de combate ao crime de agiotagem que resultou na prisão do agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan.

Além disso, o primeiro suplente da coligação é irmão do enrolado prefeito da cidade de Pedro do Rosário, Irlan Serra, que já foi citado diversas vezes por parlamentares na tribuna por irregularidades cometidas no município.

O mais curioso em tudo isso, é que a Assembleia Legislativa permita que um suspeito ocupe um cargo, mesmo que temporário, mas de extrema importância. É uma decisão questionável, cabendo aos demais parlamentares uma proposta que vete a permanência do suplente dentro do ambiente que serve para compactuar os valores morais de quem representa a sociedade.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.