Judiciário

TJ-PI deve mais de R$ 1 milhão a empresa de Fortaleza

O  presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, o desembargador Raimundo Eufrásio, ainda não honrou com o compromisso firmado entre o TJ-PI e a empresa Auriga Informática e Serviços Ltda., de propriedade de Eduardo Terra.

A Auriga ganhou um processo licitatório em outubro de 2013 de Nº105/2013 e assinou o contrato em fevereiro de 2014 no valor de R$ 1.386.016,00, para que fossem feitas instalações de equipamentos de segurança e de informática nas áreas internas e externas do Tribunal, daquele estado, quando a presidente ainda era a desembargadora Eulália Maria Gonçalves Pinheiro.

A partir da assinatura do contrato, a empresa deu inícios aos trabalhos, que inicialmente iria terminar em 60 dias, mas foi concluído somente em agosto de 2014.  A Auriga pagou cerca de R$ R$ 268 mil em impostos, pois emitia notas fiscais e comprou equipamentos no exterior, mas precisamente na Alemanha, para serem colocados no TJ-PI, no entanto nenhuma parcela do valor do contrato foi recebida.

Eduardo Terra tenta resolver esse impasse com o presidente do Tribunal, porém sem sucesso. Até a presente data nada foi resolvido e a dívida continua acumulada.

tj pi 1

tj pi 2

tj pi


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime / Judiciário

Quatro são presos em flagrante fraudando concurso do TJ-PI


Durante a realização do concurso do Tribunal de Justiça do Piauí, realizado neste domingo (20), quatro pessoas foram detidas e um menor de idade apreendido tentando fraudar o certame.

Segundo informações do TJ-PI, Evelyn Mariane Oliveira Ferreira, Francisco Ivanderson Alves, Wallace Araújo e Bárbara Brenalle Teles de Oliveira foram presos em flagrante delito com aparelhos celulares no momento da prova. Um menor de 17 anos foi apreendido. Todos foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Teresina.

Segundo o juiz auxiliar da Corregedoria do Tribunal de Justiça, José Airton, as autoridades policiais foram informadas e o problema não vai interferir no resultado do certame. “A Fundação Getúlio Vargas (FGV), organizadora do concurso, foi quem tomou as devidas providências. Foram ações isoladas e não significa qualquer risco a lisura do concurso. Ações isoladas que foram coibidas”, afirmou

Ainda de acordo com o Tribunal de Justiça, as investigações continuam, pois poderá haver mais pessoas envolvidas na fraude. Caso isso se confirme, o certame será anulado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeita de Timon emprega filha e o genro nos Tribunais de Justiça do MA e do PI

Socorro Waquim, o seu genro Jefferson e Ângela Almeida Waquim

Socorro Waquim, o seu genro Jefferson e Ângela Almeida Waquim

Uma série de graves denúncias começaram a ganhar intensidade nos meios de comunicações de São Luís e de Teresina (PI) envolvendo a escandalosa gestão da prefeita de Timon, Socorro Waquim (PMDB) nos últimos dois meses. Muitas delas, oriundas de investigações feitas pelo Ministério Público do Estado – MPE. Agora, veio à o escândalo de nepotismo, corporativismo e favorecimento envolvendo a filha mais velha da prefeita Socorro Waquim, advogada Ângela Almeida Waquim Sampaio e o seu marido, empresário do ramo de postos de gasolina, Jefferson Alves Sampaio Ferreira Júnior.

Numa clara demonstração de desrespeito a Constituição Federal e até mesmo o entendimento do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, do Supremo Tribunal Federal – STF, que é a maior Corte de Justiça do Brasil, a prefeita Socorro Waquim e seu marido, o deputado federal Professor Sétimo (PMDB-MA) mantém a filha mais velha Ângela Almeida Waquim Sampaio, empregada no Tribunal de Justiça do Piauí, e o genro Jefferson Alves Sampaio Ferreira Júnior, no Tribunal de Justiça do Maranhão.

Isto caracteriza um escândalo oficializado sem precedentes que vem manchar e comprometer a lisura dos tribunais do Piauí e do Maranhão. O caso de nepotismo envolve o genro e a filha do casal Waquim.

Tribunal de Justiça do Piauí

Ângela Almeida Waquim Sampaio entrou no Tribunal de Justiça do Piauí, em 2009, como assessora jurídica, através da portaria nº 744/2009, assinada pelo então presidente do TJPI, desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar, em 18 de maio de 2009 e publicada no Diário de Justiça, da mesma data. Já em 2010, Ângela foi nomeada secretária do Corregedor do TJPI pela portaria nº 160/2010, de 10 de fevereiro de 2010, pelo então Procurador Geral de Justiça, Augusto Cézar de Andrade, como consta no Diário da Justiça, do dia 18 de fevereiro de 2010. E, no ano de 2011, a mesma foi nomeada para o cargo de Assessora do Procurador Geral de Justiça pela portaria nº 735/2011, assinada pela Procuradora Geral de Justiça, Zélia Saraiva Lima, em 18 de julho de 2011 e publicada no Diário de Justiça, do dia 22 de julho de 2011.

Tribunal de Justiça do Maranhão

E como se não bastasse, o genro de Waquim, Jefferson Alves Sampaio Ferreira Júnior, está nomeado assessor de desembargador, lotado no gabinete da desembargadora Maria das Graças de Castro Duarte Mendes, através do Ato nº 89/2009-TJMA, assinado pelo desembargador Raimundo Freire Cutrim, então presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, e publicado no Diário da Justiça, do dia 11 de fevereiro de 2009, ganhando um salário em torno de R$ 11.277,08. O mais gritante é que Jefferson Alves Sampaio Ferreira Júnior tirou férias entre janeiro e fevereiro de 2010, como consta no Diário de Justiça, do dia 30 de dezembro de 2010, através da portaria nº 5025/2010-TJMA.

Nesse sentido, fica a dúvida como pode Jefferson Sampaio está em Teresina administrando um posto de gasolina que segundo informações é de sua propriedade, morando em Timon e, em São Luis, sendo assessor de desembargador? Interessante é que antes de ser genro da prefeita Socorro Waquim, Jefferson não possuía patrimonios igual mantém hoje.

Sede de Poder – Como se já não bastasse à irmã da prefeita Socorro Waquim, Suely Almeida, ocupar o cargo de secretaria Municipal de Educação, o filho Ulisses Waquim, ocupar a secretaria de Esportes, o cunhado Nicolau Waquim, ocupar a Defensoria Pública Municipal, e o sobrinho Neto Waquim, ocupar a secretaria Municipal de Defesa do Consumidor, o clã Waquim demonstra sede pelo dinheiro público, empregando familiares na prefeitura e nos órgãos públicos, incluindo o Judiciário, onde tem forte influência.

A população – de mãos atadas – assiste atônita, o sangramento do erário, sem que ninguém tome providências e ficam sem ter a quem recorrer.

Na cidade de Timon, virou bate-papo normal em vários pontos, à questão do atraso de pagamento dos servidores públicos que não recebem há pelos menos cinco meses, além de supostas irregularidades na execução de obras, licitações e contratação de empresas, como é o caso, da farra no aluguel de veículos que veio a público, onde se torrou mais de R$ 4 milhões com uma empresa que sequer possui um carro no pátio, e o endereço é uma obra em fase de conclusão.

Ministério Público de Timon –
A promotora Selma Regina Martins, da Probidade Administrativa, tem cumprido rigorosamente seu papel de fiscalizar e cobrar austeridade da aplicação correta dos recursos públicos destinados a Timon. Mas, a promotora vai se deparar com mais um escândalo de proporções a nível nacional. Mais um caso envolvendo o casal Waquim que se tornou pauta obrigatória dos blogs, devido à frequência de denúncias de corrupção no governo municipal de Timon.

Quem frequenta o gabinete da promotora Selma Regina, fica abismado com o amontoado de denúncias contra a prefeita e seu grupo político, e agora mais uma pra somar com os que já existem. Resta saber se serão tomadas as devidas providências cabíveis, pois povo não suporta o caos administrativo que hoje vive Timon.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.