Poder

Funcionários denunciam condições precárias do posto de saúde da Santa Clara

Objetos que deveriam ser usados em consultas ginecológicas, totalmente enferrujados.

Objetos que deveriam ser usados em consultas ginecológicas, totalmente enferrujados.

Insatisfeitos e revoltados com a forma de trabalho, precariedade de serviços e da infraestrutura do local e até da direção, levou os funcionários do Posto de Saúde do bairro Santa Clara (PSS) a denunciaram ao Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís, as formas deficientes de atendimento. Segundo informações, os funcionários alegam que o posto não atende às necessidades da população que precisa do sistema de saúde.

De acordo com a denúncia, o PSS não disponibiliza de aparelhos e materiais hospitalares para atender à demanda de pacientes, os poucos que ainda restam estão em estado deploráveis e enferrujados.

“A sala de farmácia está sem energia desde o ano passado, totalmente escura, os ventiladores e as cadeiras, além da poeira e ferrugem, estão quebrados, os banheiros são usados para guardar pau, vassouras e panos de chão velhos, as macas estão sem colchão e enferrujadas. Aqui somos guerreiros diários, pois o Posto é bandonado a Deus dará. Não tem atenção do Poder Municipal, aqui é um amontoado de coisa velha”, desabafou uma funcionária que não quis se identificar.

Em conversa com funcionários, as reclamações são bem mais presentes do que o serviço prestado à comunidade “A sala de curativo, só tem o nome mesmo, pois faltam os materiais mais simples, como, algodão, gazes, soro fisiológico e luvas. A geladeira que conserva as vacinas VENCIDAS, é amarrada com esparadrapo”, confessa outra servidora que também não quis se identificar.

“São péssimas as condições de trabalho, sem cadeira decente ou mesa ergonômica, as salas são insalubre e sem ventilação. Você não tem segurança nem mesmo física”. completou a funcionária M.R.

Outra queixa da categoria é no que diz respeito à gratificação do SUS (Sistema Único de Saúde), além de o valor ser uma vergonha, R$50,00, a Prefeitura Municipal paga com exigências e atrasos. A pergunta que ficou no ar pelos servidores foi: “Até quando, prefeito”?

Ao receber a denúncia, o Presidente do Sinfusp/SL, Luís Mariano, ficou estupefato diante das imagens do Posto denunciado, “sem a devida ventilação necessária e com ventiladores cheios de poeira e ácaros, o que se torna pior, é que com a imunidade baixa, tanto os pacientes, como os funcionários, podem sofrer com complicações respiratórias de saúde”, afirmou.

Com isso, Luís Mariano apressa sua agenda de visitas à categoria para acompanhar de perto as condições reais de trabalho e continuar pleiteando junto à Administração e a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) a valorização e uma qualidade adequada de trabalho e de vida aos servidores municipais.

“Convido o Secretário da Semus para visitar conosco os postos de saúde da Capital, que em suma, deveriam servir para desafogar os grandes hospitais e dar rapidez aos atendimentos de bairro, mas, ao contrário disso, estão se proliferando pra qualquer outro intuito, menos cuidar da saúde da população”, finalizou o Presidente do Sinfusp.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.