Poder

Secretaria divulgará amanhã se sobrinha de Sarney foi ou não vítima de estupro

sec-de-seguranca-jefferson-portela-foto-gilson-teixeira-003

Na manhã desta quarta-feira (22), a Secretaria de Segurança Pública, apresentará os laudos técnicos referentes a morte da publicitária, Mariana Costa. A coletiva acontecerá na sede do órgão, que fica localizada na Vila Palmeira.

A publicitária foi morta, de acordo com as primeiras investigações, por esganadura e ou sufocação. O cunhado dela, Lucas Leite Ribeiro Porto (37), marido da irmã de Mariana Costa, assumiu a autoria do crime durante interrogatório, registrado na presença de três advogados, além do, delegado responsável pela Superintendência Estadual de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), Leonardo Diniz.

mariana_costa-339488

O delegado geral da Polícia Civil, Lawrence Melo, disse que estava faltando apenas o resultado dos exames periciais realizado pelos profissionais da Superintendência da Polícia Técnica e Científica para encaminhar o inquérito policial para o Poder Judiciário.

De acordo com Lawrence Melo, a autoria do crime está bem definida e por meio desses exames iriam ser preenchidas algumas lacunas da investigação. Uma delas é a ocorrência da violência sexual.

A polícia precisa saber o que procedeu no decorrer dos 40 minutos em ficaram juntos o acusado e a publicitária, no apartamento da vítima, no Turu. “O acusado declarou a polícia que teria violentado sexualmente a vítima, mas é necessário ter a comprovação de forma científica”, informou o delegado geral da Polícia Civil.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Acusado de matar sobrinha de Sarney presta novo depoimento

6bcc3934_576b_46a1_a538_b8dce0c05ea8-339528

Lucas Leite Ribeiro Porto, suspeito de assassinar a cunhada Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, presta um novo depoimento na Delegacia de Homicídios da Capital. Ele está sendo interrogado desde as 17h desta segunda-feira (14). Mariana é sobrinha do ex-presidente da República, José Sarney.

O delegado Leonardo, responsável pelo caso, já tem convicção de que o acusado tentou apagar provas que podem incriminá-lo por homicídio. A polícia acredita que aranhões espalhados pelo corpo de Lucas seria resultado de uma luta corporal.

De acordo com informações, o acusado demonstrou várias contradições no primeiro depoimento. A tese da contradição foi ressaltada pelo secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, durante coletiva. “Ele veio com uma história de que iria lá para falar sobre relacionamento familiar”, comentou Portela.

Mariana Costa, de 33 anos, foi encontrada morta na noite de domingo (14), em seu apartamento, no 9º andar de um condomínio Garvey Park, no Turu, em São Luís. A vítima tinha sinais de estrangulamento.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Suspeito de matar sobrinha de Sarney, empresário voltou ao local um dia após o crime

lucas_porto-339497

Durante a entrevista coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (14), o delegado da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoa (SHPP), Leonardo Diniz, afirmou que o empresário Lucas Porto, de 37 anos, teria retornado pela terceira vez ao condomínio Garvey Park para prestar condolências à família de Mariana Costa.

Segundo Leonardo Diniz, a polícia teve acesso a imagens do circuito interno de videomonitoramento e confirmou a presença do empresário do local.

Diniz disse que Lucas Porto esteve por duas vezes na residência. Na primeira, foi deixar a própria Mariana e as duas filhas após participarem de um culto. E na segunda, ele subiu ao apartamento e demorou cerca de 40 minutos dentro da casa e depois saiu correndo pelas escadas.

Posteriormente, fez ligações pelo celular no hall do edifício, mas apagou os registrou. E na manhã desta segunda-feira retornou ao condomínio com roupas diferentes.

Nesse momento, Lucas Porto, que é casado com a irmã de Mariana Costa, foi reconhecido pela polícia, que já estava no local e de posse das imagens, e foi preso em flagrante. Ainda de acordo com a polícia, Porto tinha marcas de arranhões no corpo e no rosto.

Ele foi recambiado para o Centro de Triagem do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. A polícia investiga o que pode ter motivado o crime. O laudo pericial ainda não foi concluído.

O empresário é suspeito, ainda, de ter várias passagens pela polícia por estelionato e por porte ilegal de arma.

No momento do crime, o marido da vítima, Marcos Renato, filho do empresário José Renato, dos Laticínios São José, estaria em uma festa de aniversário, deixando de ser, assim, apontado como suspeito da ação criminosa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Cunhado é apontado como suspeito da morte da sobrinha de José Sarney

page

Empresário Lucas Porto, e Mariana Costa, vítima de estrangulamento.

O empresário Lucas Porto, cuja família é proprietária da Planta Engenharia, está sendo apontado como principal suspeito do assassinato da jovem Mariana Costa, de 33 anos, no final da tarde desse domingo, 13. Mariana era sobrinha‐neta do ex‐presidente da República, o senador José Sarney.

A jovem foi encontrada em casa, no bairro do Turu, pelas filhas, despida e com sinais de asfixia.

De acordo com a polícia, ela foi levada ainda com vida para um hospital da cidade, mas não resistiu. O marido da vítima, Marcos Renato, filho do empresário José Renato, dos Laticínios São José, estaria em uma festa de aniversário no momento do crime, deixando de ser, assim, apontado como o principal suspeito da ação criminosa.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, o empresário está preso na Delegacia de Homicídios. A decisão foi tomada após a polícia verificas as imagens das câmeras de segurança da residência da vítima.

Lucas Porto é casado com a irmã de Mariana.

O corpo da jovem foi liberado do Instituto Médico Legal por volta das 4h da manhã desta segunda.  O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da capital.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.