Brasil / Judiciário

Loja da Porsche é condenada a indenizar cliente

ViewImage

Dados da cidade de São Paulo mostram que, do total de roubos ocorridos ano passado, 20% foram de veículos. Em comparação com os dois últimos meses de 2016, ocorreu um aumento de mais de 2% nesta categoria de crime. E quando ocorrem estes delitos, os carros de grande valor despertam o interesse de assaltantes, porém, em alguns casos são os pertences dos condutores que atraem sua atenção.

Quadrilhas especializadas em roubos de relógios de grife aguardam as vítimas em locais de luxo. Um caso como este ocorreu em frente à loja da Porsche, situada na região da Vila Olímpia, Zona Oeste da capital paulista. Um casal, antigos clientes da loja sede do “show room”, foram surpreendidos por um assaltante armado em uma moto, como explica a vítima que preferiu não ser identificada, “Estacionamos o carro exatamente no lugar onde o segurança da concessionária pediu, e na saída da loja, fomos abordados pelo assaltante em uma moto, tentei fechar a porta do carro mas ele segurou-a com o pé, e armado, pediu pelos nossos relógios Rolex, meu e do meu marido”, diz F. Os dois relógios são avaliados em mais de R$ 80 mil reais, e um dos modelos é cravejado de brilhantes.

O caso foi registrado na 96º DP da Polícia Civil na Zona Sul de São Paulo. A vítima conta que prestou depoimento e pode ver as imagens de câmeras de estabelecimentos próximos do local do crime, mostrados pelo delegado Dr. Silvio Cavallaro. Nelas é possível visualizar um carro preto seguindo o casal durante todo o trajeto percorrido até a loja, como afirma a vítima, “O Dr. Silvio esteve na concessionária solicitando imagens mais legíveis e foi apurado que fomos seguidos desde a Av. dos Bandeirantes pelo carro preto e neste mesmo veículo foi onde o assaltante pegou a arma. Eles ficaram estacionados do outro lado da rua, esperando por nossa saída”, explica. Pelo alto valor dos automóveis a segurança no local é necessária, mas os vigilantes não prestaram atendimento seguro para o casal envolvido, como relatam. “Foi estranho os seguranças da loja não notarem algo suspeito pelo carro preto que ficou parado no outro lado da rua. E quando tentei fechar a porta do carro o assaltante colocou a arma na minha cabeça, isso tudo na presença de todos. E nas imagens dá para ver nitidamente o segurança na minha frente, a menos de um metro”, conclui F.

O desespero e tensão que passaram nas mãos dos assaltantes, fez com que o casal decidisse entrar com um processo contra a concessionária por reparação de danos morais e materiais. O processo foi julgado pela 27ª Vara Cível e teve por decisão favorável a parte lesada graças ao trabalho da Karpat Advogados, liderada pelo advogado da ação, Dr. Alfredo Pasanisi. Na sentença o juiz Vitor Frederico Kumpel, condenou “A indenização por danos morais no importe de R$ 10.000,00, acrescidos de correção monetária e juros moratórios de 1% ao mês a contar da data da prolação da sentença. A correção monetária, será de 1% ao mês e incidirá a partir da data do arbitramento do valor da condenação, sendo pago também os custos advocatícios pela parte contraria à vítima”, conforme está escrito na decisão.

Para Alferdo Pasanisi, advogado das vítimas, a empresa tem responsabilidade tendo em vista de que deveria garantir a segurança de seus clientes. “É uma decisão importante tendo em vista que o local é frequentado por pessoas de alto poder aquisitivo e que além de roubos correm risco de outros crimes, como sequestro, por exemplo. É obrigação do estabelecimento zelar pelos seus clientes. Além disso a imobilidade do segurança fez os bandidos sentirem-me encorajados para o crime”, finaliza.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.