Poder

Servidores federais protestam contra a PEC 241 em São Luís

thumbnail_img-20161024-wa0006

Servidores de sindicatos federais realizam protesto na Avenida dos Portugueses, área Itaqui‐Bacanga, na entrada da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), desde o início da manhã desta segunda‐feira, dia 24.

O movimento foi organizado pela Associação de Professores da Universidade Federal do Maranhão (Apruma), pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de 3º grau no Estado do Maranhão (Sintema), pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) e teve apoio da classe estudantil universitária.

No local, os manifestantes realizam a adesivação de veículos simpatizantes ao movimento

A manifestação acontece contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 que reduz gastos sobre diversos setores por parte do Governo Federal.

No Maranhão, estudantes planejaram a ocupação de unidades de ensino para alertar a sociedade e debater sobre os impactos da PEC 241 sobre os direitos sociais e trabalhistas.

O acesso a universidade foi interditado impedindo a entrada de veículos, e por isso se formou o engarrafamento na região. O congestionamento afetou o trânsito da Areinha (sentido Anel Viário), assim como o Anel Viário (sentido Anjo da Guarda).

thumbnail_img-20161024-wa0008

De O Imparcial


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeitura de São Luís deixa 168 alunos fora das escolas

O abandono da saúde pública não é o único fator que afeta a população ludivicense. A educação básica também tem sofrido com o descaso por parte da Prefeitura de São Luís. E ter acesso a educação é um direito de toda criança e adolescente e é obrigação do poder público oferecer meios para que alunos possam estudar e proporcionar um ensino de qualidade, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente.

No entanto, a Administração Pública e a Secretaria Municipal de Educação (Semed) esqueceram desse “detalhe” e simplesmente estão deixando 168 crianças e adolescentes da área do Itaqui-Bacanga fora das escolas.

Em razão disso, o Conselho Tutelar do bairro ajuizou uma ação na Promotoria de Educação, para que o órgão exija da SEMED a inserção desses jovens em sala de aula, pois a Secretaria nada fez para mudar essa situação.

Na última terça-feira (26), o promotor titular de Educação, Paula Avellar, realizou uma reunião entre representantes da Semed e do Conselho Tutelar, para encontrar uma solução para o problema, porém nem todos compareceram. Desse modo, ficou`marcado para hoje (28) uma nova audiência com gestores da área Itaqui Bacanga, Conselho Tutelar, da rede estadual e municipal de ensino.

IMG-20160428-WA0009

thumbnail_IMG-20160428-WA0010


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.