Maranhão

Ex-presidente da Câmara de Ribamar Fiquene é acionado por improbidade administrativa

Ex-presidente da Câmara de Vereadores, Genival Fonseca

Ex-presidente da Câmara de Vereadores, Genival Fonseca

Problemas com processo licitatório para contratação de serviços de assessoria contábil e financeira em desacordo com a lei e irregularidades na licitação para aluguel de veículo e ausência de recolhimento de impostos, totalizando pouco mais de R$ 2 mil, foram algumas das irregularidades cometidas pelo ex-presidente da Câmara de Ribamar Fiquene, Genival Fonseca Pinheiro.

As diversas irregularidades na prestação de contas da Câmara Municipal de Ribamar Fiquene, no exercício financeiro de 2010 apontaram ainda que a remuneração dos servidores estava em desacordo com a Constituição Federal, além de não ter sido apresentada a tabela remuneratória em vigor em 2010. Outro ponto é que os gastos com folha de pagamento chegaram a 76,99 porcento do orçamento, quando o limite legal é de 70 porcento.

Cerca de R$ 26 mil foram empregados na contratação de serviços de pessoas físicas para realizar atividades inerentes ao funcionamento da Câmara Municipal. Os gastos tem características de despesa com pessoal e foram prestadas durante todo o exercício 2010.

Os subsídios dos vereadores também tinham irregularidades: além de estarem acima do limite constitucional, sua fixação foi feita por decreto legislativo, o que também é ilegal.

O ex-presidente da Câmara Municipal foi acionado por violar o artigo 90 da Lei de Licitações (“Frustrar ou fraudar, mediante ajuste, combinação ou qualquer outro expediente, o caráter competitivo do procedimento licitatório, com o intuito de obter, para si ou para outrem, vantagem decorrente da adjudicação do objeto da licitação”), cuja pena é de detenção de dois a quatro anos, além de multa; e o artigo 359-D do Código Penal Brasileiro (“Ordenar despesa não autorizada por lei”), com pena de reclusão de um a quatro anos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.