Poder

Multidão lota as ruas de Caxias para dar adeus à Humberto Coutinho

A cidade de Caxias parou para dar o último adeus ao seu líder político, deputado Humberto Coutinho. Milhares de pessoas foram às ruas acompanhar o cortejo fúnebre que saiu do Ginásio da Facema, nesta terça-feira (2), às 11h, com destino à capela da família, ao lado do Cemitério Olaria.

Lágrimas, comoção e muita tristeza nos olhares, nos gestos e nas expressões estampadas nos rostos de uma multidão de gente simples que amava o seu líder maior.

Por onde passava, o cortejo era aplaudido pela multidão, que acenava e mandava palavras de solidariedade à família, externando expressões de amor ao deputado.

Muitos populares nas calçadas, chorando e exibindo cartazes com dizeres que expressavam o carinho e a gratidão pelo “Grandão”, como Humberto era carinhosamente chamado em Caxias e em todo o Maranhão.

Crianças, adultos e idosos, unidos na mesma dor da perda. Na calçada do Hospital Muncipal de Caxias e do Centro de Hemodiálise, os funcionários vestidos com camisas da cor verde, saudavam o cortejo com flores amarelas que eram jogadas sobre o caixão. Sinal de agradecimento ao longos anos de serviços prestados, à comunidade de Caxias e de municípios região, nas unidades de saúde indealizadas e implantadas pelo médico Humberto Coutinho e sua esposa.

Com grande tristeza e em lágrimas, populares entoavam a música “Amigo”, de Roberto Carlos, uma das cânções que o líder político mais gostava.

Humberto Coutinho foi velado com honras de chefe de Estado, por determinação do governador Flávio Dino, que esteve no velório desde o início da manhã e acompanhou todo o percurso até a capela da família, onde o corpo foi sepultado.

O caixão foi conduzido por quase duas horas pelas ruas de Caxias, sobre o carro de Corpo de Bombeiros, acompanhado por cadetes da corporação militar e seguido pelo cortejo no qual estavam a sua esposa, dra. Cleide Coutinho, seus filhos George e Georgia, irmãos, irmãs, demais familiares, deputados federais, estaduais, diretores da Assembleia Legislativa, secretários de Estado, autoridades estaduais e municipais, amigos, correligionários e admiradores.

O cortejo fúnebre de Humberto foi um grandioso e memorável ato público que ficará na história deste estado. Uma comovente despedida, digna de um grande líder, que com sua simplicidade, força de trabalho e respeito aos mais humildes de Caxias, conquistou o coração de todo o povo do Maranhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Othelino Neto assume presidência da Assembleia sem votação

Com a morte do presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT), o deputado Othelino Neto (PCdoB) assumiu, de forma automática e definitiva, a Presidência da Assembleia Legislativa, sem necessidade de posse.

A ascensão automática ocorreu por conta do Projeto de Resolução Legislativa nº 049/2017, que alterou as regras de substituição de cargos vagos na Mesa Diretora.

A ascensão é automática, de acordo com o Regimento Interno da casa, sem necessidade de posse, também para os demais vices. Assim haverá eleição apenas para um novo quarto vice.

O mandato do presidente Humberto terminaria no 31 de janeiro de 2019, que será concluído pelo agora presidente Othelino Neto.

Regras novas

O projeto que alterou as regras é de autoria do deputado Roberto Costa (PMDB), e prevê que, em caso de vacância do cargo de presidente, por exemplo, assume definitivamente o 1º vice-presidente, sem necessidade de nova eleição.

De acordo com o Projeto de Resolução Legislativa nº 049/2017, o Artigo 10 da Resolução Legislativa nº 449/04, que dispõe sobre o Regimento Interno da Assembleia Legislativa do Maranhão, passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 10 – Declarado vago o cargo na Mesa Diretora, nas hipóteses previstas no Art. 75 deste Regimento ou pelo afastamento do titular para exercício de cargo ou função em outro Poder, a sucessão dar-se-á da seguinte forma:

I – Para o cargo de Presidente pelo 1º Vice-Presidente e para este e os demais obedecidos na ordem de sua sequência, realizando-se a eleição para os que restarem vagos, no prazo de até cinco sessões ordinárias, obedecidas as regras do Art. 8 deste Regimento Interno.

II – Para o cargo de Secretário, aplica-se a regra de sucessão prevista no inciso anterior, no prazo de até cinco sessões, nos termos do Art. 8 do Regimento Interno”.

Humberto Coutinho

Coutinho fazia tratamento contra câncer no intestino, há quatro anos. O corpo será velado no ginásio da Facema, localizado ao lado do conjunto habitacional Eugênio Coutinho.

O corpo de Humberto Coutinho foi sepultado na manhã desta terça-feira (02) em Caxias.

No início de novembro, o quadro clínico do presidente da Assembleia se agravou e ele passava por tratamento, em sua residência em Caxias.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

População de Caxias se despede do presidente Humberto Coutinho

Comoção e tristeza tomaram conta da população de Caxias com a morte do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, deputado Humberto Coutinho, 71 anos, ocorrida na noite desta segunda-feira (1º de janeiro), em sua residência, na cidade de Caxias. Ele estava no seu quinto mandato e fazia tratamento contra o câncer, há quatro anos.

Logo que ficaram sabendo da morte de Humberto Coutinho, as pessoas se dirigiram até a porta da residência onde ocorreu, em um primeiro momento, o velório do presidente, com a presença dos familiares. Elas falaram da grande liderança política, do amigo generoso, da seriedade, da competência e, principalmente, da falta que o presidente Humberto Coutinho fará ao Maranhão, em especial, ao município de Caxias e demais cidades onde ele sempre manteve contato, levando ações que as beneficiava.

“Ele foi um guerreiro; foi um homem que sempre trabalhou pelo bem da nossa cidade. Sou eternamente grata por tudo que ele fez por nós. Vou sentir muita falta dele, ele era meu amigo”, disse a aposentada Maria das Neves Araújo, 68 anos.

“Eu pedi muito a Deus que trouxesse a saúde para o Dr. Humberto. Ele foi uma pessoa boa que estava sempre disposto a ajudar. Perdemos um grande guerreiro, mas tenho certeza que ele está ao lado do nosso Deus”, acentuou a enfermeira Maria Ducarmo.

Ana Lúcia, 35 anos, dona de casa, também falou da falta que o Dr. Humberto fará. “Eu ainda não consigo acreditar que o nosso maior líder e amigo morreu. Todos vão sentir muita falta dele. Fiz corrente de oração pedindo que ele se recuperasse, mas Deus o levou. Sei que está em um bom lugar. Vou me apegar a isso para superar essa grande perda”.

“É uma perda muito grande. Desde que me entendo, ouço falar em Dr. Humberto; a minha família acompanhou desde muito tempo toda a trajetória dele. Ele foi um médico, político e empresário de muita competência”, a declaração é do vigilante Oscar Correia de Sousa Filho, de Caxias.

“Perdemos a nossa grande referência, grande amigo, companheiro, sério e que se preocupava com o bem do povo de Caxias. Que Deus o coloque em um bom lugar e dê o conforto à sua família natural e família de coração, que somos nós, os filhos de Caxias”, disse a professora Maria da Conceição Araújo.

“Eu não sei nem explicar o eu estou sentindo. Eu o conheço há muitos anos, desde quando ele era jovem. Ele foi um bom homem tanto para Caxias como para outras cidades . Foi ele que trouxe uma boa educação, um bom hospital. Quando ele foi prefeito o pagamento dos funcionários era em dia. Não teve um prefeito em Caxias como ele. Eu devo a minha aposentadoria a ele. Também me deu um lugar pra colocar minha banca de café”, afirmou Maria Luíza Silva, de 84 anos.

Cleide Maria da Silva, é zeladora e disse que está muito abalada com a morte de Humberto Coutinho. “Foi ele que me deu o meu primeiro emprego, onde estou até hoje. Eu sou muito grata a ele”, disse ela.

“Ele foi um grande líder não só em Caxias, como para todo Maranhão. Sem dúvida é uma grande perda pra todos nós. Só temos a lamentar a sua morte. Foi um grande líder. Ele deixa uma grande lacuna; vai ter que nascer alguém à altura do dr. Humberto”, disse José Henrique. Aldenora Braga, funcionária pública, também disse que a morte do dr. Humberto deixa uma grande lacuna. “É uma grande perda. Ele era um homem de palavra, amigo e de respeito”.

Homem extraordinário

O deputado federal Rubem Pereira Júnior (PCdoB), amigo pessoal da família, falou da falta que o presidente fará. “É muito triste o que aconteceu; Humberto foi um homem extraordinário; foi um grande líder prefeito. Ele foi determinante para a vitória do nosso grupo político; Ele foi um grande empreendedor. Foi um homem que prezou muito pela sua cidade. Deus permitiu que ele ficasse até o último segundo com a sua família. É com muita tristeza que recebi a notícia da sua morte. Todas as homenagens que fizermos a ele, serão poucas pelo grande homem que ele representou”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Jairzinho da Silva, de ‘O Povo com a Palavra’, morre de ataque cardíaco

'Debaixo do pé do cajueiro', o radialista e apresentar, Jairzinho da Silva, e seu companheiro, o boneco Migué. Foto: Reprodução/Kamaleao

‘Debaixo do pé do cajueiro’, o radialista e apresentar, Jairzinho da Silva, e seu companheiro, o boneco Migué. Foto: Reprodução/Kamaleao

A Comunicação do Maranhão está de luto. Morreu, nesta sexta-feira (04), vítima de ataque cardíaco, o radialista e apresentador do programa da TV Guará, ‘O Povo com a Palavra’, Jairzinho da Silva.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.