Poder

Em Anapurus, vítima de acidente de trânsito é transportada em caminhonete

anapurus

Revoltante, o tratamento dado às pessoas que precisam de atendimento médico no Município de Anapurus. Na madrugada da última segunda-feira (2), houve um acidente de trânsito na cidade, e uma das vítimas foi levada ao hospital na carroceria de uma caminhonete da prefeitura. O homem acidentado voltava de uma festa organizada pela prefeitura, em comemoração ao dia do trabalhador.

A cena lastimável foi registrada por moradores que presenciaram o transporte irregular e ilegal da vítima. No vídeo é possível ouvir os gritos desesperados das pessoas, alertando o motorista da caminhonete sobre o risco iminente da vítima cair do veículo em movimento.

Diante do risco da queda, dois homens subiram na carroceria para tentar proteger a vítima, e o motorista prosseguiu.Veja as imagens que indignaram a população de Anapurus:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Acidente com carreta da dupla Jorge e Mateus deixa um morto no MA

Carreta da dupla Jorge e Mateus bateu de frente com motocicleta (Foto: PRF)

Carreta da dupla Jorge e Mateus bateu de frente com motocicleta (Foto: PRF)

Um acidente envolvendo uma carreta com a logomarca da dupla Jorge e Mateus e uma motocicleta matou o jovem José da Silva Vidal, de 18 anos. O fato aconteceu por volta de 3h30 deste domingo (22), no Km 132 da BR-010, próximo a Estreito, no Maranhão, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com a PRF, os dois veículos vinham em sentidos opostos e bateram de frente. O perito do Instituto de Criminalística (Icrim) que esteve no local, Fernando Alves de Andrade, concluiu que a colisão se deu na pista contrária a da motocicleta, que era conduzida pela vítima.

A conclusão do Icrim indica que o jovem teria invadido a contramão e batido de frente com a carreta. O rapaz morreu na hora. A perícia também afirma que a vítima não possuía habilitação e que o corpo apresentava indícios de ingestão de bebida alcoólica.

O motorista da carreta, identificado como Marcos Fabiano de Souza Silva, foi autuado por “homicídio culposo por acidente de trânsito”, conforme o artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/1997). (Do G1MA).

De acordo com o site oficial da dupla, Jorge e Mateus fizeram um show em Santarém, no Pará, no sábado (21), e têm show marcado para este domingo, em Araguaína, no Tocantins.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

Acidente grave é registrado na estrada do Araçagi

Um acidente grave foi registrado na madrugada desta terça-feira (30), na estrada do Aracagi, em São Luís, no trecho próximo a uma sorveteria.

Apesar do estado em que ficou o veículo – uma SUV, modelo Freemont -, não houve feridos graves, nem morte. Um médico que passou pelo local do acidente ofereceu ajuda, mas teve a recusa dos ocupantes do veículo. (Do G1 MA)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Geral

Motoqueiro colide com carro na Litorânea

Um condutor de um veiculo que foi acusado de dirigir embriagado teria provocado acidente com um motocicleta motoqueiro, na noite de ontem quinta-feira 18), na Avenida Litorânea, em São Luís.

Nas imagens exibidas pelo Blog do Neto Ferreira, mostra a motocicleta de Rafael Filgueiras Ribeiro, destruida após o acidente. Ele teve fratura exposta na perna e foi levado para o Hospital UDI.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Uso de aparelho celular é o maior causador de acidente no trânsito

Após o grave acidente que vitimou a ex-primeira-dama de Vitorino Freire, Margareth Bringel Resende, ocorrido na última terça-feira (02) christian louboutin sale,ralph lauren outlet,louis vuitton outlet uk,cheap michael kors bags,cheap wedding dresses foi reaberto um debate a respeito da proibição do uso de celular e a obrigatoriedade de cinto de segurança.

Os celulares são usados direto por condutores de veículos em momentos errados, fruto ao desrespeito das leis de trânsito e motivo de várias mortes. Entre as cinco imprudências mais cometidas estão: Velocidade superior a máxima permitida, uso de aparelho celular ao dirigir e estacionar o veículo em locais proibidos.

De acordo com algumas pesquisas realizadas, o caso de mortes por uso de celular enquanto o condutor está dirigindo é grande. A Polícia Federal afirma que de todos os acidentes registrados, 80% são em fatores de imprudência do ser humano.

Algumas campanhas serão lançadas para melhorar a educação, fiscalização e respeito no trânsito para que haja a diminuição significativa nessa porcentagem de acidentes registrados.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Geral

Cabo Campos se envolve em acidente de trânsito

O vice-candidato derrotado a prefeito de São Luís, cabo Roberto Campos, lotado no 8º Batalhão de Polícia Militar, se envolveu em um acidente de trânsito,na tarde desta terça-feira (19), em São Luís. O fato ocorreu por volta das 12h, na avenida Jerônimo de Albuquerque.

Campos estava seguindo pela avenida Jerônimo de Albuquerque, sentido Cohab quando, quando colidiu na lateral de um corsa classic. Ele estava dirigindo um veículo modelo Logan.

Os motoristas não sofreram ferimentos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

PRF registra dez acidentes em rodovias, nas últimas horas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou, nas últimas horas, em rodovias federais que cortam o Maranhão, dez acidentes, sendo quatro com danos materiais e seis com feridos. No total, oito pessoas ficaram feridas. Os dados são da Central de Informações Operacionais (Ciop) da PRF.

Embriaguez

Em Ribamar Fiquene, no Km 191 da BR 010, uma pessoa foi presa por conduzir o veículo GM/Corsa Classic, em estado de embriaguez. No município de Imperatriz, no Km 253,9 da BR 010, outro condutor foi preso por consumo de bebida alcoólica.

Em Presidente Dutra, no Km 303,9 da BR 135, um espanhol, de 42 anos, foi preso por conduzir o veículo MMC/Pajero, placa NXF7815/MA, em estado de embriaguez.

Em Porto Franco, no Km 155 da BR 010, um homem, que conduzia um veículo Honda Biz, sem placa, foi preso, também, por embriaguez.

Em Santa Inês, duas pessoas foram presas por estarem em estado de embriaguez. No Km 264 da BR 316, uma pessoa foi presa conduzindo o veículo Toyota Hilux, de placa NNB4004/MA e outra foi presa por conduzir o veículo GM celta , placa HPT1641/MA.

No município de Caxias, duas ocorrências foram registradas. No Km 610 da BR 316, um homem foi preso por conduzir o veículo GM/ Monza, de placa LWK1308/PI, em estado de embriaguez. Já no Km 542 da BR 316, duas pessoas foram presas por estarem clandestinos no Brasil. (Do Imirante)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Caso Thor: o grave acidente e a lição salva-vidas

Por Milton Corrêa da Costa

Uma decisão (liminar) da Justiça acaba de suspender o processo de homicídio culposo a que Thor Batista responde. Há cerca dez meses o jovem envolveu-se num grave acidente de trânsito em que um ciclista foi atropelado e morto. Thor estava na direção de uma Mercedes-Benz SRL Mc Laren e o acidente se deu no período da noite, na rodovia Washington Luis, na localidade de Xerém, Município de Duque de Caxias, na região do Grande Rio. A perícia indireta, contratada pela defesa de Thor, apontou que a velocidade máxima de deslocamento do carro de Thor era de 104,4 km/h.

Ressalte-se que nos últimos dez anos cerca de 350 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito no Brasil, o equivalente a cerca de nove vezes a capacidade total do Estádio do Engenhão, no Rio, sem contar nos milhões de vítimas que resultaram feridas, algumas adquirindo sequelas irreversíveis pelo resto de suas existências. Acidentes fatais, na violência diária do trânsito brasileiro, acontecem. portanto, a todo instante, porém Thor Batista é filho de um empresário de sucesso e será sempre notícia, como herdeiro de um grande império.

Alguns fatos colocaram o jovem, de início, em situação de comodidade em relação a sua culpabilidade no acidente fatal. Primeiramente porque, segundo declarações de policiais rodoviários, Thor Batista não apresentava nenhum sinal de ingestão de bebida alcoólica. Em contrapartida, o exame cadavérico do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, concluíra que a vítima fatal possuía, em sua corrente sanguínea, um alta dosagem de alcoolemia: 15,5 decigramas de álcool por litro de sangue. Ou seja, quase oito vezes o teor alcoólico tolerável ( 2dg) para condutores de veículo automotor. Ademais, noticiou-se que a vítima foi colhida pelo carro de Thor quando atravessava a via escura com sua bicicleta, no centro da pista de rolamento, e não no acostamento da rodovia como o relato inicial de algumas testemunhas.

No entanto, o auto de local de exame, elaborado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli, sobre a velocidade com que Thor conduzia o veículo, concluiu que Thor dirigia a cerca de 135 km/h, numa rodovia em que o limite máximo permitido era de 110 km/h. Thor, até prova em contrário, também passou a ter culpabilidade no acidente, face ao constante no laudo oficial.

A defesa contestou os critérios pelos quais chegou-se àquela conclusão no laudo pericial. Como não teve acesso a um novo documento, apresentado tão somente ao Ministério Público, com os critérios de natureza técnica (metodologia de cálculo utilizada) que levaram os peritos àquela conclusão, a defesa impetrou recurso onde uma liminar, em favor de Thor Batista, foi concedida pela autoridade judiciária competente. A defesa alegou inclusive que o laudo passaria a ser nulo.

Registre-se que a ampla defesa e o contraditório também incluem o acesso, sob pena de violação de direitos, a laudos periciais, para análise de todas as informações técnicas disponíveis do processo. Um direito tanto da acusação quanto da defesa, não há dúvida. É o que se chama de Princípio da Paridade, onde as oportunidades têm que ser iguais para ambas as partes.Todavia, se o laudo oficial do local do acidente é uma “peça de ficção” como alegado de início pela defesa do acusado, caberá a esta provar em juízo tal afirmativa.

Fica a dúvida, porém, se em razão da concessão da presente medida liminar, Thor Batista estaria ou não, neste momento, apto legalmente para dirigir, uma vez que até então existia contra si uma medida de suspensão do direito de dirigir ( vide Artigo 294 do Código de Trânsito Brasileiro) imposta pelo próprio Poder Judiciário. Na área administrativa Thor foi submetido a novos exames de habilitação e devidamente aprovado.

O fato é que Thor, por pura sorte, escapou ileso de um grave acidente. O importante também -sua culpabilidade ou não será decidida pela Justiça- é que assimile, daqui pra frente, o ensinamento de que o carro, mormente num país de imprudentes e descuidados motoristas, é uma perigosa arma mortífera. Jovens, ainda em período de formação social, no aprendizado da vida, têm no volante de um carro a possibilidade de demonstração de poder, de desafio ao perigo e do comportamento competitivo exacerbado, características que lhes são muito peculiares. De quando em vez acabam envolvendo-se em tragédias fatais, em rodovias e vias urbanas, enlutando inúmeras famílias. Convém lembrar também que ciclistas, motociclistas e pedestres dão causa a inúmeros acidentes de trajeto no país.

Dirigir, portanto, não é lazer. Ao volante de um automóvel todo o cuidado é pouco. Aprenda-se definitivamente a importante lição que salva vidas.

Milton Corrêa da Costa é tenente coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Consumo do ‘rebite’ prossegue causando tragédias em estradas e rodovias brasileiras

Por Milton Corrêa da Costa

Há uma realidade, extremamente preocupante, constante e sem aparente solução, que prossegue produzindo, quase que diariamente, tragédias em estradas e rodovias brasileiras: o uso do chamado ‘rebite’, uma droga sintética, à base de anfetaminas, já usada com o nome de benzedrina pelas tropas alemães, na Segunda Guerra Mundial, para suportar a fadiga do combate e hoje muito consumida por caminhoneiros, autônomos ou não, para manterem-se acordados por longas horas, cumprir horários pré-determinados, efetuar um maior número de viagens, transportar cargas rapidamente e aumentar os lucros. Uma luta desenfreada para retardar o sono mas que tem produzido efeitos colaterais trágicos, como no acidente da manhã desta sexta-feira (27), na RS- 122, em Farroupilha, na Serra Gaúcha, que matou, no trecho da rodovia conhecido como‘curva da morte’, o repórter Enildo Paulo Pereira (59 anos) e o cinegrafista Ezequiel Barbosa (27 anos), do Grupo Bandeirantes, além de ferimentos causados em sete pessoas.

O motorista do caminhão desgovernado, que atingiu seis veículos e colidiu violentamente, na contramão de direção, de frente contra a caminhonete da Tv Bandeirantes matando os jornalistas,aparentava flagrante estado de torpor -há duas noites não dormia-desorientação espacial e fala desarticulada, tendo confessado ter feito uso de ‘rebite’, desde de quarta-feira (25), quando deu início à viagem, tendo a polícia encontrado o medicamento no interior do veículo. O camimhoneiro alegou ainda que, a 5 km do local da tragédia, havia percebido que algumas peças se desprenderam do caminhão -nem assim se preocupou em parar- e que por problema de freio não conseguiu controlar o veículo, invadindo a contramão de direção na chamada‘curva da morte’. Responderá agora por duplo homicídio doloso (dolo eventual ao assumir o risco do resultado danoso) e por sete tentativas de homicídio.

O médico Luciano Drager, do laboratório do sono do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, explica que qualquer motorista precisa ter no mínimo seis horas de sono para repousar e ter os reflexos e a atenção preservados durante a direção. O tempo ideal é de oito horas, afirma. “O condutor deve fazer pausas na viagem a cada duas ou três horas para repousar, lavar o rosto, esticar a perna, tomar um café. Quem vai dirigir à noite necessita de um dia inteiro de tranquilidade e descanso”- aconselha Dager.

O especialista explica que “um dos maiores riscos nas estradas são os caminhoneiros submetidos à privação do sono. Tomam medicamentos para não dormir e dirigem dias seguidos. Isso é um perigo porque ficam lentos e desatentos. Muitos têm excesso de peso e sofrem uma predisposição para períodos de sonolência”, disse. Dager aconselha ainda que quando a pessoa estiver muito cansada, a única solução é parar num posto ou num hotel para descansar.

Registre-se que o ‘rebite’ é uma droga cujo uso terapêutico auxilia principalmente na moderação do apetite. É uma droga sintética fabricada em laboratório e facilmente encontrada nas farmácias (quem receita e quem fiscaliza?), que são obrigados a vendê-la sob prescrição médica. Os médicos explicam também que tal droga é estimulante e que altera o psiquismo, aumentando, estimulando ou acelerando o funcionamento do cérebro e do sistema nervoso central.

A grande questão é que também provoca, como efeito colateral, esgotamento físico e mental e torna caminhoneiros em assassinos em potencial ao volante, quanto mais quando se dirige num país com boa parte de sua malha rodoviária mal pavimentada e sinalizada e em péssimo estado de conservação. O ‘rebite’ é pois um perigoso componente de incremento nas trágicas estatísticas de acidentes em estradas e rodovias, que como no caso do acidente da Serra Gaúcha acabou com a vida e os sonhos de duas vítimas inocentes. Até quando tal droga prosseguirá sendo consumida por imprudentes caminhoneiros, muitas vezes fornecidas por alguns irresponsáveis empresários?

Com a palavra as autoridades responsáveis pela fiscalização do trânsito rodoviário no Brasil. Urgentes medidas de contenção ao consumo do‘rebite’ precisam ser tomadas. Trânsito é meio de vida, não de mortes, dor, tragédias, sofrimento e mutilação.

Milton Corrêa da Costa é coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Jovens morreram pelo impacto do acidente ou afogados por ficarem presos ao cinto?

Por Milton Corrêa da Costa

Ninguém tem mais dúvida sobre a importância do uso (obrigatório) do cinto de segurança para todos os ocupantes de um carro. Estudos de medicina de tráfego já comprovaram, por diversas vezes, em testes específicos, a importância do cinto, do airbag duplo -é preciso também melhorar todos os itens de segurança na produção dos veículos nacionais-da cadeirinha, bebês-conforto ou assentos de elevação para uso do cinto, como dispositivos de retenção que objetivam evitar ou reduzir as lesões pós-impacto nos acidentes de trânsito.

Os diagnósticos sobre acidentes de trajeto concluem que a função básica do cinto e da cadeira é evitar o segundo impacto, mantendo motorista e passageiros seguros ao banco, observado o fato de que num acidente ocorrem duas sucessivas colisões. A primeira, do veículo contra o obstáculo. A segunda, dos ocupantes com alguma parte do interior do veículo, ou então são arremessados para fora do veículo, colidindo com o solo ou objetos fixos ou outro veículo em circulação na via pública, ou projetados em barrancos ou mesmo lançados em queda n’água.

Estudos científicos mostram que, dependendo da velocidade empreendida ao veículo e da força do impacto, quando se está usando corretamente o cinto ou as cadeirinhas evita-se, na maioria dos casos, que você seja arremessado pelo para-brisa; seja atirado pela porta; seja arremessado violentamente contra o banco da frente; bata contra o volante, a coluna, o teto ou painel do carro; colida contra os outros ocupantes do veículo; sofra graves lesões nos membros, no globo ocular, no rosto, no tórax, no crânio ou abdome; ou sofra ainda traumatismo na coluna cervical, podendo levá-lo até mesmo a ficar paraplégico ou tetraplégico.

No acidente que matou recentemente cinco jovens, na divisa do Espírito Santo e Bahia -um dos corpos foi encontrado nas margens do riacho- quatro das vítimas fatais (dois rapazes e duas moças) foram encontrados dentro do carro, afivelados ao cinto, tendo o veículo sido encontrado submerso no Rio Mucuri, já no Estado da Bahia, reabrindo-se assim a antiga discussão sobre a eficácia ou o entrave do cinto em caso de acidentes com queda n’água ou em acidentes seguidos de incêndio no veículo.

Há perguntas a serem respondidas. Os jovens já chegaram sem vida na projeção do carro no rio? Todos morreram em razão das lesões provocadas pelo impacto do acidente e do seguido capotamento? Ou de afogamento? Ou por ambas as causas? Até que ponto alguns mantiveram-se, apesar do impacto e da presumível alta velocidade do veículo, conscientes ou semiconscientes ao se projetarem n’água? E o pânico de alguns caso não soubessem nadar? Há total presença de água nos alvéolos pulmonares? São indagações sobre um filme real de terror que -não se sabe ao certo- só o laudo de exame pericial poderá concluir e afirmar sobre a causa mortis das vítimas, três moças e dois rapazes no esplendor de suas vidas.

Pelo sim e pelo não creio que a eficácia do uso de cinto de segurança- os acidentes com queda n’água e incêndios pós impacto constituem baixíssimo percentual de tipos de colisão- é indiscutível. O ideal é que, além de seu uso, assim como o capacete de segurança para os motociclistas, também nos tornemos mais prudentes e cuidadosos no trânsito. Trânsito é meio de vida não de morte, dor, sofrimento, tragédia e destruição. Use o cinto e seja sobretudo cauteloso ao volante. Se beber ou estiver sonolento não dirija. Preserve a vida. Seus entes queridos eaperam por você.

Milton Corrêa da Costa é coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.