Maranhão

Acusada de assédio moral, Secretária de Turismo continua abusando de autoritarismo

Secretaria de Turismo, Delma Andrade

Secretaria de Turismo, Delma Andrade

Saber gerir bem uma equipe é item indispensável para gestores atualmente. Comandar um quadro de pessoas não é fácil, tanto que algumas empresas já adotaram como procedimento, que a equipe escolha o próprio chefe. Tudo isso para evitar uma série de aborrecimentos e complicações durante o expediente de trabalho.

Mas isso nem sempre acontece. Na Secretaria de Estado do Turismo, por exemplo, a titular da pasta, Delma Andrade, vem causando um desconforto geral em sua equipe de trabalho, que é composta por pouco mais de 50 servidores.

Dentre as diversas reclamações, a mudança na rotina de trabalho e as dificuldades de acesso à secretaria ganham em disparada. Fora isso, alguns trabalhadores estão vendo seus salários diminuírem a cada mês, isso quando não recebem nada.

Durante o ano de 2014, a secretaria funcionava apenas no período vespertino, um alívio para quem precisava economizar com almoço, para manter outras despesas em dia. Agora, a secretaria é uma das poucas que funcionam em horário comercial e com a sede no Calhau ficou bem mais difícil o acesso, quanto mais os gastos com refeições, que na zona nobre da cidade é bem mais cara.

Delma Andrade ainda é daquelas que surpreendem. Recentemente a secretária achou conveniente rebaixar alguns servidores. Quem atuava na área técnica com nível superior ficou surpreso ao assinar a folha de frequência, que determinava uma mudança. Uma dessas pessoas atua agora na área de serviços gerais.

Além do descaso, falta bom senso. Um aviso prévio sobre a reestruturação deveria ter sido emitido. É uma situação humilhante. Já o secretário adjunto, Marcos Vinicius não pode dar palpites. Ouve as reclamações, embora não saiba como conduzir as queixas.

O assédio moral concedido gratuitamente por Delma já lhe renderam 15 Boletins de Ocorrência registrados por ex-servidores e mais 6 pedidos de exoneração “espontâneos”. O mais recente, do Superintendente e dois supervisores do CEPRAMA.

É inquestionável que a secretária tenha grande conhecimento técnico, mas se não consegue gerir uma equipe conseguirá desenvolver o turismo no estado? Nota zero para o seu conhecimento em gestão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Bomba! R$ 9.5 milhões podem ter sido desviados do governo para eleger deputado Juscelino Filho

Na campanha eleitoral a briga pelo mandato em sua maioria é desleal, criminosa e pode resultar em cassação do cargo eletivo pela prática do abuso de poder econômico, corrupção ou fraude que influenciam nas eleições.

E uma das fraudes apontadas surgem nos números estarrecedores, que chegam a quase R$ 10 milhões de reais em convênios usados para eleger Juscelino Filho, deputado federal. A verba oriunda do Governo do Maranhão foi transferida através da canetada de Fernando Fialho, ex-secretário de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes).

Fernando Fialho ao lado do genro Juscelino Filho.

Fernando Fialho ao lado do genro Juscelino Filho.

Médico de carreira e casado com a filha de Fernando Fialho, Juscelino Filho usou descaradamente da estrutura da pasta da qual o sogro controlava em prol de uma campanha que é questionada em Ação Direta (reveja) no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA). Pelo menos oito prefeituras receberam valores exorbitantes dos convênios em período vedado.

Documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira mostram que na cidade pacata de Cajari, Juscelino obteve apoio do prefeito Joel Dourado Franco e acabou sendo o mais votado com 2,346 votos. A expressiva votação é reflexo da benevolência do ex-secretário Fernando Fialho, que destinou R$ 1.5 milhão, através da Gerência de Inclusão Socioprodutiva.

Em Alto Alegre do Pindaré, o prefeito Altemir Botelho também apoiou Juscelino, garantindo quase 3 mil votos. Mas, por outro lado, foi agraciado com R$ 1.1 milhão. Altemir chegou a receber mais de meio milhão de reais nos meses de agosto, setembro e no dia 1 de outubro, faltando apenas quatro dias para as eleições.

O prefeito Edmilson Viegas, deu 3.469 votos, e recebeu em convênios R$ 2.1 milhões, pela Gerência de Inclusão Socioprodutiva. No dia 1 de outubro, o gestor recebeu R$ 717 mil da pasta que atua no Combate à Pobreza.

Na pequena cidade de Marajá do Sena, o prefeito Edivan também foi cooptado pelos milhões dos cofres estaduais e garantiu em votação um número inexpressivo de 424 votos. O impressionante é que Marajá do Sena recebeu R$ 3.2 milhões, em transferências voluntárias da Sedes.

Um caso grave cometido pelo deputado federal Juscelino Filho foi em Vitorino Freire. Ele postou em sua página no Facebook fotografias da entrega de um trator ao sindicado no dia 8 de novembro, pouco mais de 1 mês após as eleição.

Ele confessa o crime no próprio texto. “Na manhã do último sábado, realizamos a entrega de um tratos agricula para o sindicato dos trabalhadores Rurais de Vitorino Freire. Na sede da entidade, onde fomos calorosamente recepcionados e pudemos falar da nossa alegria em poder proporcionar essa melhoria na vida deste trabalhadores, tão importantes para a economia do nosso municipio #VitorinoFreireÉFederal”.

O abuso de poder fica ainda mais evidente em Lago da Pedra. O parlamentar anunciou na primeira pessoa que fez a entrega de outro trator, por intermédio do vereador Julyfran Catingueiro. O vereador confirma o crime em declaração. “Recebemos através do deputado federal eleito Juscelino Filho, honrando assim compromissos de campanha”.

Juscelino Filho prometeu e cumpriu a doação de um trator para comunidade como se fosse uma atuação sua, como se pudesse um mero particular ser o responsável pela doação de um bem pertencente ao Poder Público.

Isso é apenas a ponta do iceberg, que será revelada em outros capítulos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Deputado Juscelino Filho pode ser cassado neste mês por corrupção

Deputado federal  Juscelino Filho.

Deputado federal Juscelino Filho.

A Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), impetrada contra o deputado federal Juscelino Filho (PRP), avançou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA). A corte deve julgar até o próximo mês e, segundo juristas, pode resultar na perda do mandato.

O processo de cassação que tramita em segredo de Justiça e tem como advogado de defesa Márcio Coutinho, foi concluso no dia 5 deste mês para o relator Daniel de Faria Jerônimo Leite. O relator deve encaminhar para o Ministério Público Federal dá o parecer.

Juscelino Filho é acusado de abuso de poder econômico, corrupção ou fraude que influenciaram, especificamente, no caráter democrático da eleição. Ele configurou o abuso de poder econômico pelo uso irregular de recursos financeiros que infringiram a normalidade e a legitimidade das eleições.

Corrupção, por sua vez, foi apontada na destinação de diversos convênios celebrados pelo o ex-secretário de Desenvolvimento Social do Maranhão, Fernando Fialho. Fialho é sogro de Juscelino Filho e apontado como o responsável em influenciar o desequilíbrio entre os candidatos.

IMG_731


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.