Judiciário / Poder

Justiça determina suspensão da greve dos professores municipais de São Luís

G1, MA

greve_de_professores_da_rede_publica_municipa

O desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) Lourival Serejo determinou, na manhã desta terça-feira (31), a suspensão da greve dos professores municipais da Educação, em São Luís. Por meio de liminar, ele pede a retomada das aulas, que foram paralisadas, desde a última quarta-feira (25) em escolas da capital.

Em caso de descumprimento da decisão, Serejo estipulou multa diária de R$ 10 mil para o sindicato responsável. O comando de luta responsável pela paralisação informou que não recebeu nenhuma notificação e que irá recorrer da decisão.

A presidente do Sindicato dos Profissionais do Magistério da Rede Pública Municipal de São Luís (Sindeducação), Elizabeth Cardoso, afirmou ao G1 que o movimento não será suspenso enquanto o sindicato não for notificado.

Revindicações

Os professores querem reajuste salarial de 11,36% integral com retroativo, e rejeitou a proposta da Secretaria Municipal da Educação (Semed), de 10,67% em duas parcelas, sendo a primeira de 5% no mês de junho, com retroativo a janeiro, e a segunda de 5,4% em novembro, sem retroativo. 449 professores da rede pública municipal decidiram pela paralisação das atividades durante assembleia geral extraordinária realizada no dia 19 de maio.

De acordo com o Sindeducação, 80% das 281 escolas da rede municipal de ensino estão sem condições apropriadas para abrigar alunos, com ‘infraestrutura degradada’ e ‘a grande maioria vulnerável às ações de criminosos, pela total ausência de segurança’.

documento


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Termina a greve dos professores da rede municipal de São Luís

Na noite desta quinta-feira (04) chegou ao fim da greve dos professores de São Luís. Eles que estavam há 106 dias em paralisação geral, decidiram finalmente por o fim da greve em assembleia, desde que a prefeitura honre compromissos acordados com a categoria.

A assembleia, iniciada as 17:00 horas, teve o apoio de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e alunos de escolas. Durante a reunião, foram expostos todos os termos negociados entre a classe e a Secretaria Municipal de Educação (SEMED).

Os professores afirmaram que o prefeito Edivaldo Holanda Junior não deu importância a luta dos professores e foi omisso durante todo o período que estiveram parados. Durante a assembleia o assessor jurídico do SINDEDUCAÇÃO, Antonio Carlos Araújo, declarou que o retorno dos professores ás escolas acontecerá na terça-feira (09).

Segundo informações, os professores decidiram desocupar o prédio da prefeitura assim que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) for formalizado entre SINDEDUCAÇÃO e a SEMED. Está previsto uma reunião para este fim na sexta-feira as 10:00 horas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.