Maranhão

Delegado que prendeu advogado é acusado de agredir deficiente mental

O delegado de Coroatá Alex Aragão de Melo, na imagem ao lado o jovem Helton Gonçalves.

O delegado de Coroatá Alex Aragão de Melo, na imagem ao lado o jovem Helton Gonçalves.

Mais uma denúncia veio à tona contra o delegado de Coroatá Alex Aragão de Melo. Ele foi acusado crime de abuso de autoridade e torturas praticadas contra um portador de deficiência mental, Helton Gonçalves de 28 anos de idade.

O crime cometido pelo delegado teria acontecido no dia 2 de junho justamente no dia em que estava acontecendo a inauguração da Defensoria Pública de Coroatá. Segundo testemunhas, o delegado teria espancado o deficiente que não teria obedecido a sua ordem. Helton foi surpreendido pela autoridade que partiu para cima com truculência usando de agressão em via pública.

A história não parou por aí. Na chegada a delegacia Helton teve spray de pimenta lançado em seus olhos (detalhe: ele já se encontrava imobilizado), além do spray ele ainda foi agredido com vários socos no estomago.

A compostura do delegado levou o Poder Legislativo de Coroatá a aprovar contra o delegado Alex Aragão, Monção de Repúdio e um Titulo de Persona Non Grata. A Monção de Repúdio será enviada a todas autoridades coroataenses, civis, religiosas, entidades que trabalham diretamente com a sociedade e OAB do Maranhão.

A autoridade que devia garantir segurança na cidade de Coroatá hoje causa medo na população. muita gente já voltou da delegacia por ser impedido de registrar boletins de ocorrências pelo fato do delegado achar o problema insignificante demais para ser registrado ou por encontrar a delegacia de portas fechadas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.