Maranhão

Em nota, Ribamar Alves diz que desculpa a Juíza que o acusa de assédio

Prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves

Prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves

O prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves veio a publico, esclarecer as noticias de que ele teria agredido sexualmente a Juíza daquela comarca,  Larissa Tupinambá Castro.

Na nota o prefeito além de negar as acusações da Juíza, ainda diz que desculpa a magistrada pelas acusações e que espera que a mesma esclareça, o que segundo ele não passou de um “mal entendido”.

Abaixo a nota do prefeito Ribamar Alves:

Nota-Ribamar-Assedio

Nota-Ribamar-Assedio2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Ribamar Alves é acusado de tentar beijar juíza à força

Juíza-Larissa-Tupinambá-Castro-é-assediada-pelo-prefeito-tarado-Ribamar-Alves1-e1387521608154O prefeito Santa Inês, Ribamar Alves, adora mesmo uma boa mídia nem que seja negativa. Depois de protagonizar diversas presepadas a frente da prefeitura, ontem o prefeito fanfarrão passou dos limites e tentou agarrar a força a Juíza, Larissa Tupinambá Castro que é esposa do atual secretario de educação de São Luis, Geraldo Castro.

Abaixo a nota da Associação dos Magistrados:

A ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO MARANHÃO – AMMA vem a público repudiar a atitude reprovável, sob todos os aspectos, do Prefeito Municipal de Santa Inês, José Ribamar Alves, que, nesta quinta-feira (19), a pretexto de tratar de assuntos relacionados à municipalidade, procurou a Juíza da 2ª Vara daquela Comarca, Larissa Tupinambá Castro, sendo por ela recebido no seu gabinete, oportunidade em que, ultrapassando todos os limites da ética e da moralidade, assediou a magistrada e, em seguida, segurando-a, à força, desferiu-lhe um beijo, tendo sido imediatamente repelido.

Após a intervenção dos funcionários, alertados pelo pedido de socorro da magistrada, o fato foi levado imediatamente ao conhecimento da autoridade policial, que já instaurou o procedimento para apuração da conduta delituosa, com a consequente adoção das demais medidas legais.

Trata-se de questão de gênero, onde a magistrada foi atingida em sua dignidade, merecendo, a exemplo de situações assemelhadas de que são vítimas inúmeras mulheres, rigorosa punição .

A AMMA se solidariaza com a sua associada Larissa Tupinambá Castro, a quem prestará a assistência jurídica necessária e acompanhará o caso no âmbito da esfera competente.

São Luís, 19 de dezembro de 2013


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.