Poder

A polícia precisa falar…

Blog do Marco D’Eça

Aluísio só fala nos bastidores; Cutrim já deu declarações.

Aluísio só fala nos bastidores; Cutrim já deu declarações.

O deputado Raimundo Cutrim (PSD) já falou. Se defendeu, admitiu as ligações com Júnior Bolinha, mas negou envolvimento no assassinato de Décio Sá.

A governadora Roseana Sarney (PMDB) também já falou. Garantiu que a polícia irá investigar até o último ponto e afirmou não acreditar no envolvimento de Cutrim, seu ex-secretário de Segurança.

Mas a polícia precisa falar.

O secretário Aluísio Mendes e sua equipe de delegados precisam explicar por que, diante do depoimento de Jhonatan Souza, não tomaram qualquer medida em relação ao parlamentar governista.

Algumas perguntas precisam ser feitas:

1 – Se Jhonatan afirmou tratar-se do próprio deputado Raimundo Cutrim, por que o Cutrim citado no pedido de prisão não foi qualificado?

2 – Se a polícia não acredita no envolvimento do deputado Cutrim no caso, por que fica vazando informações nos bastidores – como os telefonemas de Gláucio e Bolinha, por exemplo?

3 – Se o Cutrim citado por Jhonatan não é o deputado Raimundo Cutrim, o que a polícia tem a dizer sobre isso?

4 – Por que a polícia não tomou nenhuma providência contra o deputado – seja para ouvi-l0 como testemunha ou para questionar outros envolvidos sobre sua participação no crime?

5 – Mais importante: por que Fábio Capita, que teve apenas citações superficiais, está preso, e Raimundo Cutrim, apontado como “mandante principal”, segundo o depoimento, não foi nem qualificado?

Aluísio Mendes e sua equipe precisam esclarecer estes pontos, ainda que mantenham a investigação sob “sigilo”.

Caso contrário, parecerá que a acusação contra Cutrim fora montada pelo próprio Sistema de Segurança.

Numa disputa desenfreada por poder policial…


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

“Júnior Bolinha” presta depoimento hoje na SEIC

Júnior Bolinha

Júnior Bolinha

Desde o dia da sua prisão no dia (13), deste mês, José Raimundo Sales Chaves Júnior, o “Júnior Bolinha” se manteve preso no 8° DP policial localizado no bairro da liberdade.

Hoje por volta  das 09:00 ele foi encaminhado para prestar depoimento na Superitendência de Invetigações Criminais (SEIC).

Júnior bolinha é acusado de fazer parte da quadrilha que tramou e executou o jornalista/blogueiro Décio Sá. Bolinha, foi quem contratou pistoleiro Jhonhatan de Sousa que assassinou brutalmente o jornalista na Avenida Litorânea.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.