Poder

Relatório aponta fraudes no Hospital Macrorregional de Coroatá

O Blog traz com exclusividade um relatório de horas extras do Hospital Macrorregional de Coroatá, encaminhado ao Instituto Corpore, responsável pela administração da unidade de saúde.

Havia um forte indício de práticas fraudulentas no Hospital, comandadas pela coordenadora de enfermagem, Tatiana Vasconcelos. O parecer , emitido no mês de outubro de 2015, constatou uma série de irregularidades e fraudes envolvendo a coordenadora Tatiana e parte da sua equipe de enfermagem.

O documento apontou que o enfermeiro Ricardo Clayton Jansen, supervisor do Centro Cirúrgico da unidade, registrou horas extras inverídicas e injustificadas no Aviso de Ponto. Assim também, como o enfermeiro Mozart Dantas de Oliveira Neto, supervisor da UTI NEO, que assinou o ponto em dias que não trabalhou. Em situação irregular também, está o enfermeiro Silfran Silva Monteiro, que exerceu horas extras dentro da própria escala, o que não é permitido.

O relatório destacou que a coordenadora Tatiana Vasconcelos tinha ciência dos atos e era conivente com as práticas criminosas, pois havia assinado todas as horas extras. Tatiana é esposa do vereador Cássio Reis (PSDB) e tesoureira do PC do B em Coroatá.

Mesmo diante da constatação das irregularidades, Tatiana continua a ocupar o cargo de coordenadora de enfermagem. De acordo com denúncias, ela se mantém no posto por ser protegida do articulador político da região dos Cocais, Sebastião de Araújo (PC do B), mais conhecido como Ciba.

De acordo com relatos, toda e qualquer iniciativa para denunciar a coordenadora de enfermagem era punida com demissão imediata; como foi o caso do ex-diretor do Hospital Macrorregional de Coroatá, Godô Brandão, e do diretor do departamento de Recursos Humanos, Císio Janus Lopes Costa. Recentemente também foi demitida a coordenadora administrativa do Hospital, Karla Maria Carneiro.

Até hoje, algumas demissões nunca foram justificadas. Suspeita-se que todas essas dispensas foram efetivadas através de acordos políticos firmados entre o esposo de Tatiana e Sebastião de Araújo para proteger e ocultar todas as supostas fraudes cometidas pela coordenadora de enfermagem.

Outro fato intrigante ocorrido no Hospital Macrorregional de Coroatá, foi a recontratação de Tássia Vasconcelos, filha de Tatiana, que havia sido demitida por ser funcionária fantasma na unidade de saúde. Tássia publicou, no dia 15 de fevereiro deste ano, em uma rede social que estava grávida de um mês. Ela foi recontratada no mês de abril, após a confirmação da gravidez; o que não seria permitido por lei.

IMG-20160503-WA0008

IMG-20160503-WA0004

IMG-20160503-WA0006

IMG-20160503-WA0005
thumbnail_IMG-20160503-WA0029


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Política

As fraudes continuam no Hospital Macrorregional de Coroatá

O Blog já denunciou, mais de uma vez, o esquema fraudulento que está ocorrendo no Hospital Macrorregional de Coroatá. As denúncias relataram a máfia das horas extras, os abonos de faltas de alguns enfermeiros fantasmas e o sumiço do livro de ponto; tudo orquestrado pela coordenadora de enfermagem da unidade, Tatiana Peixoto Vasconcelos Conceição (Reveja). Mesmo com todas essas irregularidades, nenhuma providência foi tomada e os envolvidos continuam ‘trabalhando’ no hospital.

Novas denúncias foram enviadas ao Blog. Desta vez, as queixas referem-se a quantidade insuficiente de enfermeiros por plantão para atender a demanda de pacientes, apenas um profissional para cuidar de 12 leitos de UTI; o que segundo a denúncia é proibido por lei. Ainda de acordo com as informações, é comum em dia de domingo, o enfermeiro plantonista faltar e um técnico de enfermagem assumir o setor de Pronto Atendimento. Uma verdadeira ilegalidade, consentida pela coordenadora Tatiana.

As denúncias referem-se ainda, ao fato do supervisor Jackson assumir a função dele e de um enfermeiro faltoso, ao mesmo tempo. Enquanto os profissionais do esquema criminoso recebem seus salários sem trabalhar, sobrecarregam os que de fato trabalham e comprometem o atendimento na unidade de saúde; prejudicando a saúde dos pacientes.  Os profissionais que reclamam ainda sofrem perseguição por parte da coordenadora. Um verdadeiro absurdo.

Nas imagens abaixo, é possível ver algumas alterações feitas no livro da unidade. É possível verificar também, o nome do enfermeiro Jackson em várias plantões. Confira:

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

O sumiço do livro de registro do hospital de Coroatá

Mais uma prova aponta Tassia Vasconcelos, que é filha do vereador Cássio Conceição (PSDB) e enfermeira, como funcionária fantasma do Hospital Macrorregional de Coroatá.

Em fevereiro, o Blog divulgou informações que afirmam que a funcionária não cumpre corretamente com a sua jornada de trabalho (Reveja)

A partir disso, surgiu outro indício de que Tássia, juntamente com a sua mãe que é coordenadora de enfermagem da unidade hospitalar, estaria burlando a lei. Segundo relatos, nessa semana o Livro de Registro de Atividade da UTI Adulta sumiu.

Ainda de acordo com a denúncia, no livro estava registrado que a filha do vereador não estava indo trabalhar.

A imagem abaixo é um recorte do objeto onde estava o registro do não cumprimento do plantão.

IMG-20160307-WA0043


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Saúde

Instituto manda investigar filha de vereador suspeita de ser funcionária fantasma

A direção do Instituto Corpore, empresa responsável pelo gerenciamento do Hospital Macrorregional de Coroatá, solicitou, no dia 30 de novembro, uma investigação para apurar a conduta de alguns funcionários que não estão cumprindo com a jornada de trabalho na unidade de saúde.

“Atendendo a uma solicitação do nosso Diretor Administrativo, Sr. Francisco Carvalho Brandão e do nosso Administrador Hospitalar da Corpore, Sr. Alberto Américo, solicitar junto ao RH da referida empresa, para ser averiguada a entrada, saída e a ausência, dentro da unidade, de nossos colaboradores, pois identificamos a falta de compromisso por parte de alguns profissionais. Peço, diante do exposto, que isso seja verificado, e que sejam adotadas as medidas cabíveis” diz o ofício encaminhado pela direção da empresa.

O documento supostamente trata-se de Tassia Vasconcelos, que é filha do vereador Cássio Conceição (PSDB) e enfermeira, e seria funcionária fantasma da unidade hospitalar.

Segundo relatórios enviados ao Blog do Neto Ferreira, Tassia recebe o salário de R$ 1.855,55 mensais, mas apareceu no seu local de trabalho nenhuma vez. Ainda de acordo com as informações, a chefe da enfermeira é a própria mãe, Tatiana Vasconcelos que é a coordenadora de enfermagem do hospital.

Outro ponto bastante duvidoso é que na relação de crédito bancário, sob o código de funcionário de nº 12135, em agosto de 2015, apareceu um vencimento de R$ 999,77. Porém, no contra-cheque, Tassia recebe R$ 1.855,55 mensais sob o código de funcionário de nº 12135.

Já entre os meses de setembro e novembro de 2015, o mesmo crédito bancário veio com o último valor referido acima.

Vale ressaltar que, após oficio encaminhado pela direção do Instituto Corpore em novembro, em dezembro foi registrado um Boletim de Ocorrência na delegacia de Coroatá pela Coordenadora Administrativa do Hospital, Karla Maria Carneiro, denunciando o furto de um pen-drive que continha informações sigilosas.

A coordenadora afirma que o equipamento foi levado da sua sala. “Eu me preparava para sair, quando notei que foi furtado de dentro de minha sala, mais precisamente de cima da mesa, um pen drive, contendo várias informações profissionais e documentos (espelhos) de folhas de pagamento, depósitos do Banco do Brasil e escala de plantão de profissionais da Casa de Saúde, sendo alguns documentos de informações sigilosas” denunciou.

coroata

Contra-cheque de Tassia Vasconcelos de agosto de 2015.

coroata1

coroata2

coroata3


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.