Cidade

Deputado Júnior Verde integrou comissão que ajudou na suspensão da greve de policiais

Assembleia Policia Civil

Assembleia Policia Civil

A greve dos policiais civis do Maranhão está suspensa até o dia 4 de setembro, quando o Governo definirá a proposta apresentada pela categoria. Será mantido o estado de greve. A decisão foi tomada ontem (10) durante Assembleia Geral realizada pela categoria, oportunidade em que o deputado estadual Júnior Verde (PRB) reforçou a permanència de um diálogo entre a categoria e o Governo Estadual.

O grupo que faz parte do movimento grevista se reuniu em frente à REFESA, onde funcionava o Plantão Central da Polícia Civil, no centro de Sao Luís. A suspensão foi definida por uma diferença mínima. Para Júnior Verde, convidado para participar da reunião, “o mais importante é que o diálogo prevaleceu”.

Na semana passada, uma comissão de deputados recebeu um grupo de policiais civis para negociar o fim do movimento. A comissão composta por Júnior verde, Eduardo Braide, Valéria Marcelo, Cabo Campos, Dr. Levi e Wellington do Curso ajudou nas negociações entre membros da diretoria do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) e o secretário de Articulação Política do Estado, Márcio Jerry.

O Governo vai avaliar o reajuste escalonado, que vai de 2016 a 2018, recompondo assim, as questões salariais, objeto de reivindicação da categoria. Através de um entedimento com o presidente da Assembleia, Humberto Coutinho, o Legislativo Estadual não votará a Lei Orçamentária enquanto não forem encaminhadas as tabelas de reajuste, dentro dos valores propostos pelo governo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Greve da polícia deve ser suspensa conforme decisão da justiça

Foto ilustração_ Viaturas da polícia civil

Foto ilustração_ Viaturas da polícia civil

Após o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (Sinpol), anunciar greve geral da policia civil por tempo indeterminado, a justiça do estado determinou que o Sindicato suspenda o movimento grevista, deixando de promover, divulgar ou incentivar qualquer medida que impeça ou embarace a regular e contínua prestação do serviço público inerente à atividade policial desempenhada pelos policiais civis do Estado do Maranhão.

Ao deferir o pedido do Estado, o desembargador Kleber Carvalho ressaltou que, mesmo sendo possível atender a pauta reivindicatória do sindicato, haveria de se considerar que, exercendo carreira de Estado, os policiais civis têm a missão de zelar pela manutenção da ordem e segurança pública.

De acordo com a decisão, o descumprimento da determinação judicial incide em pena de multa diária de R$ 20 mil, além do desconto salarial dos dias não trabalhados daqueles servidores que continuarem em greve após a declaração da ilegalidade. O Sinpol tem 15 dias para apresentar contestação.

Os policiais estão em greves desde ontem (03), para reivindicar direitos que entendem possuir, como melhores condições de trabalho, ampliação do efetivo de oficiais da corporação e reestruturação do subsídio com base nas tabelas apresentadas pelo Governo do Estado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.