Maranhão

Fantástico repercute execução de mecânico no Maranhão

O “Fantástico” exibiu ontem (07) reportagem sobre a morte do mecânico Irialdo Batalha (veja o vídeo), de 35 anos, assassinado no dia 28 de maio, em Vitória do Mearim, por um zelador.

A matéria seguiu mostrando que o zelador Luís Carlos Machado de Almeida participava de uma blitz da PM e acabou executando uma pessoa na frente de todo mundo, em plena luz do dia. O Fantástico relatou que os policiais começaram a atirar e acertaram o garupa da moto – Irinaldo Batalha – que caiu, mas ainda estava vivo.

O governo chegou a emitir nota alegando que houve troca de tiros, mas o delegado Guilherme Souza Filho informou que as duas vítimas não estavam armadas. Confira abaixo a matéria completa.

Um crime inacreditável. Como pode um zelador municipal participar de uma blitz da PM e acabar executando uma pessoa na frente de todo mundo, em plena luz do dia?

No vídeo, um homem no chão acabou de ser baleado em uma blitz da PM em Vitória do Mearim, interior do Maranhão. Ele está cercado por curiosos.

No meio da aglomeração está um homem uniformizado. Repare nos trajes dele: calça de estampa militar, colete à prova de balas. Parece um policial. Ele inclusive segura uma arma.

O homem pisa na cabeça da vítima e atira duas vezes. Depois da execução, o assassino e um policial colocam o corpo no carro da PM e vão embora.

Tudo aconteceu em uma rodovia. Os dois jovens seguiam de moto para uma festa. Quando fizeram uma curva deram de cara com uma blitz. O piloto da moto diz que não conseguiu frear imediatamente e, segundo as investigações, os policiais começaram a atirar. Acertaram o garupa da moto que caiu, mas ainda estava vivo.

O garupa era o homem que acabou sendo executado: Irialdo Batalha, um mecânico de 35 anos que não tinha passagens pela polícia.
Quem pilotava a moto era um amigo de infância, Diego Fernandes, que levou um tiro no pé. Diego diz que a moto está com um problema no freio e por isso ele não conseguiu parar na blitz. “Quando eles viram que eu não ia conseguir parar, já começaram atirar”, diz Diego Fernandes.

A moto ainda vai ser periciada. Com base no depoimento dos PMs que estavam na blitz, a secretaria de Segurança Pública do Maranhão afirmou que houve troca de tiros durante uma perseguição a suspeitos de realizarem assalto a comércio.
Para o delegado que investiga o caso, não houve troca de tiros. “Segundo as testemunhas do lugar do crime, as duas vítimas não estavam armadas”, afirma o delegado Guilherme Souza Filho.

A PM então reconheceu o erro e prendeu os dois PMs que fizeram a blitz, identificados apenas como sargento Miguel e soldado Gomes.
E quem é o assassino?

O homem que aparece no vídeo atirando era contratado como zelador pela prefeitura da cidade e estava cedido para prestar serviços à polícia, mesmo respondendo a um processo por homicídio e de não ter sequer autorização para usar uma arma, ele participava de operações policiais. Ele se chama Luís Carlos Machado de Almeida e foi preso na quinta-feira passada.

“Ele era pago pelos cofres do município para trabalhar de vigilante e eu não sei porque cargas d´água ele estava trabalhando, usurpando a função de policial militar”, diz o delegado.

Pior: segundo o delegado, esse não foi o primeiro crime de Luís Carlos cometido em uma blitz. “Ele inclusive aqui na comarca de Vitória do Mearim responde a outro homicídio com as mesmas características”, afirma o delegado.

O comando da PM diz que não sabia que Luís Carlos participava clandestinamente de operações da PM. “A informação que tenho do comando local é que era uma pessoa colocada pela prefeitura para a parte administrativa e não tinha como fim desenvolver operações policiais”, diz o comandante geral da PM do Maranhão, Marco Antonio Alves.

Segundo a apuração da PM, Luís Carlos foi convocado para participar da blitz por um dos policiais que agora estão presos. “O sargento Miguel que era o comandante naquele momento é que fez a solicitação”, diz o comandante.

Irialdo foi levado já morto para o hospital da cidade. O corpo foi periciado, mas o laudo ainda não ficou pronto. Depois da divulgação das imagens, a Secretaria de Segurança emitiu uma nova nota.

Essa nota chama Irialdo de suspeito de participar do assalto, mas reconhece que ele foi executado. A nota afirma ainda que o governo do estado adotará todas as medidas para punir todos os responsáveis pelo crime.

Na sexta-feira passada, houve manifestação em Arari, cidade onde Irialdo morava. “Naquele momento em que ele estava atirando nele ali, ele não estava matando só ele: estava matando todos aqui, junto, porque a família está destruída. Ninguém tem mais alegria para nadaafirma Izanilton Batalha, irmão da vítima.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Secretário de Segurança Pública diz que mecânico não era “criminoso”

Secretário de Segurança.

Secretário de Segurança.

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, disse ontem quinta-feira (4) que o mecânico executado na cidade de Vitória do Mearim, a 178 km de São Luís, não teve envolvimento com nenhum crime. O mecânico Irialdo Batalha foi assassinado por um vigilante da Prefeitura da cidade na frente de policiais militares.

Os policiais militares estão presos em São Luís, e o vigilante suspeito da execução do mecânico, que foi identificado como Luiz Carlos Machado, foi preso pelo Serviço de Inteligência da 13ª Companhia da Polícia Militar de Viana na noite dessa quarta-feira (3). Ele estava escondido em um quarto alugado no bairro da Forquilha, em São Luís.

De acordo com o secretário, testemunhas oculares não confirmaram que o mecânico tenha disparado contra a guarnição da Polícia. Ele também acrescenta que não há nenhuma constatação de envolvimento dele com a prática de roubo, situação essa revelada por meio das imagens.

“Nós temos o fato grave de que testemunhas oculares não confirmam que os motoqueiros tenham disparado contra a guarnição e segundo não confirma que tenha caído após a queda dele na estrada tenha caído alguma arma perto da vítima e terceiro não há nenhuma constatação de envolvimento deles com a prática de roubo, pelo o contrário, até agora não há nada que vincule a autoria deles contra a prática de roubo. Tanto que o juiz soltou o condutor da moto porque ele havia sido autuado não por roubo. Ele havia sido autuado por tentativa de homicídio e resistência em relação à guarnição e foi solto por decisão judicial”, esclareceu.

Sobre a participação do vigilante em uma operação policial, o secretário Jefferson Portela reprovou a atitude da unidade de policiamento do município maranhense. “Ele estava com uma aparência de policial. Isso é um erro da unidade local porque qualquer servidor municipal ou estadual cedido pela unidade de Polícia ele só pode exercer atividade administrativa interna. Jamais participar de procedimentos policiais. Ele não poderia está com a aparência de policial, muito menos armado e envolvido em uma ação policial, tanto que deu no que deu”.

Relembre
Na tarde do dia 28 de maio, Luiz Carlos acompanhava dois policiais militares em uma operação que visava interceptar dois suspeitos de serem assaltantes. Eles montaram uma blitz na BR-122, entre Vitória do Mearim e Arari. Irialdo e o amigo Diego Ferreira estavam em uma moto, não pararam na blitz e foram alvejados. Irialdo tinha 34 anos de idade, havia chegado do Pará há um mês e estava prestes a voltar.

No vídeo, Luiz Carlos Machado aparece atirando contra a vítima desacordada, junto com dois policiais militares que foram presos. A execução aconteceu em plena luz do dia. Luiz Carlos era funcionário da Prefeitura de Vitória do Mearim e estava cedido à Polícia Militar. (Do G1MA).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Vitória do Mearim: Polícia apresenta executor de mecânico

Foi apresentado, durante entrevista coletiva, na manhã de quarta-feira (4), na Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão (SSP), o vigilante Luiz Carlos Machado de Almeida, suspeito de executar o mecânico Irialdo Batalha, em público, no dia 28, no município de Vitória do Mearim. Durante a coletiva, o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, disse que o acusado foi preso desde a noite de terça-feira (3), após ser capturado por policiais militares do município de Viana e levado ao Plantão do Cohatrac, em São Luís.

Vigilante.

Vigilante.

Em depoimento, o suspeito confessou ter atirado duas vezes contra o mecânico Irialdo Batalha, que já estava no chão após cair da moto em qu estava. Irialdo foi perseguido pela polícia por não ter parado em uma barreira. Segundo o suspeito, ele teria pegado a arma das mãos da vítima, mas essa versão é contestada pelas testemunhas que estavam no local, já que, segundo as testemunhas, não houve troca de tiros, apenas os policiais e o vigilante estavam armados.

Luiz Carlos relatou também que após deixar o mecânico e o condutor da moto no hospital do município acompanhado pelos policias, ele seguiu de moto até o município de Arari. No caminho, ele teria jogado a arma do crime, o coturno e a calça que usava no momento dos disparos no Rio Mearim. Já em Arari, teria deixado a moto na casa da mãe e seguido de van até São Luís, onde ficou escondido na casa de uma irmã, no bairro da Forquilha, até a terça-feira (3).

A versão de que os policiais e o vigilante estavam perseguindo a moto por suspeita de roubo já foi descartada. Desta forma, o condutor da moto que levava Irialdo e que estava preso desde o dia 28 na Delegacia de Vitória do Mearim, já foi solto.

Os dois policiais envolvidos no crime foram presos e autuados em flagrante pela Delegacia de Homicídios, em São Luís, e responderão pelo crime de homicídio qualificado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Preso zelador que executou mecânico em Vitória do Mearim

O Serviço de Inteligência da 13ª Companhia Independente da Polícia Militar, do município de Viana, efetuou, na noite desta quarta-feira (3), a prisão do vigilante Luiz Carlos Machado, acusado de assassinar o mecânico Irialdo Batalha, no dia 28 de maio, em Vitória do Mearim. Luiz Carlos foi detido no bairro da Forquilha, em São Luís, e será apresentado no Plantão do Cohatrac.

O homicídio de Irialdo foi registrado em um vídeo gravado por populares. O mecânico, que estava desacordado e caído no chão, foi executado com dois tiros na cabeça. Luiz Carlos Machado aparece vestindo uma farda no estilo militar, mas a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) informou que o atirador era um vigilante, funcionário do município de Vitória do Mearim, e não um policial.

Em nota, a SSP informou que Luiz Carlos Machado estava acompanhado de policiais militares, em uma perseguição a dois suspeitos de praticarem assalto a um comércio, que resultou em uma troca de tiros. Um dos suspeitos, que seria Irialdo, foi baleado, caiu da moto e bateu a cabeça. Depois disso, de acordo com as testemunhas, o vigilante se aproximou e efetuou os disparos, sem a presença dos policiais militares, que estariam perseguindo o segundo indivíduo.

Populares e parentes da vítima, por sua vez, deram outra versão: Irialdo e outro homem, moradores de Arari, estariam bebendo em Vitória do Mearim e não pararam em uma blitz policial quando voltavam para o seu município, já que a moto do mecânico estava sem placa. A polícia, então, começou a disparar e atingiu os dois. Irialdo, que já estava ferido, foi executado pelo vigilante, que não prestou socorro. (Do Imirante)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Executor de mecânico em Vitória do Mearim é zelador da Polícia Militar

Luiz Carlos Machado de Almeida é o homem que aparece no vídeo atirando no rosto do mecânico Irialdo Batalha, que até agora era tratado como um vigilante, na verdade era o zelador do 3º Pelotão da PM, em Vitória do Mearim, e também o responsável por lavar as viaturas.

Na tarde da última quinta-feira (28), Luiz Carlos acompanhava dois policiais militares em uma operação que visava interceptar dois suspeitos de serem assaltantes, montaram uma blitz na BR-122, entre Vitória do Mearim e Arari. Irialdo e Diego Ferreira estavam em uma moto, não pararam na blitz e foram alvejados.

De acordo com as famílias, eles não são bandidos e só não pararam porque a moto estava sem placa. Diego foi atingido no pé esquerdo e Irialdo foi baleado na nuca.

Uma testemunha que não quer se identificar contou que foi Luiz Carlos quem deu os primeiros tiros que derrubaram Irialdo da moto. “Quando passou por eles, o vigilante foi e deu dois tiros na cabeça dele. O rapaz caiu da garupa, ai saiu os dois policiais em perseguição do piloto e vigilante ficou lá com o rapaz no chão”, disse.

O homem era funcionário da Prefeitura de Vitória do Mearim e há três anos estava cedido à Polícia Militar. Ele está foragido. Os dois policiais, um sargento e um soldado, estão presos em São Luís.

A execução aconteceu em plena luz do dia e os parentes cobram respostas do crime. “Eles dizem no primeiro momento que tinha uma arma, essa arma de repente some nas informações. Primeiro ele dizem que meu primo quem disparou porque houve troca de tiros, sendo que ninguém ouviu os tiros”, disse Adriele Batalha, prima de Irialdo.

Irialdo tinha 34 anos de idade, havia chegado do Pará há um mês e estava prestes a voltar. E mesmo com a Secretaria de Segurança do Estado confirmando que houve erros, Diego Ferreira está preso em Viana. A acusação é de porte de arma de fogo e de desacato a autoridade policial. (Do G1).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Policiais são presos após execução de mecânico em Vitória do Mearim

Os policiais militares envolvidos no fato que culminou na morte do homem suspeito de praticar assalto, na tarde de quinta-feira (28), no município de Vitória do Mearim, foram presos e autuados em flagrante pela Delegacia de Homicídios em São Luís, e responderão pelo crime de homicídio qualificado. O principal suspeito de cometer o crime, o vigilante identificado por Luiz Carlos, funcionário do município de Vitória do Mearim, que teria executado um dos assaltantes com dois tiros após perseguição policial, encontra-se foragido, mas as diligências realizadas pelas Polícias Civil e Militar continuam, com o objetivo de prendê-lo.

Segundo o coronel Marco Antônio Alves, comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão, os militares presos, o sargento Miguel e o soldado Gomes, que atuavam na Companhia Independente de Viana, afirmaram durante depoimento que após o assalto a polícia teria sido acionada e começou então uma perseguição, onde um dos suspeitos de praticar o assalto, identificado como Irinaldo Batalha, 35 anos, teria revidado, dando início a uma troca de tiros. Ele explicou ainda que os policiais relataram que o vigia Luíz Carlos estava na viatura acompanhando a ação. “Os militares disseram que o vigilante era uma pessoa conhecida na cidade e sempre dava apoio à polícia, sendo funcionário do município. Ele teria sido levado para trazer a motocicleta após a prisão dos suspeitos e quando o garupa foi atingido e veio ao solo ele teria sido designado para permanecer no local e fazer a segurança da área, uma vez que a perseguição continuou”, declarou.

De acordo com o comandante da PM, os policiais relataram ainda que o outro suspeito que seguia na motocicleta em direção ao município de Viana, foi alvejado com um tiro no pé e autuado em flagrante por roubo. O coronel Marco Antônio Alves explicou que após a polícia ter acesso às imagens que mostram a execução de Irinaldo Batalha e a consequente identificação do vigilante Luiz Carlos, as buscas para realizar sua prisão foram intensificadas, uma vez que o mesmo encontra-se foragido. “Os militares receberam ordens para se apresentarem no Comando Geral da PM, e assim o fizeram na noite desta sexta-feira (29), onde foi instaurado um processo administrativo para investigar a participação dos policiais no homicídio, além de terem sido autuados em flagrante pela Delegacia de Homicídios pelo crime de homicídio qualificado”, disse ele.

O Comando Geral da PM informou que as primeiras informações deram conta de que o suspeito de praticar o assalto, morto durante a ação policial, Irinaldo Batalha, era usuário de drogas e natural da cidade de Arari. Seu comparsa o piloto da moto, encontra-se preso na delegacia de Vitória do Mearim.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.