Judiciário

Escândalo: ‘cooperativa fantasma’ já arrematou mais de R$ 20 milhões de prefeituras

Do blog Antônio Martins

Documento obtido pelo BLOG mostra capital social da empresa e sócios do negócios

Documento obtido pelo BLOG mostra capital social da empresa e sócios do negócios

Detentora de um capital social de apenas R$ 10 mil reais, a Interativa Cooperativa de Trabalho e Serviços Múltiplos, já arrematou até o início de maio deste ano, com dispensa de licitação, mais de R$ 20 milhões em contratos firmados com prefeituras do interior para fornecer mão de obra terceirizada para funcionamento dos órgãos públicos municipais.

O contrato, além de burlar a lei da exigência constitucional do concurso público para o acesso ao cargo e, servir supostamente para desviar verbas dos cofres públicos destes municípios, se transformou numa bola de neve para estes Municípios que passaram a ser arrolados em processos trabalhistas que envolvem a cooperativa por suposto calote nos funcionários terceirizados.

Em Sítio Novo, Iterativa ‘abocanhou’ mais de R$ 3 milhões

Em Sítio Novo, Iterativa ‘abocanhou’ mais de R$ 3 milhões

Em post anterior, o BLOG já havia detectado controvérsia na documentação da empresa. A primeira irregularidade foi na localização da empresa. No contrato firmado, em outubro de 2010, entre a Interativa e a prefeitura de Brejo-MA, no valor de R$ 6.533.211,72 (seis milhões quinhentos e trinta e três mil, duzentos e onze Reais e setenta e dois centavos), consta que a sede da empresa é na cidade de Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza-CE.

Em Brejo, mesmo com R$ 6 milhões empresa não pagou funcionários

Em Brejo, mesmo com R$ 6 milhões empresa não pagou funcionários

No entanto, dados da Receita Federal mostram que a empresa tem endereço fornecido, localizado na Avenida dos Holandeses – nº 8, Sala 01, Edifício M F Plaza, Calhau, em São Luís. Mas, em consulta realizada pelo BLOG, descobrimos que a Interativa estaria ‘funcionando’ numa residência, localizada na Rua Guaraná, Olho D’água, bairro nobre da capital maranhense.

Cooperativa fantasma’ funciona em residência no Olho D’água, em São Luís

Cooperativa fantasma’ funciona em residência no Olho D’água, em São Luís

A empresa que responde a várias ações na Justiça do Trabalho por salários, multas e benefícios atrasados, tem em seu quadro societário dois empresários: Geogervan Ferreira Santos, como presidente e Robson da Silva Cruz, como diretor.

Geogervan Ferreira Santos, um dos integrantes da Interativa, desapareceu das redes sociais

Geogervan Ferreira Santos, um dos integrantes da Interativa, desapareceu das redes sociais

Geogervan, por exemplo, praticamente sumiu da internet depois que denunciamos neste espaço que a Interativa poderia ter sido usada para desviar verbas de prefeituras do interior. A repercussão das denúncias fez empresário excluir seu perfil na rede social Facebook.
Na próxima semana, o blog vai trazer mais informações sobre os esquemas da ‘cooperativa fantasma’ com as prefeituras do interior. O cruzamento destes dados podem revelar pistas de mau uso dos recursos públicos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Escândalo: Presidente do TCE aprovou prefeituras que filho e cunhado faturam altíssimo

Jorge Pavão, presidente do TCE.

Jorge Pavão, presidente do TCE.

Eleito presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA) para o biênio 2015/16, o conselheiro João Jorge Jinkings Pavão, estaria cometendo escândalos para beneficiar familiares.

Pavão, antes de presidir a corte de Contas, teria promovido um acúmulo de imoralidades ao relatar contas de prefeitura que o filho possui contratos através do escritorio de advocacia.

Mas, segundo documentos obtidos pelo Blog do Neto Ferreira, o grande escândalo aparece nos contratos da empresa de Luiz Raimundo Teixeira Lobato, cunhado do conselheiro presidente do TCE.

Raimundo Lobato irmão da ex-prefeita Helena Maria Lobato Pavão, casada com Jorge Pavão, vem operando alto com prefeituras que o cunhado relata as contas e, consecutivamente, aprova após apreciação. De fato, o conselheiro deveria se dá por impedido.

Em um dos contratos de cifras estratosfericas, a empresa emitiu nota de referente a um mês (veja abaixo) de prestação de serviço para locação de maquinas como – por exemplo -, moto niveladora, pá carregadeira e retro escavadeira.

As ramificações da agraciada empresa de Lobato é extensa e possibilita um leque maior de contratos junto a prefeituras que passam a ser enxergadas pelo conselheiro com uma ótica diferente.

O escândalo onde parentes do presidente do TCE faturam com prefeituras que são aprovadas é apenas o primeiro de vários capítulos a serem revelados pelo Blog do Neto Ferreira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Escândalo na Prefeitura de São Luís

Prefeito Edivaldo Holanda.

Prefeito Edivaldo Holanda.

A Consulttrans-Consultoria Especializada Ltda., empresa contratada pela Prefeitura de São Luís no valor de R$ 1.3 milhão, nunca funcionou no endereço informado à Receita Federal. Prestadora de serviço técnico, logístico, assessoramento, supervisão, entre outras ramificações, a empresa selou contrato no dia 22 de março de 2012 ainda na gestão do ex-prefeito João Castelo, mas foi mantido pela por um dos auxiliares de Edivaldo Júnior através de um aditivo, assinado no dia 02 de abril de 2013, pela ex-secretária Myrian Aguiar.

A situação fica ainda mais complicada quando se procura a empresa no endereço que aparece no Convite nº 003/2013/CPL/PMSL. No lugar onde a Consulttrans está registrada funciona a residência do senhor Manoel Cruz Júnior, que seria o proprietário da empresa. O local fica no Jardim Eldorado, área nobre de São Luís. No nº 12, quadra 21, da na Rua Coronel Paiva, ninguém nunca ouviu falar da empresa. O escândalo não para por aí! Manoel Cruz que, apesar de não ter nomeação na pasta, ocupa o cargo de gerente do Sistema Integrado de Transportes.

CNPJ  da Consultrans.

CNPJ da Consultrans.

Contrato da Consulttrans em 2002.Contrato da Consulttrans em 2002.

Contrato da Consulttrans em 2002.

Contrato Consulttrans em 2012.

Contrato Consulttrans em 2012.

Telefone usado pela Consultrans pertence a SMTT.

Telefone usado pela Consultrans pertence a SMTT.

Registrada com CNPJ 12.665.465/0001-40, a empresa que tem o nome fantasia “Consulttrans-Consultoria Especializada Ltda”, teve sua abertura na Receita Federal em 14 de maio de 1999. A companhia presta serviço há doze anos para a Prefeitura. Seu primeiro contrato foi no dia 13 de dezembro de 2002, no valor de R$ 1.500.000,00.

Um dos contratos da empresa, no valor de R$ 1.318.922,40, foi assinado no dia 22 de março de 2012 ainda na gestão do ex-prefeito João Castelo, mas foi mantido pela atual administração através de um aditivo, assinado no dia 02 de abril de 2013, pela ex-secretária Myrian Aguiar. Desde então os aditamentos são apenas renovados, já que os acordos são sempre, sob o regime de ‘empreitada’, por preço unitário e, renovados a cada nova gestão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.