Política

Como cada deputado maranhense votou na proposta que amplia a terceirização

Do Estado

1490255613-315302928

Nove dos 15 deputados federais da bancada maranhense que votaram na noite desta quarta-­feira (22) foram a favor da polêmica proposta que regulamenta a terceirização e o trabalho temporário no país. O texto foi aprovado, sob protesto da oposição, por 231 votos a 188.

Foram registradas 8 abstenções. O placar mostra que o governo terá dificuldades para aprovar as reformas trabalhista e, principalmente, a da Previdência, que será votada por meio de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que exige um mínimo de 308 votos favoráveis na Câmara.

Entre outras coisas, o projeto de lei(PL 4302/98) permite a terceirização até da atividade­-fim de uma empresa. Ou seja, uma escola poderá terceirizar não apenas o serviço de limpeza, mas a contratação de seus professores, por exemplo.

A Câmara não pôde incluir inovações no texto. Isso porque a proposta, de 1998, já tinha passado uma vez pela Casa, em 2000, e pelo Senado, em 2002. Com isso, deputados só puderam escolher se mantinham integral ou parcialmente o texto aprovado pelo Senado ou se retomavam, integral ou parcialmente, a redação da Câmara.

O texto final aprovado, que seguirá para sanção do presidente Michel Temer, autorizar a terceirização em todas as atividades, inclusive na atividade-­fim. Atualmente, jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho (TSE) proíbe terceirizar a atividade­-fim da empresa. Por exemplo, um banco não pode terceirizar os atendentes do caixa.

No caso do serviço público, a exceção da terceirização será para atividades que são exercidas por carreiras de Estado, como juízes, promotores, procuradores, auditores, fiscais e policiais Outras funções, mesmo que ligadas a atividade­-fim, poderão ser terceirizadas em órgãos ou empresas públicas.

Como cada deputado maranhense votou:

Aluisio Mendes (PTN)-Sim
Cleber Verde (PRB)-Sim
Eliziane Gama (PPS)­-Não
Hildo Rocha (PMDB)­-Sim
João Marcelo Souza (PMDB)-Sim
José Reinaldo (PSB) – Sim
Julião Amin Castro (PDT)- Não
Junior Marreca (PEN) -Sim
Juscelino Filho (DEM)-Sim
Pedro Fernandes (PTB) -Sim
Rubens Pereira Júnior (PCdoB)-Não
Victor Mendes (PSD)-Sim
Waldir Maranhão (PP)-Não
Weverton Rocha (PDT)-Não
Zé Carlos (PT)-Não


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Saiba como cada deputado do MA votou na PEC do teto de gastos

img201610102155567895642

A Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno, a proposta de emenda constitucional (PEC) que estabelece um teto para os gastos federais para os próximos 20 anos, corrigindo-os pela inflação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Foram 366 votos a favor, 111 contra e duas abstenções. Para ter aprovação final, a PEC ainda precisa passar por um segundo turno de votação na Câmara e mais dois turnos no Senado.

No Maranhão, 17 dos 18 deputados federais participaram da votação.Treze votaram pela aprovação da PEC e quatro foram contra. Da bancada maranhense, apenas um deputado faltou à sessão: Waldir Maranhão, do PP.

Veja como foi o voto dos deputados maranhenses:

Aluisio Mendes – PTN – Sim
Alberto Filho – PMDB – Sim
Cleber Verde – PRB – Sim
Davi Alves Silva Júnior – PR – Sim
Eliziane Gama – PPS – Não
Hildo Rocha – PMDB – Sim
Ildon Marques – PSB – Sim
João Castelo – PSDB – Sim
João Marcelo Souza – PMDB – Sim
José Reinaldo – PSB – Sim
Júnior Marreca – PEN – Sim
Juscelino Filho – DEM – Sim
Pedro Fernandes – PTB – Sim
Rubens Pereira Júnior – PCdoB – Não
Victor Mendes – PSD – Sim
Weverton Rocha – PDT – Não
Zé Carlos – PT – Não

G1 MA


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Política

Bancada maranhense é a 2ª com menor taxa de apoio ao impeachment

Imirante

1460477709-666718381

A bancada maranhense na Câmara Federal é a segunda com menor taxa de apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. O levantamento foi feito baseado no “placar do impeachment”, atualizado em tempo real pelo Estadão.

O Maranhão perde apenas para o Amapá, governado pelo pedetista Waldez Góes. Na bancada amapaense, nenhum dos oito deputados se posicionou pela derrubada da presidente até o momento ­ seis deles se declaram indecisos ou não quiseram responder e dois já afirmaram que são contrários. Incluindo o Maranhão e o Amapá, os cinco estados em que as bancadas federais demonstram menores taxas de apoio ao impeachment são comandados por governadores petistas ou de partidos aliados da presidente.

Estão nessa lista Piauí, Ceará e Bahia, os três estados do Nordeste governados pelo PT. Com 30%, 36% e 41% dos deputados a favor do afastamento, eles são, respectivamente, o terceiro, o quarto e o quinto colocados no ranking estadual.

Segundo o “placar do impeachment”, até agora, 312 deputados são a favor, 38 estão indecisos, 38 não deram resposta e 125 são contra. São necessários 342 votos para o processo seguir para o Senado.

POSICIONAMENTO DOS MARANHENSES


A favor

João Castelo (PSDB); Juscelino Filho (DEM); Eliziane Gama (PPS); Waldir Maranhão (PP); Sarney Filho (PV); André Fufuca (PP)

Contra

Zé Carlos (PT); Rubens Júnior (PCdB); Weverton Rocha (PDT); João Marcelo (PMDB); Aluísio Mendes (PTN); Pedro Fernandes (PTB); Júnior Marreca (PEN); Alberto Filho (PMDB)

Indecisos

José Reinaldo (PSB); Cléber Verde (PRB)

Sem resposta

Hildo Rocha (PMDB); Victor Mendes (PSD)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

8 deputados maranhenses vão integrar a comissão do impeachment

camara1

Oito deputados maranhenses foram eleitos nesta quinta-feira (17), em votação aberta, para compor a lista de 65 integrantes da comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Os maranhenses indicados para compor a lista como titulares foram João Marcelo Souza (PMDB-MA), Weverton Rocha (PDT-MA) e Junior Marreca (PEN-MA).

camara

Outros cinco estão na lista de suplentes: Alberto Filho (PMDB-MA), Hildo Rocha (PMDB-MA), Pedro Fernandes (PTB-MA), Cleber Verde (PRB-MA), Aluisio Mendes (PTN-MA) e André Fufuca (PP-MA).

Os líderes dos 24 partidos elegeram os nomes em sessão realizada na Câmara, em Brasília (DF). A comissão foi eleita por 433 votos a favor e apenas 1 contrário. A presidente Dilma terá dez sessões do plenário da Câmara para apresentar defesa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.