Política

PF detecta doações milionárias para deputados federais e estaduais do MA; veja relação

A Polícia Federal durante as investigações, que apuraram desvios de verbas federais do Sistema de Saúde do Maranhão, constatou doações de empresas envolvidas no esquema criminoso com a finalidade de financiar campanhas eleitorais de candidatos a deputado estadual e federal.
As doações ocorreram nas eleições dos anos de 2010 e 2014.

O documento detalha, ainda, os valores recebidos por esses candidatos e revela os nomes das empresas doadoras, conforme mostra o documento abaixo.

O atual deputado Antônio Pereira Filho (DEM), em 2014, recebeu do Centro Oncológico Brasileiro Ltda – COBRA, o montante de R$542 mil, já em 2010 a quantia foi de R$ 75 mil, que foi doado pelo COBRA e Serviço de Diagnóstico.

Foi enviado à deputada Andréa Murad (PMDB), filha do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, o total de R$334 mil por três empresas, a Litucera Limpeza Engenharia Ltda., a Tempo Engenharia e Arquitetura Ltda., e a SIAH Assessoria Hospitalar, Informática e Representações.

A atual deputada federal Eliziane Gama (REDE), em 2014, foi beneficiada com R$11.530 mil pela W.L da S Marque –ME;

Nas investigações, também, foi detectado que o parlamentar federal Sérgio Frota (PSDB), 2014, foi beneficiado com doações no valor de R$ 200 mil da Bacanga Sonorizações e Transportes; assim como Josimar Rodrigues, o Josimar de Maranhãzinho (PR), o deputado estadual mais bem votado do Maranhão, em 2014, que recebeu a quantia de R$ 30 mil da empresa W.C Almeida Silva Comércio de Alimentos ME.; na conta de José Inácio Sodré Rodrigues, o Zé Inácio (PT), foi depositado R$27.500 mil pela Biofar Diagnóstica Comércio e Representações Ltda.

Segundo a Polícia Federal, em 2010, Ricardo Murad (PMDB) recebeu doações no valor de R$18 mil de três empresas Tanaka Dedetização e Serviços Gerais Ltda, Posto São Francisco Ltda. e Posto Americano Ltda., para o financiamento da candidatura a deputado estadual.

Deoclides Neto (PDT), foi eleito a deputado estadual, mas teve seus votos anulados pela Justiça Eleitoral, também recebeu dinheiro do Centro Médico de Anestesia Ltda-ME, o montante de R$10 mil.

A PF apontou que José Carlos Nunes Júnior, mais conhecido como Zé Carlos da Caixa (PT), em 2010, recebeu em sua conta bancária o valor de R$ 58 mil; e para Magno Augusto Nunes, que é suplente, foi depositado o montante de R$ 140 mil em 2010. E para o deputado federal Hildo Rocha foi doado a quantia de R$ 2 mil pela empresa Adolfo Silva Fonseca, em 2014.

Foi constatado que Igor Lago, filho ex-governador do Maranhão, Jackson Lago, recebeu Atlântica Segurança Técnica Ltda. R$ 10 mil, mas não se elegeu no pleito de 2014; Telma Pinheio também recebeu doações no valor de R$350,00, da W. L da S Marque-ME, mas não foi eleita. Ela era secretária de Jackson Lago.

Essas empresas aqui citadas são investigadas pela Polícia Federal, pois serviram aos Institutos Bem Viver e ICN como manobra para fazer doações de campanha eleitoral para candidatos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresário afirma que Ricardo Murad cobrava 30% de propina

Ricardo Murad chegando na Polícia Federal para prestar depoimento.

Ricardo Murad chegando na Polícia Federal para prestar depoimento.

Um dos donos do Instituto de Cidadania e Natureza (ICN), José Inácio Guará, falecido nesse mês no estado de São Paulo, teve o telefone interceptado fazendo uma revelação bombástica. Inácio afirmou que Ricardo Murad cobrava 30% de propina sobre contratos das empresas terceirizadas na Secretaria de Estado da Saúde.

De acordo com o diálogo gravado pela Policia Federal obtido (veja abaixo) com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira , José Inácio e um homem identificado como Joy, relatam que o ex-secretário de Saúde atrasava os pagamentos à empresas que prestavam serviços a SES para poder cobrar 30% em cima do valor pago.

Eles estavam devendo dez milhões de fornecedor, atrasou de propósito..aí chamou o pessoal lá, e falou o seguinte: ‘Se tu me der 30% eu pago‘”, afirmou Inácio Guará, na conversa gravada e inserida no inquérito resultante da Operação Sermão aos Peixes que cumpriu 13 mandados de prisão preventiva.

O relatório da PF encaminhada para Justiça Federal aponta movimentações atípicas de membros de uma organização criminosa (ORCRIM), que desviaram mais de R$ 1 bilhão de recursos públicos federais do Fundo Nacional de Saúde (FNS), destinados ao sistema de Saúde no Maranhão.

Conversa interceptada pela PF.

Conversa interceptada pela PF.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder / Política

Presos por corrupção em Bacabal são apresentados na polícia

A segunda etapa da Operação El Berite, deflagrada pelas Superintendências Estaduais de Combate à Corrupção e de Investigações Criminais, resultou na prisão de várias pessoas envolvidas no esquema de desvio de dinheiro da Prefeitura de Bacabal.

Na manhã desta quarta-feira (18), policiais civis prenderam o agiota Josival Cavalcante da Silva, o “Pacovan”; a sua esposa Edna Maria Pereira; o ex-prefeito, Raimundo Lisboa; o ex-secretário Aldo Araujo de Brito e o ex-tesoureiro Gilberto Ferreira – os três últimos de Bacabal.

Todos são acusados de desviar Todos são suspeitos desviar dos cofres públicos a quantia exorbitante de R$ 4,5 milhões.

A ação policial foi realizada em São Luís e Bacabal.

A foto acima mostra os envolvidos no crime sendo apresentados na Secretaria de Segurança Pública, em São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

PF prende donos dos Institutos ICN e Bem-Viver

A operação denominada “Sermão aos Peixes” desencadeada, no final da tarde de ontem, pela Polícia Federal do Maranhão, cumpriu cerca de 60 mandados, sendo de prisão preventivas, de busca e apreensão e condução coercitiva, em São Luís e em várias cidades do interior do estado.

A ação da PF tem como objetivo de reprimir o desvio de recursos públicos federais do Fundo Nacional de Saúde, destinados ao Sistema de Saúde do estado do Maranhão ocorrido no Governo Roseana Sarney . Mais de 200 policiais federais e 10 servidores da CGU participaram da operação na qual foram cumpridos 13 mandados de prisão preventiva, 60 mandados de busca e apreensão e 27 mandados de condução coercitiva. O Blog do Neto Ferreira teve acesso com exclusividade dos mandados de prisão preventiva, busca e apressão e condução coercitiva.

Entre os encaminhados à Superintendência da PF, estão o médico Péricles Silva Filho, Benedito Silva Carvalho e condução coercitiva para Péricles Guará Silva, proprietários do Instituto de Cidadania e Natureza (ICN). Também teve prisão decretada o administrador do ICN José Inácio Guará Silva, falecido semana passada em São Paulo.

Além desses, Antônio Bernardo Milhomen Pereira foi alvo de condução coercitiva e Emilio Borges Resende prisão preventiva. Ambos sócios da Associação Tocantina para o Desenvolvimento da Saúde – Bem Viver.

Essas empresas mantinham contratos na Secretaria de Saúde Estadual para gerenciar hospitais e administrar verbas federais da saúde. Confira abaixo os pedidos de prisões formulados ao juiz federal Roberto Carvalho Veloso.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Prefeito de Anajatuba ficará preso no Corpo de Bombeiros

O prefeito de Anajatuba, Helder Lopes Aragão (PMDB), foi transferido da Penitenciária de Pedrinhas para o Corpo de Bombeiros do Maranhão, em São Luís, na noite desta quinta-feira (29). A Justiça acatou o pedido da defesa do prefeito alegando que ele como advogado deve ficar em prisão especial. Helder está preso desde o dia 20 de outubro pela Operação Attalea.

Pelo Estatuto da Advocacia, Lei nº 8.906/94, é direito do advogado “não ser recolhido preso, antes de sentença transitada em julgado, senão em sala de Estado Maior, com instalações e comodidades condignas e, na sua falta, em prisão domiciliar”.

Recentemente a ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite, também ficou presa por uma semana no mesmo alojamento.

Esquema
O desvio de dinheiro público estimado em R$15 milhões no município de Anajatuba foi o primeiro caso de destaque no quadro ‘Cadê o dinheiro que estava aqui?’, do ‘Fantástico’, da TV Globo, em novembro de 2014.

A reportagem mostrou que quatro empresas contratadas pela prefeitura do município – de 25,2 mil habitantes segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – receberam juntas R$ 9 milhões. O dinheiro foi desviado, e quem descobriu a falcatrua foi o vice-prefeito, Sydnei Costa Pereira. (DO G1MA)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

O silêncio de Eduardo Braide…

Deputado Eduardo Braide não comentou sobre possível envolvimento em esquema.

Deputado Eduardo Braide não comentou sobre possível envolvimento em esquema.

O deputado Eduardo Braide (PMN), manteve-se em silêncio durante sessão plenária desta segunda-feira (14), a respeito da matéria publicada pelo Blog do Neto Ferreira (reveja), onde seu nome aparece no relatório do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco).

Braide foi apontado como beneficiário de R$ 2.7 milhões, da verba fruto de corrupção da Prefeitura de Anajatuba. “Além disso, da análise do manuscrito encontrado na casa de Fabiano Bezerra, quando da realização da busca e apreensão, foram identificados diversos pagamentos, com valor total de R$ 2.760.600, 00, com a indicação Dep Braide como beneficiário”, diz o documento.

Diante da citação no relatório, o parlamentar preferiu não comentar sobre o caso, muito menos defender o pai ex-presidente da Assembleia, Carlos Braide, que é acusado de integrar uma organização criminosa (ORCRIM), da qual teria desviado R$ 14 milhões dos cofres públicos da cidade de Anajatuba.

Como líder do Bloco Parlamentar Unidos pelo Maranhão, Eduardo Braide tem obrigação de prestar esclarecimentos a sociedade e seus pares. Ao invés de ameaçar o titular do blog de processo, em uma clara demonstração de censura.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Bomba! Polícia Federal investiga prefeito e ex-affair por corrupção

Delmar e Noélia são alvos de investigação da Polícia Federal

Delmar e Noélia são alvos de investigação da Polícia Federal

A Polícia Federal do Maranhão abriu inquérito para investigar o prefeito de Nova Olinda do Maranhão, Delmar Sobrinho (DEM) e sua ex-namorada, Noelia Cutrim Pereira. A abertura das investigações foi determinada pela procuradora da República, Carolina da Hora Mesquita Hohn.

As investigações começaram após o prefeito celebrar contratos milionários com a empresa da ex-namorada, a construtora Noelia Cutrim Pereira – ME, que de acordo com os dados da Receita Federal, foi criada em 13 de novembro de 2013, às vésperas da realização de grandes certames licitatórios.

A empresa ganhou duas licitações em Nova Olinda, uma para o serviço de implantação da infraestrutura em estradas vicinais na zona rural do município, pelo valor de R$ 708.779,66. O segundo contrato, para realizar serviços de recuperação de estradas vicinais do povoado Inganzal, na zona rural do município, sob o valor de 128.617,00.

A verba dos contratos celebrados foi destinada pelo governo do estado e pelo governo federal, respectivamente, ano passado.

O inquérito que foi instaurado no dia 04 de agosto sob o n.º 249/2015, pode levar para cadeia o prefeito Delmar Sobrinho e sua ex-affair Noelia Cutrim Pereira.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Ex-secretário do governo Roseana Sarney é indiciado por corrupção

Ex-secretário da Casa Civil do Maranhão João Abreu.

Ex-secretário da Casa Civil do Maranhão
João Abreu.

O ex-secretário da Casa Civil do governo do Maranhão, João Abreu, foi indiciado pela Polícia Civil do Estado por corrupção. Segundo a investigação, ele teria recebido R$ 3 milhões em propinas para garantir que o governo estadual fizesse o pagamento no valor de R$ 134 milhões à empresa Constran-UTC Engenharia.

No documento, com data de 10 de agosto – assinado pelos delegados Luiz Augusto de Macedo Mendes, Odilardo Muniz Lima Filho e Danilo Veras Gonçalves, e pelo superintendente Estadual de Investigações Criminais, André Luis Gossain – foram indiciados ainda o doleiro Alberto Youssef, Rafael Ângulo Lopes, Adarico Negromonte e o corretor Marco Antonio Ziegert que, segundo a polícia, seria o elo entre Youssef e o governo do Maranhão.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, foram necessárias três viagens de Negromonte e Ângulo a São Luís, a pedido de Youssef, para o envio do dinheiro vivo, que teria sido escondido no próprio corpo.

O documento revela também o secretário havia reclamado da falta de R$ 1 milhão, o que teria motivado a viagem de Youssef a São Luís. O doleiro foi preso pela Polícia Federal em 17 de março de 2014, em um hotel localizado no bairro da Ponta do Farol, bairro de alto padrão da capital maranhense. Na oportunidade, Ziegert não foi preso e logrou entregar o restante da propina aos integrantes do governo do Maranhão.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informou por meio de nota enviada ao G1 que o “Caso Constran”, ocorre sob sigilo judicial. “No momento oportuno, o delegado André Gossain, presidente da comissão que conduz o inquérito se pronunciará”, avisa a assessoria do órgão. (Do G1MA).

Gestão anterior

Em nota enviada ao G1, a gestão anterior do governo do Maranhão esclarece que “no caso do precatório da CONSTRAN S/A, a empresa tinha um crédito contra o Estado do Maranhão de R$ 113.366.859,81” e que, após acordo, o montante foi dividido em 24 parcelas mensais, excluindo o pagamento dos juros e correção monetária.

Ainda de acordo com a gestão, o acordo representou economia para o Estado do Maranhão no valor de R$ 28,9 milhões. “Não houve qualquer ilegitimidade do ato. O Governo atendeu ao interesse público. Não houve quebra da ordem cronológica de precatório já que todos os credores anteriores à CONSTRAN já haviam recebido os seus créditos”, completa a nota.

Abreu nega

A assessoria do ex-secretário João Abreu afirmou ao G1, por meio de nota, que “a sua inclusão no processo é indevida, e nega, veementemente, ter recebido propina de qualquer valor, fosse do doleiro Alberto Youssef, fosse de qualquer outra pessoa ou fonte, no exercício do cargo de Secretário de Estado ou em razão dele”.

A equipe do ex-secretário explica que, como o inquérito corre em sigilo, João Abreu e seus advogados de defesa estão impedidos de dar maiores esclarecimentos sobre o caso. (Do G1MA)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Documentos mostram que Lula fez lobby para a Odebrecht em Portugal e Cuba

O Globo

Lula e o primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho - 24-4-2014 / Roberto Stuckert Filho   Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/documentos-mostram-que-lula-fez-lobby-para-odebrecht-em-portugal-cuba-16836400#ixzz3gN0hnM8A  © 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Lula e o primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho – 24-4-2014 / Roberto Stuckert Filho.

Telegramas diplomáticos trocados entre chefes de postos brasileiros no exterior e o Ministério das Relações Exteriores, entre 2011 e 2014, indicam que as atividades do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor do grupo Odebrecht no exterior foram além da contratação para proferir palestras, contrariando o que o petista e a construtora têm sustentado.

Os documentos apontam que Lula, já fora do cargo, atuou em pelo menos duas ocasiões para beneficiar a Odebrecht — uma delas, com pedido expresso para que o primeiro ­ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, desse atenção aos interesses da companhia num processo de privatização naquele país. Outro telegrama revela que Lula abriu as portas do BNDES ao governo do Zimbábue, país
africano governado pelo ditador Robert Mugabe.

Liberados na última quinta-­feira pelo Itamaraty a partir de pedido feito pelo GLOBO por meio da Lei de Acesso à Informação, os documentos descrevem encontros de Lula em Cuba em companhia de representantes da construtora. Em uma das visitas à ilha, ele foi recepcionado pelo presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, e pelo ex-­ministro José Dirceu num hotel.

Em outra, Lula atuou em projetos ligados à área de energia na região cubana de Muriel, onde a empreiteira construiu um porto com recursos do BNDES.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Reação do Congresso à Lava-Jato

Por Pedro Cardoso da Costa

Se tivessem dez lava-jatos em vez de uma, o Brasil sofreria uma transformação significativa. Se “Sérgios Moros” fossem regra e não exceção, não haveria tanta corrupção. Mas a sociedade brasileira tem de se contentar com essas exceções, que geralmente saem de cena por conta da pressão que sofrem da estrutura apodrecida de governo e até de Estado.

Depois de Joaquim Barbosa, à frente do Mensalão, ter conseguido mostrar que a lei alcança a todos, a Lava-Jato vem fazendo estrago e assustando muita gente grande, haja vista a corrida por “habeas corpus” preventivos. Apesar de séculos de Judiciário, isso só ocorreu com a firme atuação do ministro, seguido por alguns, com algumas vaciladas de outros colegas.

Joaquim Barbosa demarcou a separação de um Brasil da impunidade daquele em que a justiça funcionou, um país onde o Poder Judiciário existe de fato. Sérgio Moro ajudará a consolidar a desfazer a percepção de que alguns estão acima da lei.

Foi o que ocorreu com a apreensão dos bens do senador – senador! – Fernando Collor de Mello e de outros. O Congresso reagiu de forma veemente à ação da Polícia Federal, a verdadeira FBI brasileira.

Toda a imprensa deu destaque à força da reação, mas nenhum veículo mencionou ou contrastou se os argumentos tinham consistência ou sustentação jurídica. Trata-se de puro desespero.

O presidente do Senado, reincidente em situações complicadas, como o passeio de avião oficial em casamento em casamento de amigos, ameaçou processar os agentes federais, sob a alegação de que precisariam ser acompanhados pela Polícia Legislativa. Ora, eles cumpriram uma ordem do Supremo Tribunal Federal, o órgão responsável pelo mandamento.

Caso a previsão de acompanhamento esteja em Regimento Interno ou outra norma infraconstitucional nem se discute que a ordem do Supremo está acima e dispensa obediência a regras subalternas. Se essa previsão também for constitucional, aí poderia haver dúvida, que seria resolvida com a decisão de qual interesse prevalece, se o dos bens de alguns senadores, com indícios de aquisição com dinheiro público ou o ressarcimento desse valor aos legítimos donos.

Resumindo: só no Brasil se coloca em discussão a prevalência de interesse entre três senadores em razão de filigranas procedimentais ou o de duzentos milhões de cidadãos.

Essa gente não se dá conta de que o fato de a popularidade da presidenta está na lona não coloca as casas legislativas em céu de brigadeiro.

E para não dizer que não falei das flores: que negócio estranho esse encontro, lá em Portugal, entre a presidenta da República, com o presidente do Poder Judiciário. E ainda têm uns caras-de-pau tentando explicar o que não tem explicação. Pobre ética pública!

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP

Bacharel em direito


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.