Poder / Política

Porto Franco vai torrar R$ 4 milhões com combustíveis

image18

Prefeito Aderson Marinho Filho

A farra dos combustíveis rola solta nos municípios maranhenses, e não é de hoje. Cifras milionárias envolvem as parcerias firmadas entre as prefeituras e as empresas contratadas.

O Município de Porto Franco, por exemplo, celebrou cinco contratos superfaturados para aquisição de combustíveis e lubrificantes com o objetivo de atender as demandas das secretarias municipais de Trânsito e Transporte, Administração, Saúde, Assistência Social e Educação. Ao todo, a prestação de serviço vai custar aos cofres públicos a exorbitante quantia de R$ 4.202.239,50 (quatro milhões, duzentos e dois mil, duzentos e trinta e nove reais e cinquenta centavos).

Os contratos foram firmados com as empresas: A R Combustíveis (R$ 1.964.843,50) e Shimene Lima Rabelo (R$ 2.237.396,00), que abocanhou a maior parte dos recursos, com quatro dos cinco contratos. As duas detentoras do contrato estão situadas no Município de Porto Franco.

Das secretarias, a que mais faturou foi a de Trânsito e Transporte (R$ 1.964.843,50), com o único contrato da A R Combustíveis; seguida da de Administração (R$ 900.750,00); Educação (R$ 785.063,00); Saúde (R$ 532.195,00); e Assistência Social (R$ 19.388,00). Os acordos foram celebrados no dia 4 de março deste ano e constam a assinatura do prefeito Aderson Marinho Filho. Confira:

porto franco

porto

porto1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeitura de Codó vai pagar R$ 10 milhões em combustíveis

zitoZito Rolim, prefeito de Codó, não brinca em serviço e nem perde tempo quanto a questão é celebrar contratos superfaturados. No dia 25 de janeiro deste ano, o Município firmou mais sete contratos suspeitos com duas empresas, para o fornecimento de combustível e Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) à Prefeitura de Codó, até o dia 30 de dezembro. As parcerias duvidosas custaram aos cofres públicos a exorbitante quantia de R$ 10.004.500,00 milhões.

As empresas ganhadoras do processo licitatório foram: Júlio César Machado Alencar, detentora de quatro contratos, com o faturamento de R$ 9.725.500,00; e Revendedora de Gás Butano São José, com três contratos, que totalizaram R$ 279 mil.

De acordo com as publicações, extraídas do Diário Oficial do Maranhão, aparecem como contratantes: o Fundo Municipal de Saúde, Fundo de Assistência Social, Fundo de Manutenção da Educação Básica (FUNDEB) e a Prefeitura Municipal de Codó.

O pior, é que a parceria milionária com a empresa Júlio César Machado Alencar não é de hoje. Em janeiro de 2015, a empresa firmou três contratos com a prefeitura de Codó para prestação do mesmo serviço, pelos absurdos R$ 3.895.310,00. Em apenas dois anos, a empresa faturou R$ 13.620.810,00. Se comparados os valores obtidos em 2015 e 2016, percebe-se que a quantia deste ano foi muito superior a do ano passado, quase R$ 6 milhões a mais. Essa parceria precisa ser investigada com urgência, a fim de evitar novas trapaças e responsabilizar os  autores pela prática criminosa.

codó


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Maranhão

589 bombas de combustíveis são reprovadas no Maranhão

Inmeq-MA reprova 589 bombas de combustíveis no estado

Inmeq-MA reprova 589 bombas de combustíveis no estado

5.197 bombas medidoras de combustíveis já foram fiscalizadas pelo o Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq-MA), no Maranhão este ano.

No Maranhão 589 foram reprovadas – 35 delas se referem à bomba baixa, quando o instrumento entrega menos combustível do que o comprado pelo consumidor, apresentando, portanto, erro de medição.

Além desta, também foram encontradas irregularidades como vazamento e deformidades em mangueiras, vazamento nos bicos de descargas, instalação elétrica em mau estado de conservação, vazamento de óleo, plano de selagem incorreto, entre outros.

Em termos percentuais, o quantitativo de instrumentos reprovados no Maranhão equivale a 11,33 por cento, sendo 0,76 por cento referentes a erros de bomba baixa. A média nacional deste tipo de irregularidade é de 0,7 por cento.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Polícia prende homem revendendo combustível de forma ilegal

Uma ação conjunta de investigadores da Polícia Civil, em conjunto com militares da 8ª Companhia Independente de Itapecuru Mirim, resultou na prisão de José Lima de Oliveira, 62 anos, conhecido como ‘Zuza’. A prisão aconteceu no município de Pirapemas.

De acordo com informações do delegado Paulo Salomão, titular da Pirapemas, Zuza armaneza e revende de forma ilegal combustível naquela região. No momento da abordagem, a polícia apreendeu 585 litros de gasolina e 260 litros de óleo diesel, totalizando 845 litros de produtos inflamáveis.

Apurações da polícia dão conta que Zuza mantinha posse desses produtos para a comercialização nos municípios de Cantanhede, Pirapemas e povoados próximos. Ele disse, em depoimento, que há cerca de um ano fazia a venda do produto.

No momento da abordagem policial, foi feita uma revista na residência de Zuza, localizada em uma área de difícil acesso entre os povoados Cachimbo e Santa Luzia e lá foram encontrados no quintal os vários galões de combustível.

Zuza foi autuado em flagrante no artigo 56 da Lei 9.605/9, por comercializar, transportar e armazenar produto ou substância tóxica, perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente. Ele permanece detido na 2ª delegacia Regional de Itapecuru-Mirim e aguarda decisão judicial.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.