Poder

PDT deve perder comando do Ministério do Trabalho

A executiva do PDT vai ser reunir na tarde desta segunda-feira (5) em Brasília. O encontro, que já estava previsto, acontece um dia depois de Carlos Lupi pedir demissão do Ministério do Trabalho.

A comentarista de política Cristiana Lôbo diz que a situação de Lupi foi se agravando dia após dia. “A presidente Dilma Rousseff tentou segurar Lupi pelo ponto de vista político e também porque não queria engordar a estatística de seis ministros saindo do governo por denúncias de corrupção. Mas não houve como”, aponta a comentarista.

Segundo Cristiana, a forma como Dilma está lidando com o problema indica que o PDT deve perder o comando do Ministério do Trabalho. “Colocar como sucessor o secretário-executivo da pasta, que já foi anunciado como interino, é uma indicação de que o Ministério do Trabalho vai trocar de bandeira ano que vem. Deixará de ser do PDT para ser de outro partido”, afirma a comentarista.

Cristiana Lôbo lembra também que há uma intenção do governo de enxugar a máquina administrativa. “Se isso acontecer, o Ministério do Trabalho seria fundido com o da Previdência,  ficando sob o comando do PMDB”, aposta Cristiana.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Comissão da Presidência recomenda exoneração de Carlos Lupi

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República recomendou, por unanimidade, nesta quarta-feira (1º) à presidente Dilma Rousseff a exoneração do ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Ministro Carlos Lupi

Ministro Carlos Lupi

O grupo decidiu ainda aplicar uma “advertência ética” ao ministro. A advertência se aplica quando o servidor ainda está no cargo – quando já deixou o cargo, é “censura ética” – mas não tem efeito prático. Representa uma “mancha” no currículo do advertido.

A assessoria do Ministério do Trabalho informou que o ministro não irá se manifestar enquanto não tomar conhecimento do inteiro teor da decisão da comissão.

Segundo o presidente da comissão, Sepúlveda Pertence, as explicações dadas por Lupi às denúncias apresentadas na imprensa no último mês foram “insatisfatórias”.

Pertence disse que “nenhum fato em especial” motivou a decisão da comissão. “Ele apresentou a sua defesa e a comissão entendeu que ele não tinha se explicado sobre toda a base das acusações”, disse.

Por meio de nota, a comissão declarou que o caso de Lupi “trata-se de suposto desvio ético” revelado em reportagens na imprensa.

Segundo o colegiado, essas denúncias “apontam irregularidades em convênio e cobrança de propina no MTE”.
A nota segue dizendo que o colegiado “deliberou pela aplicação de advertência […] e sugestão de exoneração dirigida à Presidenta da República”.

Do G1


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Oposição cobrar novamente saída imediata de Carlos Lupi

Líderes da oposição cobraram neste sábado (26) da presidente Dilma Rousseff a demissão do ministro Carlos Lupi (Trabalho) após a revelação de que ele foi durante cerca de seis anos funcionário fantasma da Câmara dos Deputados. A avaliação é que o fato atinge diretamente o ministro ao envolvê-lo numa atitude questionável eticamente.

O ministro foi funcionário da Câmara de 2000 a 2006, lotado na liderança do PDT como assessor técnico. Nesse período ele foi vice e presidente nacional do partido e, segundo relatos de deputados, ex-deputados e assessores exerciam funções exclusivamente partidárias.

O fato também chamou a atenção do ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal). “Sempre que algo acontece no setor público devemos questionar o que ocorre na iniciativa privada. Ele não ficaria apenas recebendo e trabalhando em outro setor”, afirmou. “É algo que foge aos padrões que são aguardados. Falo de uma forma geral porque essa mesma situação pode se repetir em outros casos”, complementou.

O líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), avaliou que neste caso Lupi não tem como responsabilizar desvios de assessores, como tem feito até agora nas demais denúncias envolvendo o Ministério do Trabalho.

Da Folha de São Paulo


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Cúpula do PDT se reúne para discutir futuro de Carlos Lupi

O comando do PDT se reúne nesta terça-feira (22) para discutir a conveniência de manter o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, na equipe da presidente Dilma Rousseff. O ministro deverá participar da reunião.

Ministro Carlos Lupi

Ministro Carlos Lupi

Apesar da avaliação do governo de que a crise arrefeceu no fim de semana por falta de novas denúncias, uma ala do partido defende a precipitação da saída de Lupi por temer a perda da pasta para o PT na reforma ministerial programada para janeiro.

Além dos rumores de que será acomodado num ministério menor, o PDT reclama do desgaste de sua imagem nas últimas semanas. A situação de Lupi se agravou com a revelação da revista “Veja” de que o ministro cumprira agenda oficial no Maranhão a bordo de avião providenciado por Aldair Meira.

Meira controla duas ONGs beneficiárias de convênios no valor de R$ 10,4 milhões com a pasta. Lupi negou o uso do avião, mas, confrontado com a versão do empresário, voltou atrás e atribuiu o equívoco a uma falha de memória.

Presidente interino do PDT, o deputado André Figueiredo externou sua preocupação à Executiva da sigla na semana passada. “Não quero falar mais sobre isso”, disse, resistindo a conceder entrevista.

Da Folha


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

ONG da mãe de Weverton Rocha recebeu R$ 4 mi do Ministério

Da Folha

Mãe de Weverton Rocha recebeu verba milionária

Mãe de Weverton Rocha recebeu verba milionária

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, fez um convênio de R$ 4,09 milhões com a ONG maranhense Fedecma (Federação de Desenvolvimento das Organizações do Terceiro Setor do Maranhão), da mãe do deputado federal Weverton Rocha (PDT-MA)

Lupi autorizou o convênio com a ONG em agosto de 2007, quatro meses depois de assumir o ministério.

Na ocasião, Weverton era secretário da Juventude e dos Esportes do governador pedetista Jackson Lago, e, segundo integrantes do PDT maranhense, tornou-se próximo de Lupi.

A ONG foi criada pela mãe de Weverton, Marileide Rocha Marques de Sousa. De acordo com o cartório onde está registrada, ela continua responsável pela instituição e tem mandato de presidente até 2012. Segundo o portal da Transparência, do governo federal, dos R$ 4,09 milhões previstos, foram repassados R$ 3,179 milhões.

OUTRO LADO

Weverton Rocha disse que sua mãe se desligou da ONG Fedecma em 2009, quando ele se tornou assessor do ministro.
Segundo ele, na época em que o convênio foi assinado, em 2007, sua mãe era ligada ao PMDB do ministro Edison Lobão (Minas e Energia).

Somente agora, depois que saiu da ONG, é que Marileide Rocha Marques de Sousa ingressou no PDT, partido controlado pelo ministro e do qual o deputado faz parte.

O Ministério do Trabalho disse que a entidade foi escolhida após audiência pública no Maranhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Weverton Rocha diz que avião foi cedido por empresário maranhense

Evandro Éboli, O Globo

Rocha afirma que avião é de empresário maranhense produtor de soja

Rocha afirma que avião é de empresário maranhense produtor de soja

Além do King Air, providenciado pelo dono de uma ONG, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (foto acima), usou na viagem ao Maranhão, em dezembro de 2009, um outro avião cedido por empresário.

O ministro também se deslocou em um Sêneca, de propriedade de um fazendeiro maranhense, de nome Pedro, produtor de soja. A revelação foi feita pelo deputado Weverton Rocha (PDT-MA), ex-assessor especial do Ministério do Trabalho.

O parlamentar afirmou que o empresário, que se recusa a fornecer o nome completo, é amigo e simpatizante do PDT e sempre cedeu esse avião para atividades da legenda no Maranhão. Lupi andou neste avião nos dias 11 e 12 de dezembro de 2009.

No 11 de dezembro, o ministro viajou no Sêneca no trajeto de São Luís a Imperatriz. Naquele dia, ele esteve ainda em Icatu, onde lançou e inaugurou programas do ministério. No sábado, dia 12, depois de andar um trecho no Sêneca, ele trocou de aeronave, para o King Air.

O deputado Weverton assumiu que foi ele quem providenciou o Sêneca e que não vê conflito de interesse na cessão de um avião privado para o cumprimento de agenda pública.

Weverton não quer revelar os nomes completos do empresário, nem do piloto, que se chama Michel.

Leia mais em Weverton diz que Sêneca foi cedido por empresário


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.