Política

Aderson Lago se filia no Solidariedade

aderson-lagoAderson Lago que é  ex-deputado estadual e ex-secretário chefe da casa civil do governo Jackson Lago, se filiou hoje (02) no Solidariedade.

O partido que foi criado na ultima terça-feira (24) e que no Maranhão é representado pelo deputado federal Simplício Araújo, já aparece no cenário politico como um partido de grandes proporções, tendo em vista o tempo de televisão da sigla que pode chegar até a dois minutos, o que no jogo eleitoral é muito importante, o SDD também já apresenta a sexta maior bancada de deputados federais no congresso nacional.

Aderson Lago afirma que não será candidato a nenhum cargo eletivo nas próximas eleições, porém não quis perder o prazo para se desfiliar do seu antigo partido e se tornar mais um solidário.

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Aderson Lago e ex-prefeito de Mata Roma são denunciados por falsificar notas fiscais

Ex-deputado Aderson Lago

Ex-deputado Aderson Lago

O promotor de justiça Douglas Assunção Nojosa, titular da Comarca de Chapadinha, da qual Mata Roma é termo judiciário, ofereceu denúncia criminal, no dia 14 de março, contra o ex-deputado estadual Aderson Lago, o ex-prefeito de Mata Roma, Lauro Pereira Albuquerque, o filho dele, Besaliel Freitas Albuquerque, à época vereador do referido município, o ex-secretário municipal de saúde Gustavo Adriano de Matos Correa, e os empresários Pedro Paulo Mendes Filho e Raimundo Nonato Martins Brito.

De acordo com a denúncia, em 27 de dezembro de 2005, foi firmado o convênio nº 127/2005-DRD/MS entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Prefeitura de Mata Roma. Foram destinados R$ 1.260 milhão à manutenção do Hospital Thales Ribeiro Gonçalves.

Os recursos do convênio, segundo o promotor de justiça Douglas Nojosa, foram direcionados à empresa Espontânea Material Hospitalar, no valor de R$ 50 mil mensais, para aquisição de medicamentos. Porém, o Município de Mata Roma recebia menos de R$ 20 mil em remédios. Os outros R$ 30 mil eram devolvidos aos dirigentes municipais.

Ex-prefeito de Mata Roma

Ex-prefeito de Mata Roma

Para o Ministério Público, as notas fiscais utilizadas nas operações comerciais foram forjadas ou majoradas. O objetivo seria dar legalidade às operações comerciais, contando com a participação dos acusados Pedro Paulo Mendes Filho, diretor da Espontânea Material Hospitalar; e Raimundo Nonato Martins Filho, titular da Gráfica Escolar Ltda.

Nojosa afirma na denúncia que a Gráfica Escolar forneceu, durante todo o ano de 2006, notas fiscais falsas. A empresa K.C.S. Neves Comércio e Representação também teria fornecido notas fiscais fraudadas para respaldar o esquema.

 

 


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.