Poder

Secretária de Direitos Humanos pede informações sobre morte em supermercado Mateus

Secretária estadual de Direitos Humanos, Amanda Costa.

A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação (Sedihpop), que tem como titular Amanda Costa, enviou um ofício solicitando à Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP/MA) informações sobre o inquérito que apura a morte do jovem Darlon Oliveira, de 23 anos, dentro do supermercado Mateus, no bairro da Cohab, em São Luís.

Em nota emitida nesta sexta-feira (24), a pasta informou ainda que seguirá acompanhando o caso.

“A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação (Sedihpop) teve conhecimento do assassinato do jovem Darlon Oliveira dos Santos, de 23 anos, cometido do ano de 2019, a partir das recentes notícias publicadas em veículos de comunicação locais e nas redes sociais.

Dessa forma, está solicitando à Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP/MA), via ofício, informações atualizadas sobre o inquérito instaurado para apuração do caso e seguirá acompanhando o caso.”

Além da Sedihpop, a Comissão de Direitos Humanos da OAB seccional Maranhão também afirmou que está apurando o caso (relembre aqui).

Na quarta-feira (22), a reportagem do Blog do Neto Ferreira publicou com exclusividade imagens que mostram cenas aterrorizantes de agressão, tortura e asfixia cometidas contra Dalon Oliveira por um segurança e funcionários do grupo Mateus no dia 12 de junho de 2019. A gravação estava sob sigilo e, por isso, ainda não tinha sido divulgada.

Após 3 anos do ocorrido, o inquérito segue em aberto e até o momento ninguém foi indiciado pela morte do jovem (reveja aqui).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

3 comentários em “Secretária de Direitos Humanos pede informações sobre morte em supermercado Mateus”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Jose carlos

    Mesmo com imagens tão fortes, tiveram a coragem e petulância de dizer que a morte não se deu por ação humana.

  2. tony

    O maior patrocinador desse governo, isso não vai dar em nada infelizmente.

  3. Helena

    Os funcionários erraram e deveriam pagar por isso. O grupo Mateus é recorrente nos últimos meses em notícias bizarras como esta, embora este fato tenha ocorrido em 2019. Por que não prepararam melhor os seus funcionários. Até o vigilante terceirizado bateu na vítima.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários