Poder

Deputado revela que suposta fraude em concurso beneficiou genro de desembargadora

O deputado estadual Yglésio Moyses (PSB) revelou em suas redes sociais que uma quadrilha especializada em fraudar concursos teria atuado no certame público da Assembleia Legislativa do Maranhão realizado pela pela Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Fundação CEPERJ).

Sem citar nomes, o parlamentar afirmou que estão entre os beneficiados com a suposta fraude genro de desembargadora, esposa de advogado, irmão de ex-prefeita.

Ele classificou o caso como indamissível.

“Parece que a quadrilha da fraude dos “concursos” voltou a atacar. Inadmissível. Inadmissível. Inadmissível. Genro de desembargadora, esposa de advogado de alto coturno na cidade, irmão de ex-prefeita. Desrespeito gritante. Maranhão condenado”, declarou.

Em outra publicação, Yglésio reafirmar que suposta ação da quadrilha, que também teria fraudado o concurso em Paço do Lumiar e garantiu que na Assembleia a resposta será imediata.

E disparou: “Estou analisando nome a nome, foram as mesmas famílias e nomes beneficiados!”


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Deputado revela que suposta fraude em concurso beneficiou genro de desembargadora”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Carlos

    A escolha da banca organizadora já demonstrava indícios de possíveis irregularidades. No dia da prova muita confusão. Infelizmente muitos que estudam são prejudicados por bandidos. Cabe a polícia federal investigar. Porque como existe figuras de nome podemos ter interferência

  2. Othelino anula primeira etapa do concurso da Assembleia após denúncias de fraudes - Neto Ferreira – Conteúdo InteligenteNeto Ferreira – Conteúdo Inteligente

    […] O concurso público do Legislativo está sendo investigado pelo Ministério Público após o deputado estadual Yglésio Moyses (PSB) denunciar que uma quadrilha teria atuado para fraudar as provas do certame. As provas foram aplicadas pela pela Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Fundação CEPERJ) (reveja aqui). […]

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários