Poder

Advogado orienta condutores de vans a protestarem na sede da Capitania dos Portos

Diálogo mostra que o assessor especial da Agência estadual de Mobilidade Urbana (MOB), advogado Gilberto Lins Neto, orientou motoristas de transporte intermunicipal a protestarem na sede da Capitania dos Portos para pressionar o órgão a liberar o ferryboat José Humberto considerado irregular.

A conversa ocorreu em meados do mês de junho em um grupo do aplicativo WhatsApp entre o Gilberto Neto e condutores.

Na troca de mensagens, o advogado é questionado quando o transporte aquaviário vai entrar em operação e em resposta ele afirma que depende da Capitania dos Portos.

Em seguida, Gilberto insinua que os motoristas poderiam realizar um protesto em frente ao órgão marítimo para pedir celeridade na liberação do ferryboat.

“Vocês poderiam se mobilizar para fazer um protesto lá pedindo que realizem logo a liberação do mesmo jeito que são feitos protestos no terminal”, escreveu.

A reportagem apurou que o nome do advogado não aparece no Portal da Transparência do governo do Maranhão como servidor, mas mesmo assim se apresenta como assessor especial da MOB.

Na manhã da segunda-feira (20), o Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Maranhão (MP-MA) fizeram uma vistoria para saber se o ferryboat José Humberto tem condições de navegar na baía de São Marcos.

Tudo foi vistoriado, o saguão de passageiros, com capacidade para 416 passageiros; lanchonete, condições do casco, estrutura e o motor.

“O que existe é que há uma necessidade de a gente saber se essa embarcação é segura para a população utilizar”, afirmou a promotora de Justiça de Defesa do Consumidor de São Luís, Lítia Cavalcanti.

Segundo Felipe Ramon da Silva Fróes, procurador da República, o MPF aguarda a resposta técnica dos engenheiros para saber as condições da embarcação.

Vamos aguardar a resposta técnica, que realmente são normas técnicas da Marinha, além de outras questões de segurança, que alguns engenheiros avaliaram. Vamos aguardar isso para fazer o melhor encaminhamento possível para a população”, declarou.

Além da vistoria feita pelo MPF e pelo MP-MA, a Capitania dos Portos do Maranhão também fez, nesta segunda, mais uma inspeção no ferry.

E mais uma vez, a embarcação foi reprovada (reveja aqui).

O José Humberto chegou a São Luís, vindo do Pará, no dia 31 de maio. Na época, foi anunciado nas redes sociais, pelo governador, agora licenciado, Carlos Brandão (PSB), como um ferry de ‘alto padrão’, mas, logo em seguida, as autoridades verificaram que o ferry não tinha condições de fazer a travessia entre São Luís e a região da baixada.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários