Poder

Investigada pela PF, Droga Rocha movimentou R$ 278 milhões em contratos no MA

Sócio-administrador da Droga Rocha, Antônio Francisco Rocha de Abreu.

Investigada pela Polícia Federal por integrar esquema milionário de fraude licitatória em Santa Inês, a distribuidora Droga Rocha fez uma grande fortuna atuando em Prefeituras do Maranhão.

Em 8 anos, a empresa, que fica localizada em Teresina, operou nos Executivos maranhenses movimentando quase R$ 280 milhões em contratos.

Levantamento feito pela reportagem do Blog do Neto Ferreira mostra que no período de 2014 a 2022 a empresa piauiense foi contratada por diversos Executivos municipais do Maranhão por valores vultosos para fornecer medicamentos, materiais hospitalares, farmacêuticos, odontológicos e laboratoriais.

Entre as Administrações públicas estão a de Timon, Santa Inês, Barra do Corda, Trizidela do Vale, Imperatriz, Raposa, Lima Campos, Presidente Dutra, Vargem Grande, Coelho Neto, Anapurus, Santa Helena, Coroatá, Miranda do Norte, São Benedito do Rio Preto, Duque Bacelar, São Raimundo das Mangabeiras, Itapecuru-Mirim, Matões, entre outras.

Ao todo, a Droga Rocha firmou 657 contratos que totalizam R$ 278.470.525,66 milhões.

Dois desses acordos contratuais chamaram a atenção do Ministério Público de Contas do Maranhão por indícios de superfaturamento. Eles estavam orçados em R$ 8,5 milhões e foram celebrados em 2021.

O MPC repassou a informação à Controladoria Geral da União dando conhecimento de que a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Inês teria direcionado a contratação de empresa para aquisição de medicamentos e material hospitalar. Com isso, os auditores realizaram análise dos contratos firmados, constatando potencial sobrepreço de R$ 1.583.431,95 milhão.

Sede da distribuidora Droga Rocha em Teresina (PI)

A partir disso, a Polícia Federal em parceria com a CGU instaurou inquérito policial para apurar as denúncias que culminou na deflagração da operação Free Rider na quarta-feira (27).

Os investigadores apontam que foi montado um esquema com três núcleos criminosos no âmbito da Prefeitura de Santa Inês com o aval do gestor Felipe dos Pneus com objetivo de promover fraudes licitatórias e superfaturamentos contratuais.

Equipes da Polícia Federal estiveram na sede da empresa e na residência de Antônio Francisco Rocha de Abreu cumprindo mandados de buscas e apreensão.

O empresário é apontado como sendo um dos chefes da organização criminosa, responsável por facilitar o esquema de “montagem” dos processos licitatórios e realizar diversas movimentações bancárias, com saques semanais em grandes quantias, com a participação do seu sobrinho e um funcionário.

As investigações revelaram ainda que a Droga Rocha pagou propina aos gestores públicos de Santa Inês. Os pagamentos foram identificados a partir da quebra do sigilo bancário, onde foram constatadas transferências entre contas da empresa e de pessoas físicas e jurídicas ligadas à administração do município, o que caracteriza o pagamento de “propina”, quando parte dos valores contratados pela empresa retornam para os gestores públicos responsáveis pela contratação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Investigada pela PF, Droga Rocha movimentou R$ 278 milhões em contratos no MA”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Marcos Aurélio tavares

    Estás empresas de Teresina, só querem vender nota aqui no estado do Maranhão, e as empresas do Maranhão, ficam sem vender e gerar emprego e renda para o estado, 80% das prefeituras do Maranhão , só fazem negócios com empresas de Teresina

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários