Poder

Saiba quem são os possíveis nomes da equipe de Carlos Brandão

O vice-governador Carlos Brandão (PSB) anunciou o primeiro nome de seu primeiro escalão. Ele manterá a presidente do Procon, Karen Barros, no cargo. Além dela, outros nomes já são dados como certo na futura equipe do socialista que assume comando do Palácio dos Leões, oficialmente, dia 2 de abril.

Brandão tem uma semana para fechar os nomes que comporão sua equipe de primeiro escalão. A previsão é de que ele seja empossado oficialmente na Assembleia Legislativa dia 2 de abril.

O governador Flávio Dino, entretanto, fica no governo até dia 31 de março, data em que ele renunciará o segundo mandato de governador.

Nas pastas consideradas mais técnicas ou com trabalho com resultados mais expressivos, são dados como certos Marcellus Ribeiro para continuar no comando da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) e Murilo Andrade na Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap). Já a Secretaria de Segurança Pública (SSP) deverá ser comandada pelo atual chefe do gabinete militar da gestão de Flávio Dino (PSB), Sílvio Leite. Ele é um dos nomes que Dino quer manter no governo mesmo após deixar o Palácio dos Leões.

Também fica no governo por influência de Flávio Dino, o secretário estadual de Comunicação, Ricardo Capelli, que deverá acumular ainda a articulação de Carlos Brandão. Outro nome que Brandão vai herdar do seu antecessor é Lene Rodrigues, atual assessora especial de Flávio Dino. Ela, que é esposa do presidente estadual do PCdoB, deputado federal e atual secretário de Cidades, Márcio Jerry, é a cotada para assumir a pasta que o companheiro comanda hoje, a poderosa Secretaria Estadual de Cidades (Secid).

Já na Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) o indicado vem da parte que cabe a Carlos Brandão indicar. O nome previsto até o momento é Aparício Bandeira, que já foi da pasta, mas não na gestão de Flávio Dino. Ele assumiu a Sinfra em dezembro de 2014. Na época, Bandeira atuava como adjunto de Obras Civis e comandou o trabalho de recuperação e reestruturação dos espaços Viva, localizados em diversos bairros de São Luís, além do Viva Raposa e Viva Maiobão, na Região Metropolitana. Para a Secretaria de Governo deverá ficar no comando Diego Galdino, que está na Casa Civil.

A Segov atualmente é comandada por Marcela Mendes, jornalista, ligada ao secretário de Educação, Felipe Camarão.

Divergências

E como não poderia deixar de ocorrer, existem pastas que são pontos de divergência entre Flávio Dino e Carlos Brandão. Uma delas é a Secretaria Estadual de Saúde (SES).

O ainda governador insiste em manter o comando da pasta. Nos debates que estão sendo travados, pelo menos, quatro nomes são postos como possibilidade. Dois ligados a Carlos Brandão e dois ligados a Márcio Jerry. O primeiro que chegou a ser cogitado foi Carlos Vinícius que é adjunto na SES atualmente.

O nome não agradou Jerry que levantou a possibilidade de colocar na pasta Marcos Grande, atual presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh). Diante do impasse e insistente de Dino, Brandão levantou a possibilidade de indicar Thiago Fernandes, que é adjunto na SES e é ligado ao secretário de projetos especiais, Luís Fernando Silva.

Outro nome que vem sendo debatido para assumir a Saúde na gestão de Brandão é Carla Trintade, também adjunta na SES e ligada a Jerry. Outro impasse é quanto à indicação para a Secretaria Estadual de Educação. Por lá, o atual titular, Felipe Camarão, quer deixar André Belo que compõe a sua equipe.

O problema é que Carlos Brandão e seus aliados mais próximos alegam que se Dino e Jerry ficarem com a Saúde, a Educação não poderá ter indicação destes dois aliados. Eleição Maioria dos espaços de primeiro escalão – que tem mais de 32 secretarias e 26 órgãos, fundações e autarquias – serão direcionados a aliados que vieram se juntar ao projeto de reeleição de Carlos Brandão este ano. Entre as que estão em negociação estão o Detran e a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes).

A primeira vem sendo prevista para o deputado federal e líder do PP na Câmara dos Deputados, André Fufuca. Atualmente, o órgão é presidido pelo ex-prefeito de Codó, Francisco Nagib, que deixará o departamento na próxima semana. Para a Sedes já era dado como certo o nome do deputado federal Pedro Lucas Fernandes, no entanto, os avanços nas conversas para ter o PT na base de apoio de Brandão parece ter retirado o espaço de Fernandes.

O indicativo agora é que assumirá a pastas nome ligado ao deputado federal, Zé Carlos, que acabou levando vantagem porque Pedro Lucas veio para o projeto do futuro governador, mas não deverá garantir o União Brasil (partido que surgiu a fusão do PSL com DEM) para o rol de aliados do vice-governador.

Do Imirante.com


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários