Poder

Conselheiro do TCE suspende licitação da Emserh

Presidente da Emserh, Marcos Antônio da Silva Grande.

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, João Jorge Jinkings Pavão, suspendeu uma licitação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), presidida por Marcos Antônio da Silva Grande. O valor do certame está sob sigilo.

Pavão acolheu a denúncia apresentada pela empresa MTD Assessoria de Sistemas de Informática Ltda que identificou atos ilegais e irregulares praticados por agentes da Emserh nos autos da Edital da Licitação Eletrônica nº 427/2021, cujo objeto é o fornecimento de Sistema de Gestão Hospitalar (SGH) para todas as unidades de saúde administradas pelo órgão.

A empresa denunciante afirmou que o referido Edital está recheado de disposições que se encontram em desacordo com a legislação vigente, sendo certo que, caso não haja a alteração daquele
instrumento, haverá flagrante violação ao princípio da competitividade.

A MTD Assessoria requereu a concessão de cautelar para suspender a licitação com fito de readequação do Edital, argumentando que esta é uma medida extremamente necessária e adequada para que nenhuma ilegalidade seja perpetrada e para que o princípio da competitividade seja devidamente respeitado.

Entre as irregularidades apontadas pela autora da denúncia está a contradição no termo de referência, na proposta de preços e nas informações constantes no sistema Licitações-e (item 1.2 do edital), pois, segundo a empresa, não faz qualquer sentido que um Edital tornado público em site oficial possa ter dados de quantidades e unidades que venha a divergir do instrumento convocatório do certame.

Para o conselheiro do TCE, há vício na fixação do quantitativo de licenças a serem fornecidas por futura empresa contratada, considerando que a redação do item remete ao edital e seus anexos a competência para dirimir dúvidas e divergências quanto ao quantitativo.

“A dúvida recai justamente em relação à quantidade do objeto, considerando que consta do Termo de Referência (Anexo I) quantitativo ilimitado de licenças. Ainda de acordo com o citado Termo de Referência, o quantitativo de licenças a ser fornecido remete “a contratação deverá ser realizada conforme descritivo constante no ANEXO A deste Projeto Básico” (item 3). Ocorre que a referência ao projeto básico, repete a mesma fórmula para o quantitativo ilimitado de licenças a serem fornecidas (item 6, das descrições),” explicou João Jorge Jinkings Pavão.

O membro da Corte de Contas afirmou que, com base nesses argumentos, fica prejudicado o cumprimento do item 4 (4.1.1.1, “b”) que prevê o cumprimento integral do projeto básico. “Nesses termos, vislumbra-se outra dúvida, agora quanto a capacidade técnico operacional, cujo item 12.3.1 (a.1) exige Atestado(s) e/ou Declaração(ões) de Capacidade Técnica, com fornecimento mínimo de 800 Licenças de Sistema de Gestão Hospitalar.”

João Jorge determinou que a citação do Presidente da EMSERH, Marcos Antônio da Silva Grande, e do Agente de Licitação da Comissão Setorial de Licitação, Francisco Assis do Amaral Neto, para que apresentem manifestações de defesa e/ou razões de justificativa relativas aos fatos descritos na denúncia, em 15 dias.

Além disso, pediu aos envolvidos o encaminhamento da cópia integral dos autos que compõe a Licitação Eletrônica nº 427/2021 (Processo Administrativo nº 175.61525/2021 – EMSERH), para apreciação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Conselheiro do TCE suspende licitação da Emserh”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Lucas

    Esse cidadão veio lá do Pará p/ enriquecer aqui no Maranhão. Pode vasculhar q vai achar muita coisa errada.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários