Poder

Partidos avançam em diálogo sobre federação e pode mudar jogo político no MA

Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a validade da lei que criou a federação partidária para as eleições de 2022 que as conversas para este tipo de composição entre as legendas foram intensificadas. No sábado, 19, por exemplo, o Cidadania aprovou a federação com o PSDB. Se validada, esta união trará reflexos no Maranhão assim como outras possíveis federações entre outros partidos.

A federação partidária é um mecanismo eleitoral que permite que partidos se unam para a disputa proporcional.

É semelhante a uma coligação, que foi retirada das eleições em uma mini reforma eleitoral em 2017. A diferença entre a federação e a coligação é que na primeira os partidos que se unirem assim devem permanecer por quatro anos. Outra diferença é que a federação é verticalizada, ou seja, o que for decidido nacionalmente vale para todos os estados e municípios.

A federação partidária foi o meio que o Congresso Nacional encontrou para que as siglas – principalmente as menores – consigam cumprir as cláusulas de desempenho previstas na legislação eleitoral.

Assim, partidos vem conversando sobre as composições possíveis de fazer. O União Brasil (partido que surgiu com a fusão do DEM com o PSL), por exemplo, abriu canal de diálogo com o MDB. Se confirmada esta federação, o União Brasil – que tem o deputado federal Juscelino Filho como um dos membros – pode não ficar no grupo do senador e pré-candidato ao governo do Maranhão Weverton Rocha (PDT).

Atualmente, tanto o DEM quanto o PSL se posicionaram a favor do senador pedetista. Já o MDB dialoga com o PSDB de Carlos Brandão, vice-governador e pré-candidato ao governo maranhense. Se as legendas se unirem em federação, a posição delas deverão mudar.

O mesmo ocorre com o Cidadania da senadora Eliziane Gama. Ela é apoiadora do senador Weverton Rocha. O seu irmão e presidente estadual do Cidadania, Eliel Gama, declarou apoio a Carlos Brandão, que vai deixar o PSDB em breve. Se as siglas se unirem de fato, o mais provável é que Brandão não fique com o apoio das duas legendas.

Esquerda

Do campo político da esquerda, conversam sobre federação o PT, PCdoB, PSB e PV. Se estes partidos se unirem, Weverton Rocha encerrará o sonho de ter em seu palanque o PT do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os petistas apoiariam a candidatura de Carlos Brandão ao governo do Maranhão.

Do Imirante.com


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários