Poder

Prefeita Maura Jorge chama professores de “politiqueiros” em Lago da Pedra

A prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, chamou os professores da rede municipal de “politiqueiros, após supostas irregularidades no rateio do abono da sobra do Fundeb.

O Sindicato da categoria se manifestou, por meio de nota, repudiando veementemente a postura da gestora e da Secretaria de Educação sobre o caso.

“Não estamos aqui por questões de política partidária e sim por questão de política pública cobrando que se cumpra a Lei de reateio DO FUNDEB, um recurso que é de fato e de direito nosso”, frisou o órgão que representa a categoria.

Segundo o sindicato, a sobra do FUNDEB de 2021 seria calculada com bases nos recursos desse fundo, conforme se verifica nos dados obtidos pela Confederação Nacional dos Municípios, obtidos através do Tesouro Nacional e pelo Ministério da Educação, estima-se que esses valores chegariam há mais de R$ 42 milhões e 297 mil. Desse montante, algo em torno de R$ 30 milhões, seriam o equivalente aos 70% do montante recebido pelo município e todo esse montante deve ser gasto exclusivamente com aumento de salários e a remuneração de professores em Lago da Pedra.

Ainda de acordo com a classe, daria para ser pago a cada professor uma média de R$ 6 a R$ 8 mil reais para professor de 20 horas e de R$ 12 a R$ 16 mil para professor de 40 horas. “Nós, professores e professoras, somos quem tomaremos as medidas cabíveis dentro das leis quanto aos desvios de verbas do Fundo de Desenvolvimento de Educação Básica no município de Lago da Pedra. Não falamos em atrasos de pagamentos e sim de desvios das verbas desses pagamentos, mês a mês durante todo o ano de 2021”.

Leia abaixo:

Os professores e professoras de Lago da Pedra vêm a público repudiar a postura da prefeita Maura Jorge e da Secretaria de Educação ao chamar a categoria dos professores de politiqueiros.

Não estamos aqui por questões de política partidária e sim por questão de política pública cobrando que se cumpra a Lei de RATEIO DO FUNDEB, um recurso que é de fato e de direito nosso.

A sobra do FUNDEB de 2021 seria, segundo estimativas calculadas com bases nos recursos desse fundo, conforme se verifica nos dados obtidos pela Confederação Nacional dos Municípios, obtidos através do Tesouro Nacional e pelo Ministério da Educação, estima-se que esses valores chegariam há mais de 42 milhões e 297 mil reais, desses mais de 42 milhões, algo em torno de 30 milhões de reais, seriam o equivalente aos 70% do montante recebido pelo município e todo esse montante deve ser gasto exclusivamente com aumento de salários e a remuneração de professores em nosso município. Nesse caso, daria para ser pago a cada professor uma média de 6 a 8 mil reais para professor de 20 horas e de 12 a 16 mil reais para professor de 40 horas.

Isso seria possível uma vez que os gastos do fundeb foram muito pouco durante este ano atípico de pandemia, sem falar que o nosso município passou mais de 6 meses sem se quer fazer contratações de professores para atuarem nas escolas. Investiremos dos nossos próprios recursos para cobrar da gestão municipal e Câmara de Vereadores respeito e compromisso para com a nossa classe e a comunidade em geral.

Nós, professores e professoras, somos quem tomaremos as medidas cabíveis dentro das leis quanto aos desvios de verbas do Fundo de Desenvolvimento de Educação Básica no município de Lago da Pedra.

Não falamos em atrasos de pagamentos e sim de desvios das verbas desses pagamentos, mês a mês durante todo o ano de 2021.

É obrigação desta Secretaria pagar em dia os salários dos servidores e, portanto, não precisa se orgulhar de se cumprir o que é de direito e obrigação.

Temos um Plano de Cargos e Carreiras com tabela salarial na qual a maioria dos professores recebem por ela e uma outra pequena parte, de forma injusta, recebe acima dessa tabela, desviando assim as sobras dos recursos para pessoas que nem se quer fazem parte dessa Secretaria.

A pergunta que não quer calar: para onde vai o dinheiro desses servidores que recebem a mais? Para eles mesmos, ou seria um tipo denominado RACHADINHA?

A própria Secretaria de Educação informou estes valores ao SIOP (Sistema de Transparência Federal). Se existem essas informações lá, a Secretaria de Educação que enviou a informação é, portanto, a mesma que deve responder por essas contas que não batem e não nós professores.

No ano de 2021, não houve: PROGRESSÃO, PROMOÇÃO, TITULAÇÃO, MUDANÇA DE CLASSE E NÍVEIS.

Os vereadores pouco se importam com professores ou a comunidade em geral. Prova disso foi as escolas funcionarem até o mês de agosto sem professores para cumprir a carga horária dos discentes.

Não permitiremos que a Secretaria de Educação e a Gestão Pública de Lago da Pedra tratem com tamanho desrespeito nossa categoria e a comunidade em geral.

Que a Secretaria de Educação e a Gestão pública municipal respondam por tantas falácias. A comunidade não é cega.

Respeite a classe dos professores, GOVERNO DE MÍDIA!!!


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários