Poder

‘Impossível conversar com presidente da Anvisa’, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na quinta-feira que é “impossível” conversar com o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres. Barra Torres foi indicado por Bolsonaro e já foi elogiado diversas vezes publicamente pelo presidente. No decorrer da pandemia da Covid-19, no entanto, o presidente da Anvisa passou a apresentar posições contrárias às de Bolsonaro, principalmente por defender de forma enfática a vacinação.

O atrito mais recente entre os dois envolve a decisão da agência, criticada por Bolsonaro, de autorização da imunização contra a Covid-19 de crianças entre 5 e 11 anos. Na semana passada, em entrevista ao GLOBO, Barra Torres afirmou que declarações “muito infelizes” do presidente estimularam ameaças contra servidores da Anvisa.

— Não vou falar mais de Anvisa aqui porque fechou o diálogo. Fechou o diálogo. É impossível conversar mais ali com o presidente da Anvisa. Ele tem a opinião dele, tem mandato, e continua lá. Boa sorte para ele, tomara que ele acerte. Mas, quando se fala em vacinar crianças, isso é uma coisa que mexe conosco — disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo em redes sociais.

Na transmissão, o presidente voltou a dizer que não irá vacinar sua filha mais nova, Laura, que tem 11 anos.

— Não vou vacinar a minha filha, decisão minha. Conversei com minha esposa, ela está alinhada comigo. A minha esposa se vacinou. Ela quis se vacinar, foi se vacinar. A nossa filha nós entendemos que ela não tem quase nada a ganhar com a vacina.

Para Bolsonaro, não se pode criar um “clima de terror” na cabeça dos pais sobre a vacina:

— Você não pode, realmente, obrigado ninguém a tomar vacina. Você não pode criar um clima de terror na cabeça dos pais para vacinar seus filhos. Ou então dizer o contrário, se vacina for boa, você desestimular a vacina.

Apesar da posição de Bolsonaro, a responsável pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 (Secovid), Rosana Leite de Melo, afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a versão infantil da vacina não teve “nenhuma preocupação séria de segurança” identificada nos testes clínicos.

Países como Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, França, Estados Unidos e Israel já aplicam vacinas nessa faixa etária.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “‘Impossível conversar com presidente da Anvisa’, diz Bolsonaro”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. helena

    Nunca na história do Brasil tivemos um louco anticiência na presidência da República. Se dependesse só de Bolsonaro, nenhum brasileiro teria se vacinado. Eu conto os dias para este homem das trevas passar.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários