Poder

Flávio Dino sai em defesa de Ciro Gomes após operação da Polícia Federal

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB) saiu em defesa do pré-candidato à Presidência do Brasil, Ciro Gomes (PDT), após operação da Polícia Federal que apura um esquema de corrupção em obras do estádio Castelão, em Fotaleza (CE).

Dino afirmou em sua conta no Twitter que não viu, até o momento, fundamentos para haver medidas coercitivas contra o presidenciável, inclusive a busca e apreensão.

O chefe do Palácio dos Leões também prestou a sua solidariedade à Gomes.

“Minha solidariedade a @cirogomes. Não vi, pelos fundamentos até aqui revelados, razão para medidas coercitivas decretadas, entre as quais busca e apreensão para apurar fatos supostamente ocorridos há 8 anos. Investigações podem ocorrer, mas sempre observando as garantias legais.”

Na manhã desta quarta-feira (15), a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão contra Ciro Gomes (PDT), ex-governador do Ceará e pré-candidato à Presidência em uma investigação sobre supostas irregularidades em obras da ampliação da Arena Castelão, principal estádio do Ceará, para a Copa do Mundo de 2014.

Por uma rede social, Ciro classificou a ordem como “abusiva”, alegou não ter relação com o caso e disse que o presidente Jair Bolsonaro (PL) “transformou o Brasil num Estado Policial que se oculta sob falsa capa de legalidade.”

“Não tenho dúvida de que esta ação tão tardia e despropositada tem o objetivo claro de tentar criar danos à minha pré-candidatura à presidência da República”, argumentou o pedetista.
Segundo a PF, as fraudes ocorreram entre 2010 e 2013, anos em que o Ceará era governado por Cid Gomes (PDT), irmão de Ciro e hoje senador.

A polícia afirma que há indícios de pagamentos de R$ 11 milhões em propinas diretamente em dinheiro ou disfarçadas de doações eleitorais, com emissões de notas fiscais fraudulentas por empresas fantasmas.

As supostas propinas, segundo a PF, teriam sido pagas para que uma empresa vencesse a licitação das obras da Arena Castelão e também, durante a execução do contrato, para que pudesse receber os valores devidos pelo governo do Ceará.

“Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de lavagem de dinheiro, fraudes em licitações, associação criminosa, corrupção ativa e passiva”, diz a PF, em nota. A corporação não divulgou os nomes dos alvos.

A operação foi batizada de Colosseum – uma referência ao Coliseu, na Itália – e foi autorizada pela 32ª Vara da Justiça Federal do Ceará, que expediu 14 mandados de busca e apreensão contra alvos em Fortaleza, Meruoca e Juazeiro do Norte, no Ceará, e em São Paulo, Belo Horizonte e São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Flávio Dino sai em defesa de Ciro Gomes após operação da Polícia Federal”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Zeca

    É incrivel como todo ladrão defende outro ladrão. Ciro Gomes, Lula, Flavio Dino tudo ladrão sem vergonha.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários