Poder

Lojistas da Rua Grande param as atividades em protesto

Lojistas da Rua Grande, maior centro comercial da capital maranhense confirmaram paralisação de suas atividades, das 13h às 14h desta quinta-feira, 28, em protesto a não solução para a greve no transporte público de São Luís, que entrou no seu oitavo dia consecutivo, prejudicando toda a população.

O movimento conta com o apoio das entidades empresariais Associação Comercial do Maranhão (ACM), Associação Maranhense de Supermercados (Amasp), Câmara de Dirigentes Lojistas de São Luís (CDL) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA).

Na terça-feira, 26, essas mesmas entidades de classe se manifestaram por meio de nota pública, chamando atenção para situação da greve, que tem afetado toda a população que necessita do transporte para ir à escola, ao médico, ao posto de vacinação contra a Covid19 ou qualquer outra tarefa do dia a dia, além de trazer prejuízos ao Poder Público com a redução da arrecadação de tributos oriundos das transações comerciais.

No caso, da atividade empresarial, há um grande impacto, considerando que “em um momento em que o comércio ludovicense inicia a recuperação das vendas, após amargar meses de prejuízos decorrentes da pandemia, a paralisação dos ônibus coletivos impõe mais uma queda no faturamento das empresas e riscos à retomada dos empregos às vésperas do período natalino”.

As entidades empresariais reivindicam a resolução da crise do transporte público ludovicense de modo responsável e urgente, sem onerar a população com aumentos nas tarifas das passagens. As entidades pleiteiam a adoção do bom senso de todos os envolvidos – empresas do setor de transporte, sindicato dos trabalhadores rodoviários e Prefeitura – com vistas à garantia do direito constitucional de ir e vir dos cidadãos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários