Poder

“É um antro de roubalheira”, diz deputado ao cobrar ação do Gaeco contra Sinfra

O deputado estadual César Pires (PV) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para denunciar supostas irregularidades em obras da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), gerida por Clayton Noleto, e cobrar uma investigação do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no caso.

Em seu discurso publicado pelo Folha do Maranhão, o parlamentar afirmou que a Sinfra se tornou “um antro de roubalheira” e que o Gaeco precisa investigar a pasta comandada por Noleto.

César Pires cobrou uma Ação do Ministério Público após passar por diversas obras de pavimentação executadas pela Sinfra e constatar que os serviços estão parados ou não foram feitos.

“Mostrei a falência da estrada, os desmandos das organizações empresariais que trabalham naquela estrada, ou trabalharam naquela estrada. Mostrei a precariedade das estradas nas redes sociais, mostrei que, apesar de estar dentro de um convênio, fazer os meios-fios, não foram feitos, mostrei também que era para fazer o acostamento e não foi feito e agora, visitando o município e Magalhães de Almeida, pude observar a estrada que liga São Bernardo a Magalhães de Almeida e confesso que, apesar do prefeito ter perguntado ao empreiteiro o que ia fazer nesses 24 a 25 quilômetros, ele disse que faria oito quilômetros de recapeamento e 14 quilômetros de tapa-buraco. Tiraram as máquinas com dois quilômetros de recapeamento e os buracos continuam lá, uns já restaurados que voltaram a ser buracos”.

A empresa contratada é construtora Moriá que, segundo o deputado, já abocanhou cifras milionárias para fazer os serviços pela metade.

Pires trouxe a público outro problema: a falta de informações no Portal da Transparência do governo do Maranhão.

De acordo com o parlamentar do PV, os dados cadastrados no site estão incompletos impedindo assim o acesso à informação pública. “No Portal da Transparência diz assim: melhoramento e conservação das rodovias de Santa Quitéria. A gente procura no portal onde é que estão essas rodovias. Lá na frente, encontrei também já agora, no dia 04 de agosto de 2021, 792 rodovias da Regional de Santa Quitéria, mas não diz onde estão essas rodovias e o que é feito naquela rodovia, como tapa-buraco ou alguma coisa. Está aqui o Portal da Transparência. Que condene o portal, mas não me condene! Está aqui a principal que diz que, no dia 20 de dezembro de 2019, Processo de Medição 018/13, conservação do trecho São Bernardo a Pirangi, valor R$ 821.310,86. Aqui diz também conservação de São Bernardo para Magalhães de Almeida, R$ 838.599,00, de 2019, mas estão lá os buracos. Mais na frente, Moriá de novo, uma gingante, uma empresa gingante, que trabalha 15 dias e some.”

Em outro trecho do discurso, César Pires revelou que nas obras não existem placas com as informações sobre valores e o serviço executado. Além disso garantiu que a empresa Moriá trabalha 15 dias e some.

“Esse aqui é mais caro, conservação do trecho Buriti de Inácia Vaz a Duque Bacelar, R$2.693.810,90. O que é mais importante, de Pirangi a São Bernardo, e depois tem os valores dessas outras, mas não dizem para nós o que era para ser feito, tapar buraco, porque as placas não existem, a empresa trabalha 15 dias e depois some. É um antro de roubalheira aquela Sinfra, e o que é pior? As medições, segundo informações que me chegam e que deveriam ser apuradas pelo Ministério Público, pelo Gaeco”.

E completa: Tão zeloso esse Gaeco quando é com prefeitura nanica, quando é com prefeitos pequenos, e aí se arvora ao direito de massacrar essas prefeituras pequenas. Senhores, é muito dinheiro, 10 milhões e tanto essa Moriá, eu passo lá constantemente, mas não vejo esses serviços sendo feitos, os detalhamentos, as placas dizendo que serão feitos não existem, e há suspeição de que as medições são fantasias, de que se faz 10, bota 15 se cobra 15″.

Ao finalizar o seu discurso, o deputado cobrou uma investigação e criticou a atuação do Gaeco perante a essas supostas irregularidades. “Se tivesse um Ministério Público um pouquinho mais zeloso, com certeza, estaria embargando essas licitações, estaria, na verdade, o Gaeco investigando o que está acontecendo ali. É preciso que o Ministério Público investigue a Sinfra, que o Gaeco investigue a Sinfra, que o Tribunal de Contas investigue a Sinfra, o que está acontecendo”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em ““É um antro de roubalheira”, diz deputado ao cobrar ação do Gaeco contra Sinfra”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. magno

    FALOU NEM A METADE DESSA ROUBALHEIRA QUE É A SINFRA, POR EXEMPLO, A ESTRADA COROATÁ A MACAÚBA, PAGOU-SE E A TAL PAPA TUDO LUCENA NÃO FEZ A OBRA, A ESTRADA CODÓ A COROATÁ OUTRA BOMBA, SÓ DESVIOS E MAIS DESVIOS

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários