Poder

Procuradoria Geral de Justiça abre mais uma investigação contra Clayton Noleto

O secretário de Estado de Infraestrutura do Maranhão, Clayton Noleto, está sendo investigado na Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) por suposta prática de crimes contra a ordem tributária no âmbito do Consórcio Epeng-Fn Sondagens.

A investigação iniciou a partir do encaminhamento de um ofício e uma representação fiscal pelo Município de Bequimão à 26ª Promotoria de Justiça da Ordem Tributária, que instaurou uma Notícia de Fato para as apurações preliminares.

Devido ao cargo que Clayton Noleto ocupa, o titular da 26ª PJE de São Luís – 1ª Regional de Defesa da Ordem Tributária e Econômica, promotor José Osmar Alves, determinou que os autos de 177 páginas fossem enviados ao procurador geral de Justiça, Eduardo Jorge Heluy Nicolau.

A partir de agora, a apuração será coordenada pelo assessor Especial de Investigação da PGJ, Danilo José de Castro Ferreira.

Caso obtenha provas contundentes, a Procuradoria Geral de Justiça poderá representar criminalmente o secretário de Infraestrutura.

Em 2016, a Sinfra firmou um contrato de R$ 68.342.637,42 milhões com o Consórcio Epeng-Fn Sondagens para a execução de obras da ponte rodoviária sobre o Rio Pericumã, na Rodovia MA-211, no trecho Bequimão-Central do Maranhão, com extensão estimada em 589m.

Essa não é primeira vez que Clayton Noleto é alvo de investigação. Em abril, o Blog do Neto Ferreira publicou que o chefe da Sinfra é personagem principal de um inquérito criminal instaurado na Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão (PGJ).

Noleto é acusado de ter direcionado licitações realizadas pela Sinfra entre os anos de 2015 a 2020 (reveja).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Procuradoria Geral de Justiça abre mais uma investigação contra Clayton Noleto”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. José Alves

    Só vai para frente se a polícia federal investigar, caso contrário terminará bem pizza.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários