Poder

PM é indiciado por homicídio do médico Bruno Calaça em Imperatriz

Após a conclusão do inquérito, o pecuarista Waldex Cardoso não foi indiciado por falta de provas, segundo a polícia. Já o bacharel em Direito, Ricardo Barbalho, vai responder por lesão corporal.

Após concluir o inquérito, a Polícia Civil indiciou o soldado da Polícia Militar, Adonias Sadda, e o bacharel em Direito, Ricardo Barbalho, pelo assassinato do do médico Bruno Calaça Barbosa em Imperatriz, no último dia 26 de julho.

O PM foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, enquanto Ricardo vai responder por lesão corporal agravada pela morte da vítima.

Também suspeito do crime, o pecuarista Waldex não foi indiciado pela Polícia Civil ao final do inquérito, por falta de provas. Nas redes sociais, a mãe de Bruno Calaça, Arielia Calaça, repudiou o ato de não indicar Waldex.

“Não fiquei satisfeita com a decisão final. Se tivermos recursos, vamos recorrer para o Waldex estar incluído no processo. Hoje só resta solidão e tristeza. Hoje meu filho faria 24 anos. (…) Eu não acho justo tudo isso”, afirmou.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “PM é indiciado por homicídio do médico Bruno Calaça em Imperatriz”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. ANAILDO DE SOUSA PEREIRA

    O Brasil da indícios de que pode prestar, graças a imprensa brasileira podemos ter a esperança de que as coisas não ficaram na impunidade, é claro com a ajuda de uma câmara ou uma testemunha, o importante é comemorar pelo menos esse fato em meio a infelicidade da perda da vida.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários