Poder

Vigilante envolvido em agressão contra mulher no Mix Mateus é da Clasi Segurança

Um dos envolvido na agressão contra Jacqueline Débora Costa de Oliveira no Mix Mateus Atacarejo faz parte do quadro de funcionários da empresa Clasi Segurança Privada, que é de propriedade de Pedro Ricardo Aquino da Silva.

A Clasi foi contratada pelo grupo Mateus para fornecer mão de obra terceirizada para manter a segurança das unidades e colaboradores da Rede.

Procurada, a empresa de vigilância não se pronunciou sobre o caso.

No dia 20 desse mês, um dos vigilantes da empresa de segurança privada se envolveu em um caso gravíssimo de agressão e tortura contra uma mulher. O crime foi denunciado à Casa da Mulher Brasileira e divulgado com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

A vítima, Jacqueline Oliveira, relatou que o segurança e mais dois colaboradores do setor de Prevenção do grupo Mateus a agrediram por mais de 1h em uma sala do supermercado Mix Atacarejo Araçagy. Ela contou que foi torturada, agredida com ripa e xingada de vagabunda, ladra e miserável.

O caso ganhou destaque em rede nacional e foi publicado em diversos sites, como o G1, UOL e Ponte. Após a repercussão, a Polícia Civil do Maranhão afirmou que o caso já está sendo investigado pela Delegacia Especial da Mulher de São Luís, onde a vítima registrou a denúncia.

As providências preliminares já foram tomadas, entre elas, a solicitação de imagens do circuito interno do supermercado e o exame de corpo de delito. A Polícia Civil ressaltou que testemunhas serão ouvidas no decorrer das investigações.

O grupo Mateus se pronunciou sobre o fato: “Informamos que foi montada uma sindicância para apurar o caso e reforçamos, de antemão, que a conduta relatada não condiz com os nossos procedimentos e valores. Nos colocamos inteiramente à disposição das autoridades para esclarecimentos”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários