Poder

Clayton Noleto contratou por R$ 62,6 milhões empresa acusada de sonegar impostos

Detentora de dois contratos orçados em R$ 62,6 milhões na Secretaria estadual de Infraestrutura (SINFRA), a Ágil Construções e Serviços responde processo por sonegação de impostos em Coroatá.

A Ação foi impetrada pela Central de Atendimento ao Contribuinte – CAC, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Finanças do Município de Coroatá, na Vara da Fazenda Pública do Município.

O CAC alega que iniciou um Processo Administrativo Fiscal para apurar o crédito tributário devido pela Ágil Construções, referente a fiscalização de Alvará de Construção, Alvará de Localização e Funcionamento e Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza, durante a competência tributária compreendida entre 01 de janeiro de 2016 a 31 de agosto de 2018.

Após inúmeras tentativas para notificar a construtora da referida Instrução de Serviço e do Termo de Início da Ação Fiscal nº 001, foi aberto o prazo de 30 dias para manifestação nos processos administrativos e apresentação dos documentos necessários. Mas o prazo findou sem que houvesse a manifestação da Ágil e o caso é passível de execução fiscal

“Desse modo, face à desídia da empresa em fazer frente as suas obrigações perante o fisco municipal, não restou outra alternativa a esta Administração Pública, senão recorrer ao Judiciário para obrigar empresa a promover a exibição dos documentos ora, mais uma vez requeridos”, ressaltou a Ação.

Segundo a Central de Atendimento ao Contribuinte – CAC, a Ágil insiste em desatender ao fisco, retardando e dificultando a fiscalização municipal que objetiva verificar a exatidão das declarações apresentadas pelo contribuinte e determinar, com precisão, a natureza e o montante dos créditos tributários devidos referentes às taxas de construção, localização e funcionamento, bem como o ISSQn.

Na petição, o órgão fiscalizador tributário pediu a condenação da construtora.

Entre os meses de abril e maio, a empresa, que tem como proprietário Rubemar Coimbra Alves Neto, se sagrou vencedora de três lotes de uma licitação milionária realizada pela Sinfra.

A empreiteira ludovicense ficou com as regionais de Bacabal, Pedreiras e Grajaú, onde fará obras de manutenção preventiva e corretiva, reformas em logradouros e prédios públicos estaduais pelo valor de 62.603.602,32 milhões.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

2 comentários em “Clayton Noleto contratou por R$ 62,6 milhões empresa acusada de sonegar impostos”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. José alves

    Acorda ministério público……

  2. Diego Alves

    Tem dinheiro suficiente para contratar empresas e desviar o dinheiro público, esse governador deveria tomar na vergonha na cara e pagar os precatórios de milhares de credores, esse comunista terá a resposta nas urnas em 22.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários