Poder

Advogado é acusado de tentar matar ex-companheira

O advogado, identificado como Raimundo Nogueira da Cruz Neto, é acusado de tentar assassinar a ex-companheira, a advogada criminalista Danielly Campos, em São Luís.

A tentativa de homicídio foi relatada em dois vídeos publicados no IGTV do Instagram de Danielly.

Na denúncia, a advogada criminalista detalha todo ocorrido e afirmou que sofreu ameaças, agressões verbais e físicas, até sofrer a tentativa de assassinato no dia 20 de janeiro desse ano.

“Desde então, tenho sido vítima de inúmeras outras violações perpetradas por ele. Como percebi que ele não para e não teme a Justiça, nem a Delegacia, nem a Vara da Mulher. A única forma que encontrei de pedir socorro, foi através desse vídeo. O nosso relacionamento foi extremamente desgastante, conturbado. Que entrou em declínio total no segundo semestre de 2020. Solicitei que ele saísse do meu escritório, mas ele [Raimundo Neto] foi infectado pela Covid-19, e o acompanhei todo o período que ficou no hospital, internado. Quando recebeu alta [médica], levei de volta para o meu apartamento, tentei não tocar no assunto, pois estava muito debilitado, mas depois toquei no assunto [ da separação]. Ele estava arredio, não gostava da situação, mas falou que ia sair da minha casa”, relatou Danielly Campos.

Na gravação, a advogada diz que Raimundo Neto sempre foi agressivo e ciumento. “Tivemos uma conversa séria e deixei claro para ele todas as minhas insatisfações em relação ao seu posicionamento agressor, opressor, um homem extremamente ciumento, não me deixava ter amizades, me afastava da minha família. E eu não gostava da forma agressiva que ele me tratava, até mesmo no meu escritório, onde ele trabalhava junto comigo. Me mandou calar a boca na frente de clientes. A situação para mim a personalidade explosiva dele se tornou insustentável.”

Após várias brigas e discussões, Raimundo Neto decidiu sair de casa, mas antes quebrou alguns eletrodomésticos e outros objetos.

Depois do fim do relacionamento, a advogada teve suspeita de estar grávida e pediu para reatar o relacionamento, no entanto o ex-companheiro se mostrou insatisfeito, pois não queria o filho. E a agrediu novamente.

De acordo com o relato, durante 7 dias houve invasão no escritório, ameaças e agressões motivadas, principalmente, pela suspeita da gravidez e por a advogada não querer mais dividir o escritório e os lucros.

Danielly falou que, na noite do crime, além dos hematomas, teve o tendão do ombro rompido pelo seu ex-companheiro.

Assista abaixo:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários