Poder

Consórcio CIM se manifesta sobre dispensas de licitações

O Consórcio CIM, através de sua assessoria de imprensa, se manifestou após matéria veiculado neste espaço que refere-se as dispensas de licitações (reveja).

De acordo com assessoria, “todas as contratações citadas referem-se a despesas de pequeno valor estando rigorosamente dentro do limite legal para dispensa de licitação”.

A reportagem havia detalhado que, o diretor-geral Lee Max, contratou de forma direta quatro empresas, conforme mostra o Portal da Transparência da entidade.

Abaixo a nota de esclarecimento

A atual gestão do Consórcio Intermunicipal Multimodal – CIM vem esclarecer notícia publicada dia 30/04/2021 no Blog do Neto Ferreira, sobre supostos contratos realizados sem licitação.

Todas as contratações citadas referem-se a despesas de pequeno valor estando rigorosamente dentro do limite legal para dispensa de licitação. A atual diretoria do CIM esclarece que a mudança de endereço garantiu uma economia de 50% no valor que vinha sendo pago para a locação anterior, que incluía segurança armada, em razão da vulnerabilidade do local, onde ocorreu durante a gestão anterior, o arrombamento do prédio e a subtração de bens e, principalmente, de documentos importantes pertencentes ao Consórcio.

Dentro do R$ 196.410,02 mil, apontados pelo Blog, estão a contratação de Software (Contreina – Consultoria e Treinamento em Software) para regularizar processos administrativos e contábeis, visto que os procedimentos anteriores eram incondizentes com os princípios da administração pública; a contratação de auditoria interna (El Prime), cujos resultados serão amplamente divulgados e encaminhados ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público e abertos procedimentos administrativos para apurar responsabilidades; referem-se, também, a gastos com segurança armada (Proteserv Vigilância e Segurança Patrimonial) que foi contratada, diga-se de passagem, pela gestão anterior.

O atual contrato de aluguel compreende o valor anual de R$ 144.000,00 referente a 8 (oito) salas localizadas no Edifício Century Multiempresarial, na Av. dos Holandeses, cujo valor mensal é R$ 12.000,00, portanto, bem inferior aos R$ 24.566,83/mês que eram pagos ao estabelecimento do Cohafuma, incluindo-se o pagamento da empresa de segurança. Por fim, esclarece que atual gestão do CIM tem como missão resgatar a credibilidade, o caráter público e a transparência de suas ações, firmando parcerias para transformá-lo em um laboratório de projetos e de soluções públicas para os municípios consorciados, execrando quaisquer ações escusas praticadas ao arrepio da lei. Em atendimento ao princípio da publicidade todos os atos administrativos praticados pela atual gestão constam no Portal do CIM: http://cimmail.com.br/site/


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários